A alienação

A alienação

quinta-feira, 29 de março de 2012

O lado obscuro da ONU

La ONU y la globalización
Por Michael Schooyans
Profesor emérito de la Universidad de Lovaina, Bélgica, miembro de la Academia
Pontificia de Ciencias Sociales y consultor del Consejo Pontificio para la Familia

Los términos mundialización y globalización se utilizan indistintamente para indicar que, a escala mundial, los intercambios se multiplicaron rápidamente, gracias a sistemas de comunicación cada vez más rápidos y eficaces; algo evidente en los sectores científicos, técnicos y culturales. Evocan la interdependencia de las sociedades humanas.
Una crisis económica en los EE.UU., decisiones de la OPEP sobre el precio del petróleo, las tensiones entre palestinos e israelíes... tienen repercusiones de carácter mundial.
Nos vemos comprometidos, interpelados e incluso afectados por catástrofes que pasan lejos de nosotros, sentimos nuestra responsabilidad frente al hambre y la enfermedad en todo el mundo.
Adquirimos así una aguda conciencia de que pertenecemos a la comunidad humana.

La ONU aprovecha la percepción favorable a la actual concepción de la globalización para someter esa palabra a una alteración semántica: es reinterpretada a la luz de una nueva visión del mundo y del lugar del hombre en el mundo.
Esta nueva visión se denomina holismo.
Esta palabra, de origen griego, significa que el mundo constituye un todo, dotado de más realidad y más valor que las partes que lo componen.
La ONU está preparando un importante documento sistematizando esa interpretación holística de la globalización. Se trata de la Carta de la tierra, cuya redacción se encuentra en la fase final. Dicho documento sería invocado no sólo para superar a la Declaración universal de los derechos del hombre de 1948, sino incluso, según algunos, para reemplazar nada menos que al propio Decálogo.

Para consolidar dicha visión holística del globalismo, deben ser superados algunos obstáculos y elaborados ciertos instrumentos.
Las religiones en general, y en primer lugar la religión católica, figuran entre los obstáculos que se deben neutralizar.
Con ese objetivo se organizó, dentro del marco de las celebraciones del milenio en septiembre de 2000, la Cumbre de líderes espirituales y religiosos.
Se busca lanzar la Iniciativa unida de las religiones, que tiene entre sus objetivos velar por la salud de la tierra y de todos los seres vivos.
Fuertemente influenciado por la New age, dicho proyecto apunta a la creación de una nueva religión mundial única, lo que implicaría inmediatamente la prohibición a todas las otras religiones de hacer proselitismo.
Según la ONU, la globalización no debe afectar sólo a las esferas de la política, de la economía, del Derecho; debe afectar al alma global.
Representando a la Santa Sede, el cardenal Arinzé, obviamente, no aceptó firmar el documento final, que colocaba a todas las religiones en un mismo pie de igualdad .

EL PACTO MUNDIAL

Entre los numerosos instrumentos elaborados por la ONU respecto de la globalización, merece ser mencionado el Pacto mundial, que suscita grandes interrogantes: ¿podremos contar con las grandes compañías mundiales para resolver los problemas que ellas hubieran podido contribuir a resolver hace mucho tiempo si lo hubiesen deseado?
¿La multiplicación de los intercambios económicos internacionales justifica la instauración progresiva de una autoridad centralizada, llamada a regir la actividad económica mundial?

En la medida en que la ONU, influenciada por la New age, desarrolla una visión materialista, estrictamente evolucionista del hombre, desactiva la concepción realista que está subyacente en la Declaración universal de los derechos del hombre de 1948.

Según esta visión materialista, el hombre, pura materia, es definitivamente incapaz de descubrir la verdad sobre sí mismo o sobre el sentido de su vida.
De esta forma es reducido al agnosticismo de principio, al escepticismo y al relativismo moral.

Los nuevos derechos del hombre, según la ONU actual, surgirán a partir de procedimientos consensuales, que pueden ser reactivados indefinidamente.
No son ya la expresión de una verdad inherente al hombre; son la expresión de la voluntad de aquellos que deciden.
Este consenso, una vez adquirido, es invocado para hacer que se adopten convenciones internacionales que adquieren fuerza de ley en los Estados que las ratifican.

Estamos, pues, frente a un proyecto gigantesco, que ambiciona realizar la utopía de Kelsen, con el objeto de legitimar y montar un Gobierno mundial único, en el que las agencias de la ONU se transformarían en ministerios.
[Obs. Não vão realizar a utopia de Kelsen, vão realizara utopia de Marx; e para chegar até ela estão usando Kelsen.]
Urge —nos aseguran— crear un nuevo orden mundial, político y legal, y es preciso apresurarse a encontrar los fondos para ejecutar el proyecto.

Dicha gobernación mundial ya fue desarrollada en el informe del PNUD (Programa de Naciones Unidas para el desarrollo) de 1994.
El texto, escrito a petición del PNUD por Jean Tinbergen, Premio Nobel de Economía (1969), evidencia ser un documento hecho por y para la ONU: Los problemas de la Humanidad no pueden ser ya resueltos por los Gobiernos nacionales. Necesitamos un Gobierno mundial.


***

Comentário:

Achei oportuno criar este artigo porque apesar do monsenhor, evidentemente, interpretar o assunto com os olhos da sua religião, quando o vi falar na TV achei ser ele um homem culto e que inspira confiança.

O que ele está expondo (e tentando combater), com as motivações próprias de uma ala do Vaticano, e também com grande pertinência porque parece que ele também é representante do Vaticano na ONU, é a mais pura verdade.

No programa da TV ele mencionou o "marxismo cultural" (Gransci) como mentor desse "projeto de dominação" mundial.
Maiores detalhes sobre o "marxismo cultura" estão em:
http://marxismocultural.blogspot.com/

É importante o texto porque o monsenhor sistematiza e da uma ordem para que possamos "visualizar" a situação.

Eu já tinha essa percepção, mas, não tinha algumas das informações que ele fornece.
O monsenhor (na TV), se mostrou muito preocupado, passando até a impressão que para ele a vaca já foi pro brejo... ou seja, estamos diante de um quadro irreversível rumo a uma ditadura socialista mundial.
Inclusive o monsenhor menciona na sua fala na TV a Obama e Hillary como parte integrante desse processo.
Depois de 50 anos de corrupção "cultural" dentro do EUA o PD não é mais democrata, passou a ser dominado por alienados e por esquerdistas. O PD passou a ter como bandeira não mais a democracia, mas sim a ideologia vega socialista.


Também acho que esse quadro se configura dessa forma...
Embora essa aberração não vá ocorrer da forma que Marx previu que ela ocorreria, os seguidores da doutrina cega conseguiram mudar a realidade para que ela se encaixasse no "mestre", é a vitória da demência cega.

O Partido Democrata do EUA já foi um dos baluartes da democracia no mundo, hoje não é mais, hoje gente como Hillary e Obama dominaram o partido, e esse partido que no passado foi um orgulho para a democracia hoje é apenas um partido para palhaços fazerem suas palhaçadas.


Existe na humanidade atual uma ralé que continuamente ressurge, a dos que querem como se fossem deuses, "transformar o mundo".
São a ralé da humanidade porque com seu egoísmo estúpido foram os causadores de inúmeras guerras, matanças, genocídios, torturas, miséria e ignorância.

Os seguidores do marxismo desde 1922 estão em campo na sua tarefa sorrateira de destruir a sociedade ocidental, no final da segunda guerra as democracias tiveram a chance de acabar com a URSS, Patton queria empurrar a URRS de volta para dentro da Rússia, mas, em nome da paz não fizeram o certo...
E ai aconteceram mais 40 anos de Guerra Fria, onde a URSS financiou e infiltrou milhares de agentes na sociedade ocidental na intenção de corrompe-la.

Em função da sua incompetência o socialismo caiu de podre, caiu o Muro de Berlim e a URSS, e as democracias acharam que finalmente tudo havia terminado, engano mortal, era um "cavalo de Tróia".
Os alemães em 1989 derrubaram o Muro que socialistas haviam construído em Berlim... com isso a sociedade democrática pensou que o mundo estava livre da desgraça socialista... mas não estava, essa ralé socialista sempre ressurge das cinzas, estão ai novamente por todo o mundo com a sua nova bandeira, a "salvação do planeta". Incompetentes... não conseguem nem salvar da falência as nações que comandaram agora querem "salvar o planeta"... mas quem conhece essa ralé sabe que isso é uma mentira, o que eles querem é o poder mundial, para desta vez levarem toda a humanidade a falência.


A corrupção marxista já havia se impregnado de tal forma no seio das instituições ocidentais, em especial nas universidades, que ela não só sobreviveu como criou mais força devido ao descaso que lhe foi dado.

Os mentores do "marxismo cultural" a já uns 20 anos "pegaram o jeito" da coisa...

No EUA TUDO que entra na pauta de discussão na sociedade, ANTES PASSA pelos "think tanks", os quais "preparam" a coisa de acordo com as intenções do marxismo cultural.
Obama tem por trás dele um desses "think tanks", tudo que ele faz vem deles.
Então, eles estão no poder no EUA atual.

Na ONU, no FMI, no BM, e EM TODAS as organizações mundiais, socialistas estão infiltrados e comandando as ações.
Straus-Kahn, um socialista francês corrupto como presidente do FMI! Como pode um representante de uma ideologia que quer destruir a democracia liberal comandar uma de suas principais instituições?!


Importante: tudo isso é feito de forma não declarada.
Na AL e no Brasil em especial, os socialistas - agindo em grupo - através do "Foro de SP", colocaram a AL de ponta cabeças em seu símbolo e eliminaram toda oposição democrática e liberal.
Nas eleições do Brasil, como Lula já disse, só existem candidatos de esquerda.
América Latina vermelha e de ponta cabeça... é isso que os socialistas querem... mas isso tudo não passa de imagens inúteis pois socialistas, a história já provou isso, são incompetentes e levam a longo prazo todas as nações que dominam a falência e a ditadura.


No STF, com as nomeações de Lula, os socialistas já são maioria !
Então, com o poder no órgão máximo da justiça da nação, eles vão por as mangas de fora e começar a MUDAR AS REGRAS de forma cada vez mais ditatorial, porque sabem que na última instância irão ganhar.

E no restante da AL, socialistas governam, apenas a Colômbia e o Peru se mantém fora do domínio da esquerda.

O que aconteceu em Honduras é um exemplo claro do que temos no mundo !
Honduras seguiu a risca sua Constituição, mas, o grupo de socialistas latinos conseguiu na OEA, na ONU e demais instituições, transformá-los em golpistas e colocar todo o mundo contra a legalidade hondurenha !
E passaram a interferir diretamente nos assuntos internos de Honduras sem problemas... ou seja, daqui para frente, agora com o EUA ao lado deles, os socialistas no poder no mundo, vão mais e mais levar seu poder a prática para chegar a ditadura internacional socialista.
O grande problema deles é a incompetência inerente que carregam e que levou a UE a falência.

O que aconteceu na Líbia é outra prova gritante dessa interferência externa em nações soberanas com o aval da ONU.
Na Líbia foi vergonhoso e inédito, bombardearam a Líbia até arrasarem com tudo e ai permitiram o avanço dos rebeldes e o subsequente assassinato de Kadafi, tudo isso com aval da ONU.
Um crime foi cometido na Líbia... o assassinato de Kadafi sem julgamento decente, algum órgão de direitos humanos da ONU se pronunciou a respeito?
- Não.
Kadafi foi assassinado. Onde estão os "direitos humanos" da ONU? Onde estão os "tribunais internacionais" que queria julgar Kadafi ? E esse crime, vai ficar impune? Quem sustentou os assassinos de Kadafi?
- Foram Obama, Sarkozy e a ONU. Então são eles os responsáveis pelo assassinato de Kadafi. Alguém diz alguma coisa sobre isso? Não, e jamais dirão, esse crime ficará impune. Este crime ficará impune porque foi praticado pelos "salvadores do mundo" politicamente corretos.


Em Cuba existe um ditador mandando a 53 anos!
Por que a ONU não faz o mesmo que está fazendo contra a Síria com Cuba ?
Em Cuba já foram cometidos crimes contra os direitos humanos, já foram presos e mortos centenas de dissidentes, ainda existem presos políticos na ditadura socialista cubana, por que a ONU nada diz contra essa ditadura socialista ?

Na Arábia Saudita existe uma ditadura a décadas.... qual a diferença entre a família real saudita e a família de Kadafi ?
- Nenhuma, são famílias governando de forma ditatorial uma nação árabe.
Por que a ONU nada diz contra a ditadura realesca que existe na Arábia Saudita ?
Rei saudita.... esse amigo do Obama a décadas no poder não é molestado nem contestado como sendo ditador.... mas, ele é um ditador. A ONU diz alguma coisa a respeito de implantar democracia na Arabia Saudita ? - Claro que não!


No Sudão a várias décadas existe um genocídio, já foram mortos milhões de pessoas, por que a ONU não autoriza o bombardeio do Sudão pela OTAN como fez contra a Líbia ?

São algumas de muitas perguntas que jamais serão respondidas pelos milhares de hipócritas e corruptos que fizeram da ONU uma máfia internacional.


***

TEXTO SUPLEMENTAR

A ONU foi criada depois do fim da segunda guerra mundial (1946) porque tudo que existia antes não tinha mais razão para existir.

ONU - Organização das Nações Unidas, a finalidade era juntar TODAS as nações do mundo, inclusive as "subversivas', em uma mesma assembléia para que as questões fossem resolvidas sem guerras.

Na minha opinião, a razão da desvirtuação não só da ONU como também de todas as demais instituições foi a Guerra Fria.
O surgimento de "três mundos", primeiro, segundo e terceiro mundo gerou ódios, preconceitos e barreiras intransponíveis para a solução dos problemas mundiais.

A par disso a "escola de Frankfurt" alemã que havia se transferido para o EUA antes da guerra intensificou seu trabalho subversivo "cultural" dentro das universidades e na midia do EUA e pouco a pouco foi mudando a forma de pensar dentro do EUA, surgiu lá o politicamente correto, e devido a influência do EUA o "politicamente correto", já pronto e embalado, foi exportado para o resto do mundo, em especial para a AL.

A queda da URSS por incrível que pareça em vez de acabar com essa ideologia cega deu mais força a ela!
Deu mais força porque o pensamento liberal democrático em uma falha gravíssima achou que tinha ganho a batalha contra o marxismo... mas não tinha, o marxismo tinha se infiltrado DENTRO das instituições democráticas e as estava dominando pouco a pouco.

A eleição de Obama por um PD que não é mais democrata, agora é esquerdista, é uma das grandes vitórias dessa ação subversiva.

Mas, temos duas coisas:
- apenas metade do povo do EUA ficou politicamente correto;
- os politicamente corretos não são marxistas.


***

Nenhum comentário:

Postar um comentário