A alienação

A alienação

sexta-feira, 15 de junho de 2012

A UNIFESP está formando bandidos, vândalos estúpidos que não tem a menor noção do que estão fazendo.

Abaixo temos a notícia da Folha Online mostrando a depredação e atos de vandalismo praticados por "estudantes" da UNIFESP, tem um vídeo também, no vídeo podemos ouvir os "estudantes" gritando "no passaron", não sei se eles sabem, mas esse era o grito de guerra dos comunistas na Guerra Civil Espanhola que levou a morte de 700 mil pessoas e foi um dos maiores atos de insanidade e matança devido a "idéia revolucionária" socialista/comunista/anarquista na Europa no século XX, só perdendo para a segunda guerra mundial.

Na UMIFESP a gente pode observar que é um grupo pequeno de "alunos" completamente loucos, gritando o tempo todo enraivecidos.
Com toda certeza quem está levando estes estúpidos a fazerem isso são os corruptos "professores" socialistas que devem dominar na universidade, eles pregam o ódio irracional, e estas infelizes criaturas que vemos na reportagem não tem senso crítico para perceberem que estão sendo manipulados por uma ideologia corrupta e sanguinária - o marxismo.

Ficamos com pena do Brasil ao ver isso, nossa pobre nação tem suas universidades dominadas por "intelectuais" marxistas que a única coisa que fazem é corromper as mentes desses infelizes.
O futuro do Brasil virá dessa desgraça que dominou o "ensino" por todo o país.


***

NOTÍCIA DA FOLHA ONLINE

http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/1105072-video-mostra-confronto-entre-pm-e-alunos-da-unifesp-em-guarulhos.shtml

15/06/2012 - 04h32
Video mostra confronto entre PM e alunos da Unifesp em Guarulhos
DE SÃO PAULO


Um video postado na madrugada desta sexta-feira em um blog de estudantes da Unifesp (Universidade Federal de São Paulo) mostra o confronto entre manifestantes e policiais no campus de Guarulhos (Grande São Paulo).

Segundo os estudantes, as imagens foram gravadas por celular durante um protesto da noite de quinta-feira (14), que terminou em tumulto.

No video, um estudante é agarrado por um policial militar --outros disparam balas de borracha em direção aos manifestantes.

PROTESTO

Um grupo de ao menos 50 estudantes da Unifesp protesta desde a madrugada em frente à Superintendência da Polícia Federal, na Lapa, pela liberação de 26 alunos que foram levados para prestar depoimento após um protesto que acabou em tumulto, no campus de Guarulhos, na noite de ontem (14).

Utilizando cobertores para se proteger do frio, os estudantes cantaram músicas de protesto, entoaram palavras de ordem e pediram a saída do diretor acadêmico do campus, Marcos Cezar de Freitas.

Segundo os manifestantes, advogados juntaram provas e estão na PF tentando liberar os estudantes, que permaneciam detidos pela manhã.

26 alunos foram detidos pela polícia após um protesto de acabou em tumulto no campus de Guarulhos da Unifesp (Universidade Federal de São Paulo) Leia mais
De acordo com estudantes, cerca de 30 alunos protestavam em frente à sala da direção acadêmica do campus. Durante a manifestação, o grupo chegou a invadir o prédio da direção por alguns minutos, indo embora logo em seguida.

A Polícia Militar foi acionada e, segundo estudantes, balas de borracha e bombas de gás lacrimogêneo foram utilizadas pelos policiais. De acordo com os manifestantes, 26 alunos foram levados à PF, pois o prédio da universidade pertence à União.

Segundo informações iniciais da PM, os alunos teriam pichado muros do campus e impedido o diretor de sair do prédio. Questionados pela reportagem, os alunos confirmaram as pichações, mas disseram que não impediram a saída do diretor.

Eles afirmam que chegaram a ser recebidos pelo diretor, que disse estar disposto a conversar com uma comissão de alunos. Os alunos não concordaram em formar a comissão, exigindo que o diretor saísse do prédio para conversar com todos os manifestantes, o que gerou o impasse.

CONFLITOS

No dia 23 de março deste ano, os estudantes da Unifesp já haviam entrado em greve e, no dia 3 de maio, a reitoria foi ocupada. Oficiais de justiça, acompanhados de policiais militares e federais, cumpriram na semana passada uma ordem de reintegração de posse determinada pela Justiça.

De acordo com a PF, 30 pessoas que se encontravam no imóvel invadido e se recusaram sair foram encaminhadas à Superintendência da PF, onde foi lavrado um termo por desobediência à ordem judicial.

Os manifestantes alegam que não há salas de aula suficientes, pedem ampliação do espaço da biblioteca, laboratórios de pesquisa e informática, moradia estudantil e creche para estudantes e funcionários, entre outras exigências.

Segundo os estudantes, a reitoria está realizando uma série de atos para prejudicar o movimento, como o fechamento de espaços da universidade antes do horário previsto e a utilização do e-mail institucional para uma campanha contra os manifestantes.


***

Mais vídeos dos "estudantes" em ação:

http://www.youtube.com/watch?v=rI3YUKFcmKI

http://www.youtube.com/watch?v=BIdt2D1yA6I

http://www.youtube.com/watch?v=FvWNqpyz1tU


***

Nenhum comentário:

Postar um comentário