A alienação

A alienação

quinta-feira, 30 de agosto de 2012

O socialismo-comunismo e o anarquismo levariam a uma sociedade idêntica ?

Um membro da comunidade "Marx é inquestionável?!" colocou a seguinte questão em um tópico:

"Os anarquistas eles odeiam o estado e querem que ele deixe de existir. Já Marxs disse que no comunismo em sua etapa final o Estado deixaria de existir, embora ele não tenha teorizado de como seria a transição do estado socialista 100% opressivo, controlador, onisciente e onipotente o estado socialista pularia a próxima "fase" que é o estado comunista que é o estado sem estado...

Só pra exercitar a imaginação:

Se o final das duas brincadeiras(anarquista ou comunista) é o mesmo, não seria mais fácil o estado deixar de existir enfraquecendo-o até ao ponto em que ele (o estado) morra de inanição do que alimentar o Leviatã deixando-o crescer ao ponto de ser "Deus Estado" e ficar rezando pra que ele vá embora?

Se for pra se ter uma coerência, os comunistas tinham que se converter ao anarquismo, todos eles, pois é mais lógico que o Estado desapareça de fraqueza e não a partir do poder absoluto se transformar em um peido e sumir.

Claro que no final entraríamos numa Era de escrotidão onde todos andariam com tacapes na mão e vestidos de tanguinhas de texugo em um mundo sei kei/ordem/moral e etc...



Eu penso o seguinte:

Concordo de uma forma geral com suas colocações, pensando-se em linhas gerais, é isso mesmo que você pensou.

Acontece que a coisa toda é feita por humanos, e cada um dos líderes tem as suas motivações....

Vou colocar algumas coisas:

Quando se fala de "fim do estado", temos significados diferentes:

- para o marxismo seria o fim do, por eles definido, estado "burguês" (democracia representativa e estado de direito) e não do estado como instituição reguladora da sociedade, este estado continuaria a existir, seria o estado socialista conforme Marx o definiu no Manifesto Comunista nas "10 providências" que os comunistas deveriam fazer após a tomada do poder, e também por determinação de Marx no Manifesto Comunista, seja em qual forma de sociedade for (socialista ou comunista) os "intelectuais" estariam sempre "conduzindo" o processo, pois são os únicos, segundo Marx, que tem capacidade para entender o processo revolucionário;
- para o anarquismo o "fim do estado" é o fim mesmo, não existiriam mais funcionários públicos, toda a atividade do estado seria feita por empresas privadas, seria a perfeição de sociedade! Mas, me parece ser uma ilusão, uma utopia.

Outra coisa muito importante:
Uma coisa é Marx, e outra coisas foram os líderes socialistas, comunistas, anarquistas, como Lasalle e Bakunin, os líderes socialistas iniciais não pensavam como Marx e não tinham o ódio marxista, eles realmente queriam o bem da humanidade, de uma forma ilusória, utópica, mas eram honestos em suas ambições.
Porém, quanto a Marx, ele jamais foi socialista, jamais foi comunista, jamais quis o bem da humanidade, Marx, já entre 17-18 anos de idade - devido frustrações pessoais - criou um enorme ódio contra a sociedade e contra deus, as provas desse fato já foram colocadas por mim em outro texto deste blog.
A única coisa que Marx queria com grande vontade era destruir a sociedade vigente e acabar com o judaísmo e com deus.
Para atingir esse objetivo ele inventou uma ideologia, o "socialismo científico" e desdenhou todas as outras, socialistas e anarquistas, nenhuma delas prestava para Marx, como sua ideologia era "cientifica" ele inventou a "mais-valia", uma colossal mentira, para enganar "cientificamente" os inocentes.
Alem disso, Marx disse que com sua ideologia se chegaria ao comunismo, mas, e ai vem o detalhe de suma importância, Marx jamais teorizou como seria feito isso e menos ainda sabia como seria o estado em uma sociedade comunista, está dito isso, pelas próprias palavras de Marx, no "Crítica ao Programa de Ghota".

Marx, em vez de escrever um livro com o título "O Comunismo"... onde descrevesse os princípios dessa sociedade que ele prometia aos seguidores... escreveu um livro com o título "O Capital"... onde a única coisa que faz é criticar a sociedade que ele queria destruir.
Marx jamais fez uma teoria do estado comunista, ou, a teoria de uma sociedade comunista "sem estado", porque ele nunca acreditou que tal sociedade existiria.... a única coisa que lhe interessava era destruir a sociedade atual que ele odiava, e o que viesse depois pouco lhe importava.

Outro detalhe importante é que o "anarquismo moderno", da atualidade, não deseja o estado público, com funcionários públicos, mas, o anarquismo moderno não dispensa as instituições que compõem o estado, tais instituições passariam a ser privadas.

Então temos supostamente falando:

- socialismo (não marxista) --> comunismo --> sociedade sem estado ou sociedade primitiva com cada ser humano produzindo suas necessidades.
- anarquismo --> sociedade sem estado público, mas com instituições privadas executando as atribuições do antigo estado de direito.

Ou seja, respondendo a pergunta colocada no tópico da comunidade e neste texto - não levariam.
A suposta sociedade comunista não seria igual a suposta sociedade anarquista segundo a ideologia moderna desta última



Uma sociedade onde não exista, nem estado, seja ele burguês ou socialista (para chegar ao comunismo), e nem empresas privadas executando as tarefas do estado - que poderíamos também chamar de "comunismo" - ninguém jamais fez uma teoria que descrevesse essa sociedade!
Não existe tal teoria porque ela é impraticável empiricamente, só existe como ilusão.
Uma cidade onde vivam 10 milhões de pessoas não funcionaria sem regras e sem quem fiscalize a aplicação de tais regras, e sem punição para quem não cumpra as regras.


Os marxistas em sua ignorância dizem que na pré-história os humanos viviam em comunismo.
Jamais provaram tal coisa.
- Não viviam.
Os humanos nesta época viviam juntos, não porque eram comunistas .... viviam juntos porque precisavam dessa união de forças para sobreviverem contra os demais animais.
E nem mesmo nestes grupos jamais existiu "comunismo" onde todos são iguais e não tem governo, sempre existiram nos grupos humanos os líderes, os chefes, os caciques, os patriarcas, os pajés, ou levando para o reino animal mamífero - sempre existiram o "macho dominante" e a "fêmea dominante" como em grupos de leões, lobos, etc.


***


sábado, 18 de agosto de 2012

"parto humanitário" - mais uma tolice inútil criada por politicamente corretos

NOTÍCIAS

Grávidas fazem protesto em favor do parto humanitário no Rio de Janeiro
EM 06 DE AGOSTO DE 2012 AS 10H50

O Conselho Regional de Medicina do Rio proibiu médicos de atuar em partos domiciliares, mas a resolução foi suspensa na semana passada.
Fonte: G1
No Rio de Janeiro, centenas de mulheres fizeram uma manifestação em favor do parto humanizado. Grávidas, profissionais de saúde e simpatizantes do parto em casa saíram pela orla de Ipanema, na Zona Sul, no domingo.
Elas defendem que a mulher tenha o direito de escolher como deseja ter o filho.
Em julho, o Conselho Regional de Medicina do Rio proibiu médicos de atuar em partos domiciliares.
Mas a resolução foi suspensa pela justiça na semana passada.



Blog da Gisele
Parto Humanizado: esse é o caminho!


O nascimento é encarado como um complexo procedimento médico, em que mulher e bebê, frequentemente, são submetidos às rotinas e procedimentos impostos no hospital, que são muitas vezes desnecessários e prejudiciais.
Felizmente, cada vez mais as mulheres estão se conscientizando dessa “Matrix Obstétrica” que estão inseridas e estão fazendo escolhas baseadas em informação. Escolhas essas que muitas vezes saem do padrão comum da sociedade, mas que são as melhores para essa mulher, bebê e família. Muitas querem um parto domiciliar, um acompanhamento de doulas, de enfermeiras obstetras e obstetrizes. E ao contrário que muita gente pensa, são escolhas que estão de acordo com as mais atuais evidências científicas.
Quem está por dentro das notícias deve estar sabendo das resoluções nº 265/2012 e 266/2012 do Conselho Regional de Medicina do Rio de Janeiro (CREMERJ) publicadas no dia 19 de julho, que veta a participação de médicos obstetras em partos em casa e proíbe a presença de doulas, obstetrizes e parteiras em partos hospitalares. Essas resoluções desconsideram as mais atuais evidências científicas, as recomendações da OMS e do Ministério da Saúde. Além disso, essas resoluções desrespeitam o direito da liberdade de escolha das mulheres, famílias e dos próprios profissionais.
A recomendação da revisão sistemática da Biblioteca Cochrane (que reúne as mais atuais pesquisas científicas em saúde) é que se deve oferecer um modelo de atenção promovido por obstetrizes à maioria das mulheres e que elas deveriam ser encorajadas a reivindicar essa opção. Na avaliação da revisão sistemática da Cochrane sobre doulas foi concluído que todos os hospitais deveriam implementar programas para oferecer suporte contínuo intraparto, integrando doulas nos serviços de maternidade, uma vez que os melhores desfechos maternos e neonatais são obtidos quando o suporte contínuo intraparto é oferecido por Douglas.
Viajei por diversos países, conhecendo diferentes culturas e modelos de parto que funcionam. Percebi que a maioria dos países socialmente desenvolvidos tendem a oferecer um cuidado humanizado e centrado na mulher. As gestantes têm o direito de escolher seus acompanhantes durante o parto; são encorajadas a terem uma douda e um plano de parto; ficam no mesmo quarto durante o trabalho de parto, parto e pós parto imediato; fazem parte do processo de tomada de decisão e podem negar qualquer procedimento para ela e seu bebê; têm liberdade de movimento e de escolher a posição que querem ter seus bebês.
O cuidado durante o trabalho de parto e parto para gestações de baixo risco é baseado na enfermeira obstetra e na obstetriz, em um modelo de cooperação com o médico obstetra. Alguns desses países que visitei, onde elas são principais provedoras de cuidado durante a gestação, parto e pós parto (de baixo risco) são: Inglaterra, Alemanha, Holanda, Áustria, Suécia e Nova Zelândia. E todos possuem ótimos índices de mortalidade materna e neonatal e índices de cesariana muito mais baixos que o Brasil (dados de 2008): 24%, 27,8%, 14%,27%, 17%, 20% , respectivamente. Enquanto no Brasil temos 52% de cesarianas, sendo 82% no setor privado, os maiores índices de cesarianas do mundo e 25% das mulheres sofrem violência obstétrica nos hospitais!
Felizmente, foram tomadas as providencias necessárias e as resoluções do CREMERJ foram suspensas no dia 30 de julho, até a decisão final. No domingo, dia 05 de agosto, acontecerá uma marcha pela Humanização do Parto em algumas cidades brasileiras, sendo a concentração maior no Rio de Janeiro. Convido todos a participarem, eu estarei lá em Ipanema, posto 9, às 14h.
Estamos no caminho, Brasil!


***

Comentários:

O título do blog da Gisele está incompleto, deveria ser "Parto Humanizado: esse é o caminho - de volta!"

Por que "de volta" ?
Porque por milhares de anos as mulheres tinham os filhos em casa.
E em regiões pobres isso continua a acontecer.

O nome politicamente correto de parto "humanizado" nada mais é que - parto normal - da forma que os humanos o fizeram por milhares de anos.

Acontece que tais partos não tem nada de "humanizado", isso é uma tolice de gente que não sabe a realidade da vida....
Eu por exemplo conheço uma pessoa que tem apenas 15% da visão, e o motivo foi que a mãe teve parto "humanizado", porém, a pessoa demorou para nascer, e nada podia ser feito, pois na casa não existiam recursos, mais um pouco e ele teria ficado cego...

Se o parto tivesse sido em um hospital, ele provavelmente não teria que viver com apenas 15% da visão normal por toda a vida, pois a lesão foi no nervo óptico e é irreversível.

E se, os politicamente corretos dizerem que no caso atual por eles pleiteado irão existir recursos na casa.... podemos afirmar que tais recursos jamais serão iguais aos que existem em um hospital, alem de que, se é para levar os recursos que existem no hospital para a casa ... então, é muito mais fácil fazer o parto no próprio hospital.

Então, os politicamente, como de costume - estão equivocados, parto em casa não tem nada de humanizado, pelo menos para meu amigo não foi.
E conheço muitos que também tiveram problemas ao nascer em casa e por toda a vida amargaram seus efeitos.

*

Sobre a proibição do Conselho do Rio acredito que o motivo seja que os profissionais irem fazer um parto na casa da mãe e não em um hospital e isso acarreta a eles responsabilidades profissionais.
É evidente que em casa tais profissionais não terão todos os recursos em caso de uma emergência, e se formos pesquisar ao longo da história nos tempos em que os partos eram feitos rotineiramente em casa, tais emergências eram muito comuns, os casos de falecimento de mães e/ou bebes em partos caseiros desta época são muitas.
E claro, se acontecer algo de ruim para a mãe ou para o bebe, é quase certeza que os familiares colocarão a culpa nos profissionais.

Acredito que essa polêmica, na minha opinião, é mais uma tolice inventada por politicamente corretos que não param um minuto sequer de inventar maneiras para criarem "lutas" inúteis e "direitos" por toda a sociedade.


***

segunda-feira, 13 de agosto de 2012

Filhos gostam de pais relapsos, e em contrapartida, filhos criam ressentimento contra pais cuidadosos

O que foi afirmado no título é uma triste verdade...
As afirmações do título fazem parte dos maiores absurdos que os humanos produziram.

Ontem foi dia dos pais e a já muitos anos as TVs produzem reportagens cujo principal tema ano após ano é o reencontro de filhos com pais que os abandonaram, e o reencontro é sempre cheio de amor!
Interessante nisso é que as TVs dificilmente fazem reportagens para mostrar filhos agradecendo a pais que praticaram heroísmo para os salvarem de perigo, menos ainda as TVs mostram pais que trabalharam muito para dar o melhor para os filhos !
As TVs preferem mostrar o reencontro do filho com o pai relapso que o abandonou a muitos anos e nunca quis saber dele!

Por que as TVs fazem isso ?
Fazem isso porque isso dá audiência, dá audiência porque a maioria dos humanos acha isso bonito, gosta disso.
E por que muitos humanos gostam de ver um pai relapso se encontrando com o amoroso filho ?
- Deve ser devido a algum distúrbio mental porque isso na realidade é um absurdo.
Não que filhos não devam reencontrar pais que os abandonaram... podem fazer isso, claro, mas transformar isso em uma cena amorosa é fruto de uma distorção da realidade.

Mas, esse fato é apenas uma das provas de que a afirmação do título é uma verdade.

No dia dos pais muitos filhos dão presentes aos pais, mas, o normal no cotidiano de muitos filhos é darem muitas tristezas aos pais, maus tratos contra os pais, ressentimento contra os pais, desavenças por picuinhas contra os pais, desrespeito contra os pais, são muito comuns.

Psicólogos, sociólogos, educadores, etc, em geral atribuem a discórdia entre filhos e pais a educação dada a eles pelos pais, ou seja, colocam a culpa nos pais ou na sociedade...
Porém, acredito que muitas pessoas tem conhecimento de famílias conhecidas cujos pais sempre deram carinho, amor, proteção, bens materiais, as melhores escolas, entretanto, os filhos deles lhes dão desgostos de toda ordem !

Em vista deste fato podemos concluir que os estudiosos do assunto o estão analisando de forma dogmática, não estão levando em conta características manifestas e evidentes.
A discórdia entre filhos e pais tem uma característica marcante !

A discórdia entre filhos e pais - é seletiva.
A discórdia entre filhos e pais não acontece de forma homogênea na sociedade.


Dificilmente encontramos discórdia entre filhos e pais muito pobres.
Dificilmente encontramos discórdia entre filhos e pais muito ricos.

A discórdia entre filhos e pais se encontra em larga escala, nas cidades, 
em famílias da classe média.



Não se vê isso em famílias pobres


É muito comum assistirmos a declarações de cantores de música sertaneja que vieram de famílias muito pobres enaltecendo os pais.
É comum vermos jogadores de futebol elogiando seus pais pobres e demonstrando grande amor por eles.
A primeira coisa que fazem tais pessoas quando ganham dinheiro é pensar em comprar uma casa para os pais, ou para a mãe, o que é mais comum.

Se formos na casa de uma família pobre do interior do Brasil onde existam o pai, a mãe e numerosos filhos, vamos perceber que não existe nenhum ressentimento dos filhos contra os pais!
Também não existem desavenças, invejas, etc, entre os filhos.
Apesar da miséria em que vivem os filhos gostam muito dos pobres pais.



As mães pobres, se levarmos em conta o amor que os filhos tem por elas, são muito mais felizes que as mães da classe média


Mas... se formos na casa de uma família classe média da cidade, na maioria dos casos, logo vamos ver que existe discórdia entre irmãs, entre irmãos, e deles todos desavenças contra os pais, apesar da fartura em que vivem nunca estão contentes, e culpam os pais pela insatisfação que sentem.
E nesta estúpida ação são ajudados pelos estudiosos que na maioria dos casos colocam a culpa nos pais ou na sociedade e inocentam os filhos.

Filhos de pais muito ricos também não tem animosidade contra os pais, em tais famílias existe respeito e hierarquia, o relacionamento pode até ser frio, mas, não se vê filhos desrespeitando os pais por razões supérfluas da forma que filhos da classe média desrespeitam seus pais.

Então, voltamos a dizer - os estudiosos da área não estão incluindo fatos importantes em suas conclusões.



Famílias de classe média, muita dedicação e amor aos filhos... seria isso um erro ?


Ficam as perguntas:
Por que filhos de famílias que tem a educação em boas escolas e boa atenção dos pais se voltam contra eles ?
E por que isso não acontece em famílias pobres onde o pai em geral abandona os filhos a sua sorte e a mãe tem que cuidar deles ?
E por que os filhos abandonados, como mostram as diversas reportagens nas TVs, vão atrás do pai relapso e o amam e os filhos bem tratados da classe média, em muitos casos, transformam a vida dos pais em um inferno ?

Não é pela razão que os estudiosos dizem, uma vez que não podemos afirmar que as famílias pobres dão boa educação aos filhos...

Os estudiosos não respondem o por que, mesmo a família de classe média dando excelente educação e grande atenção, seus filhos, em muitos casos, se voltam contra eles.

Vou dar a minha opinião sobre isso.

A diferença entre o tratamento que famílias pobres dão aos filhos em relação ao tratamento dado pelas famílias de classe média é que nas pobres os filhos tem muito pouca atenção dos pais, tanto devido a quantidade de filhos como também porque a mãe em geral trabalha fora e quando chega em casa tem que trabalhar nas coisas da casa, restando pouco tempo para os filhos, nas famílias pobres também os filhos tem poucos desejos pois sabem que não serão satisfeitos, e nas famílias de classe média, as pais, em especial as mães, dão muita atenção e proteção aos filhos, tem tempo para isso, tem facilidades para executar as tarefas caseiras ou tem empregadas domésticas, satisfazem todos os desejos dos filhos, que normalmente são muitos, e dedicam muito amor a eles.
Essa é a diferença...
E essa diferença é a causa da "revolta" dos filhos de classe média contra seus pais - a boa vida que tem e o carinho e amor que os pais dão a eles.

Tais filhos preferem os maus tratos dos colegas e estranhos aos carinhos dos pais, a maioria deles tem até vergonha de serem amados publicamente pelos pais, ficam muito bravos quando isso acontece e os colegas vêem.
Filhos pobres não tem esse recalque.


Pensando a respeito das possíveis causas dessa estúpida atitude cheguei a seguinte conclusão:

Os seres humanos agem em função dos valores naturais que possuem, o maior valor é o desejo sexual que domina amplamente as ações humanas, o segundo, em pé de igualdade com o desejo de sobrevivência está o desejo de liberdade, o ser humano é um animal que gosta de liberdade, gosta de ser livre.

Analisando a vida em uma família pobre e em uma família de classe média vemos que os filhos de famílias pobres são livres, não tem desejos econômicos e por isso dependem economicamente dos país apenas para as necessidades básicas, filhos de famílias pobres também não tem dependências psicológicas uma vez que a mãe dá pouca atenção aos filhos, a mãe dá proteção aos filhos mas, pelas razões já expostas, não os trata com carinho, desta forma, os filhos pobres não dependem dos pais nem economicamente nem psicologicamente, são livres, no dia que quiserem ir embora é só fazer a trouxinha e partir, nada os prendem aos pais.
Filhos de classe média ao contrário já com 8 ou 9 anos começam a receber "mesada" dos pais, e essa mesada se estende muitas vezes até idades avançadas, como vão a lojas e tem acesso a muitas fontes de desejo, querem possuir tais coisas, e para comprar o tênis de marca depende dos pais, dependem em tudo para satisfazerem seus desejos materiais, portanto, tais filhos são dependentes dos pais economicamente, não são livres, no aspecto psicológico, em geral as mães exercem uma verdadeira ditadura afetiva, amam por demais os filhos e os cercam de carinhos e mimos, isso cria nos filhos uma enorme dependência afetiva, portanto, também não são livres psicologicamente.
É por causa dessa "prisão" que filhos de classe média tem grande desejo de "ir embora de casa" .... é para se verem livres disso, mas, em geral, dificilmente conseguem antes de se formarem na universidade, e muitas vezes nem depois de formados conseguem, isso gera nos filhos de classe média uma aversão aos país, que dependendo da personalidade de cada um pode evoluir para rusgas mais severas.
Filhos pobres não tem esse "trauma" de quererem ir embora de casa, vão naturalmente por questões práticas.


*

Texto escrito em 16/02/2014

Assisti o "Café Filosófico" do último domingo e o assunto, uma raridade neste mundo falso e alienado atual, é uma brilhante concepção empírica da vida em família e da educação dos filhos.
Esse assunto tem tudo a ver com o assunto colocado por mim aqui, o psicólogo diz: "nos extratos urbanos de classe média as crianças viraram uma espécie de monstros".... exatamente!

O importante aqui é que da mesma forma que foi colocada aqui o psicólogo frisa em vários momentos que isso acontece - na classe média urbana atual, mas não acontecia nesta mesma classe de 50 anos atrás.

De minha parte, com o conhecimento que possuo do marxismo, não tenho dúvidas que este é mais um grave problema causado pela doutrinação do marxismo "cultural" para mudar o "senso comum" da sociedade ocidental, que vem sendo exaustivamente aplicado nas escolas a 70 anos, para que a sociedade ocidental "burguesa" seja destruída e o que restar dos escombros dela aceite os dogmas do marxismo e o marxismo possa ser implantado em todo o mundo e não apenas em países do oriente (URSS, China, etc) como aconteceu depois da Primeira Guerra Mundial quando os "intelectuais" marxistas tinham certeza que os "proletários" iriam se unir para enfrentar juntos a burguesia, isso não aconteceu, por isso eles concluíram, possuídos da demência que comanda suas mentes, que existia algo errado na cultura ocidental e que "eles" deveriam destruir, e de lá para cá vem fazendo isso em especial nas escolas e na midia, e estão conseguindo mudar o senso comum.... para azar, tanto deles e muito mais da humanidade, não da forma que gostariam, criaram milhões de politicamente corretos covardes e alienados em vez do "homem socialista" utópico.

O vídeo, imperdível na minha opinião, está em:

"A família no fogo cruzado da educação"
O programa Café Filosófico da TV Cultura de São Paulo deste domingo, 16/2/14 (22:00h), apresentou palestra com o psicólogo Julio Groppa Aquino.


Apresento a seguir uma das muitas preciosidades ditas pelo autor:

O "bem querer" não tem nada a ver com beijinhos e o "eu te amo" dito a todo instante para os filhos.



***
 
 
 
 

sábado, 11 de agosto de 2012

Seria prudente o Ocidente perceber a realidade da "primavera árabe" - a mantra de "eleições livres" em árabe não se traduz como "democracia"

É impressionante ver a multidão de comentaristas, críticos, articulistas, blogleiros, políticos, intelectuais por todo o ocidente com os olhinhos brilhantes de alegria ao se referirem a chamada "primavera árabe" como o surgimento de democracias no mundo árabe !

Claramente o que está acontecendo no mundo árabe não vai desaguar em democracia, mas sim, irá ser a formação de uma enorme União de Repúblicas Islâmicas radicais comandados por entidades subordinadas a Irmandade Muçulmana.

Vou colocar a seguir o artigo de Steven Simpson, um mestre especialista em questões políticas no Oriente Médio que com grande clareza demonstra para onde irão as nações árabes.

Acrescento ao seu artigo algo que ele não abordou que é como ficará a situação de Israel rodeado por republicas islâmicas por todos os lados ?
E quais são as causas dessa ingênua opinião do ocidente em relação a "primavera árabe" ?
Tenho a minha opinião mas estou enviando um email para Steven na tentativa de saber a opinião dele sobre isso.


ARTIGO

The West should be prepared--metaphorically speaking--to start stockpiling on heavy winter clothing. An Islamic ice age is about to descend upon us. Be prepared.
Why the Arab Spring Will Descend Into an Islamic Ice Age
Steven Simpson Monday, April 16, 2012


http://www.canadafreepress.com/index.php/article/46013

Tradução

O Ocidente deveria ficar preparado - metaforicamente falando - para iniciar o armazenamento de roupas de inverno pesado.
Uma idade do gelo islâmica está prestes a descer sobre nós. Esteja preparado.
Porque a Primavera Árabe nos levará uma Idade do Gelo islâmico
Steven Simpson segunda-feira 16 abril, 2012

A tão alardeada e elogiada "Primavera Árabe", que tomou o mundo de surpresa em dezembro de 2010, é lenta mas seguramente, está se transformando em um inverno árabe, que inexoravelmente se tornará uma Idade do Gelo árabe islâmica em um futuro próximo.
Já, os pingentes de pan-islamismo estão começando a se formar em todo o Magrebe (Norte de África), e seria melhor o Ocidente se adaptar a realidade que o mantra de "eleições livres e justas" não se traduz em árabe como democracia de estilo ocidental

Tunísia


Ironicamente, o berço da "Primavera árabe" é a -Tunísia, que já está a meio do caminho para se transformar de tirania secular árabe, em dominação islâmica árabe.
O maior partido no parlamento da Tunísia é o partido "moderado" islâmico conhecido como Ennahda (Hizb um Nahda), que significa "Partido do Renascimento."
Quando as eleições foram realizadas em outubro de 2011, o partido ganhou uma pluralidade de 90 lugares no membro 217 Assembléia Constituinte.
Ennahda foi formado por Rashid Ghannouch i, e após 22 anos de exílio retornou como um herói em janeiro de 2011, após a derrubada do Zine El Abidine Ben Ali.
Sr. Ghannouchi, tem sido descrito como um "moderado" por muitos analistas políticos, porém, ele já clamou pelo "fim de Israel.".

Ghannoushi

Ele comparou seu partido com o do AKP islâmico da Turquia ("Justiça e do Desenvolvimento Party"), liderado por o primeiro-ministro Recep Tayyip Erdogan que praticamente transformou a Turquia em uma república islâmica de fato e trouxe as relações com Israel à beira do rompimento.
Infelizmente, o muito aclamado (e talvez não) "Jasmine Revolution" poderia muito bem ter preparado o caminho para o início das "Islamocracias." árabes.
Ou seja, repúblicas islâmicas substituindo regimes seculares pan-árabes através de "eleições livres e justas."

Argélia

Para o oeste da Tunísia está a República Popular Democrática da Argélia, que quase se tornou a primeira república islâmica no mundo árabe em 1991. Naquela época, a Frente Islâmica de Salvação estava à beira de se tornar o maior partido no Parlamento até que o exército entrou em cena, desencadeando uma feroz e sangrenta guerra civil que depois de nove anos deixou o país no caos.
As eleições estão vindo aí em maio, e há uma boa chance de que a troika de partidos islâmicos vá se dar muito bem - mais uma vez - "através de eleições livres e justas".

Marrocos

Depois, temos o Reino de Marrocos.
Embora, atualmente liderado pelo moderado pró-ocidental rei Mohammed VI, o Phoenix islâmico já foi ressuscitado.
Nas eleições de novembro de 2011, o Partido Justiça e Desenvolvimento ganhou 107 lugares no Parlamento membro 395.
O novo primeiro-ministro, Abdelilah Benkirane, é também o líder do partido.
Claro, ele também é considerado um "moderado".
Mas quando olhamos com mais atenção, torna-se claro que o termo "islâmico moderado" não é nada mas que um paradoxo contraditório.

Líbia

Finalmente, existem a Líbia e o Egito.
Na Líbia, o reinado tirânico e assassino de 42 anos do monstruoso Muammar al-Kadafi chegou ao fim de forma abrupta com uma bala na cabeça em outubro de 2011.
Atualmente, a Líbia é governada por uma coalizão de vários partidos e tribos sob a tutela do Conselho Nacional Interino da Líbia.
No papel (ou pelo menos sobre a World Wide Web), parece que a Líbia está sendo governado por um conselho de líderes que estão ansiosos por um país democrático com eleições livres.
No entanto, quando se olha mais perto, o Conselho é liderado por um ex-comparsa de Kadafi, Mustafa Abdul Jalil, que se voltou contra seu patrono em fevereiro de 2011.
Sua formação acadêmica inclui graduação da Universidade da Líbia, onde estudou (o que mais?) a Sharia.
Enquanto Jalil não pode ser um islâmico aberto, há muitos no Conselho que são, mais notavelmente Abdel Hakim Belhaj que lutaram no Afeganistão contra os soviéticos e levou o já extinto Grupo Combatente Islâmico da Líbia.
Na verdade, o Projeto de Constituição da Líbia propõe a consagração da Sharia como base para a lei estadual.
Enquanto apenas um projeto, neste momento, parece ser um mau começo para um futuro "democrático" na Líbia.
No entanto, para que ninguém derrame lágrimas pelo falecido coronel Kadafi, deve-se lembrar que a lei islâmica também foi consagrado no Kadafi na Constituição de 1969, e explicitamente a reafirmou na Constituição de 1977.
As eleições estão previstas para serem realizadas em junho.
Mas a profanação recente de sepulturas britânicas de veteranos da Segunda Guerra Mundial e da resposta morna do Conselho Nacional é um prenúncio de coisas para na Líbia parecem caminhar para guerra civil, ou um Estado islâmico.
A Líbia é atormentada (ou abençoada, dependendo o ponto de vista) por numerosos grupos islâmicos, incluindo a sua primeira filial, a Irmandade Muçulmana, também chamada de Partido da Justiça e Desenvolvimento.

Egito

Finalmente, há a "mãe do mundo árabe," o Egito.
É no Egito que o padrinho de toda a supremacia de grupos islâmicos da Irmandade Muçulmana foi desovado.
A gênese da al-Ikhwan al-Muslimun foi formada em 1928 por Hassan al-Banna, e cuja teologia foi refinado por Sayid Qutb.
No entanto, se olharmos para a realidade e clareza (ao contrário da atual administração americana, para quem em sua totalidade a Irmandade é vista como "moderado" ), veremos que a Irmandade é um movimento violento fascista que procura a dominação islâmica mundial .
Na verdade, a Irmandade é a falange e égide para todos os grupos islâmicos que surgiram em todo o mundo muçulmano.
Concretamente, é nada menos que uma hidra islâmico, e um inimigo implacável do Ocidente, Israel, e todos os não-muçulmanos.


Quando os egípcios derrubaram Hosni Mubarak, em fevereiro de 2011, os políticos e os analistas políticos de todo o mundo ficaram maravilhados e prognosticaram que uma democracia estava vindo para o Egito.
Aparentemente, o povo egípcio tinha outros planos em mente.
Nas eleições parlamentares realizadas em janeiro de 2012, os partidos islâmicos conquistaram 71% dos votos.
Foi um triunfo para os islâmicos por todo o Egito e um mau sinal de uma ressurreição islâmica de proporções monumentais.
O velho ditado "Para onde o Egito vai, assim vai o mundo árabe" parece ser uma profecia que aparece no horizonte.
O triunfo final de um Egito islâmico será a eleição presidencial que será realizada no final de maio.
Agora, em 2012, parece que os sonhos de al-Banna e Qutb a transformação do Egito em um estado islâmico virão a ser concretizadas.
Nesta situação dois muçulmanos foram proibidos de funcionar.
Estes são o candidato Salafi, Hazem Abu-Ismail, que era o que estava na frente, e os irmãos " Khairat al-Shater do "Partido Liberdade e Justiça."
Ambos estão tentando apelar contra o veredicto.
Os irmãos já tem um candidato backup, Mohammed Mursi.
Outro ex-irmão, Abdel Moneim Abul Fotouh- está também em formação.
Independentemente disso, parece um fato consumado que um islamista vai realmente ganhar, isto significa que o destino do Egito está hermeticamente fadado a ser um estado islâmico.
Embora este artigo não abrange o recrudescimento dos movimentos islâmicos no Mashreq (Leste), englobando os estados rodeados de sangue como Síria, Líbano, Iraque, Iêmen e Bahrein, o islamismo está chegando lá também.
A mensagem é clara e muito simples: Os adeptos de Maomé não vão trocá-lo em breve por Washington, Jefferson, ou Madison.

Steven Simpson tem um B.A. em Ciências Políticas com ênfase em estudos do Oriente Médio, ele também é Master’s Degree in Library Science.



***

Texto relacionado este:

A guerra civil na Síria e a hipocrisia ocidental


http://comentriossobreacontecimentosmundiais.blogspot.com.br/2012/02/guerra-civil-na-siria-e-hipocrisia.html


***

Meu email para Steven Simpson.

Boa tarde!

Primeiramente gostaria de parabeniza-lo pela sua rara interpretação dos acontecimentos no Oriente Médio.

Eu li e reli seu artigo com atenção porque eu também a tempos tenho a mesma interpretação que você teve de para onde a "primavera árabe" irá levar o Oriente Médio.

Entretanto, por favor, eu gostaria de fazer duas perguntas a você sobre o assunto:

1. Qual a sua opinião com respeito as causas da ingênua compreensão que o ocidente está tendo de que a "primavera árabe" irá levar a democracias?
O que claramente não acontecerá.

2. O que você acha que irá acontecer a Israel, e ao Oriente Médio como um todo, depois que o Oriente Médio e o Norte da África se tornarem uma grande União de Republicas Islâmicas?

Muito obrigado.


Resposta de Steven ao meu email:

Steven Simpson
terça-feira, 14 de Agosto de 2012 11:13
Re: Arab Spring


Thank you for your letter. I appreciate your comments.

I think that it is all very simple.
The Arab race is most comfortable with Islam. Everything else has failed for them in the modern world, so why not give Islam a chance?
As for the West, they are blind to the Arab’s attachment to Islam.
Much like a child is drawn to his father and mother, it is the same with the Arabs and Islam.
It is a security blanket for them.
The West has become completely secular, if not atheist, and they cannot fathom that a people actually believe in a “holy book” as the word of a god.
This is to the Arabs advantage.
Also, the West has a fond spot in their heart for Islam as they see it as being inherently anti-Western (which it is).
Liberals and leftists see Islam as “cool” and have a romanticized view of it.
Of course, once Islam takes over, they will do away with the liberals and westerners.

Regarding what will happen.
Eventually, (perhaps a decade, or even less) we will see an Islamic revival unparalleled in history.
It does not bode well for Israel, nor for the West.
My personal opinion is that it will end with a disastrous war.
And indeed, it might happen very soon between Israel and (non-Arab) Iran.

If one really understands the situation of Islam vis-a vis the West, then it has to come down practically to a war of annihilation.
Islam seeks global supremacy.
For those who are not Muslims, this means either acceptance of Islam, death, or fighting it by all means necessary.

Regards,


Steven

TRADUÇÃO

Obrigado por sua carta. Eu apreciei os seus comentários.

Eu acho que é tudo muito simples.
O objetivo árabe é mais confortável com o Islã.
Todo o resto falhou para eles no mundo moderno, então porque não dar uma chance ao Islã?
Quanto ao Ocidente, eles estão cegos (não percebem) para o apego dos árabes para com o islamismo.
Muito parecido (o comportamento ocidental) com o de uma criança sendo embalada pelo seu pai e mãe, isto também acontece com os árabes (o povo) em relação ao Islã.
É uma proteção segura para eles.
O Ocidente tornou-se completamente secular, talves até ateu, e eles (o ocidente) não conseguem imaginar que um povo possa realmente acreditar em um "livro sagrado", como sendo a palavra de um deus.
Esta é a vantagem dos árabes.
Além disso, o Ocidente (os politicamente corretos ocidentais) tem um certo gosto em seu coração pelo Islã pois eles o vêem como inerentemente anti-ocidental (e realmente é).
Os libertários e esquerdistas vêem o Islã como "maneiro" e tem uma visão romantizada do mesmo.
Mas claro, uma vez que o Islamismo tome o poder, eles vão acabar com os libertários e esquerdistas ocidentais.

Quanto ao que vai acontecer.
Eventualmente, (talvez uma década, ou até menos), vamos ver um renascimento islâmico paralelo na história.
Isso não trás nada de bom para Israel, nem para o Ocidente.
Minha opinião pessoal é que isso vai acabar em uma guerra desastrosa.
E, de fato, pode acontecer muito em breve (uma guerra) entre Israel e o Irã (que não é árabe).

Se alguém realmente entende a posição do Islã frente (vis-a vis. cara a cara) ao Ocidente, então vai perceber que se encaminhará para uma guerra de aniquilação.
O Islã busca a supremacia global.
Para aqueles que não são muçulmanos, isto significa, ou a aceitação do Islã, a morte, ou combatê-lo por todos os meios possíveis.

Atenciosamente,


Steven


Meus comentários a respeito da opinião expressada pelo Steven:

Concordo com tudo sem tirar uma palavra sequer.
Não existe no texto de Steven nenhum pessimismo, é uma análise empírica da situação.
É exatamente isso que irá acontecer.
Quem viver verá.


***

segunda-feira, 6 de agosto de 2012

Comunidade internacional - o que é isso ?

"comunidade internacional" - o que será que estão querendo dizer quando escrevem isso na midia ?


No mundo atual, dominado pela ideologia marxista "cultural" politicamente correta, é muito comum o surgimento de "designações" inventadas para diversas situações que os politicamente corretos pretendem instituir de forma emblemática como conceito ou rótulo.

Tais formas de expressão, artificialmente criadas, não surgem de baixo para cima, elas não surgem do povo na rua para se incorporarem ao vocabulário, como por exemplo as gírias "meu", "cara", "barato", "focar", etc, elas surgem na midia, a midia começa a usar essa expressão ou palavra, como por exemplo a palavra "protagonista", essa palavra não surgiu no povo, pois é uma palavra que o povo não usa, isso é coisa de "intelectual", o uso dessa palavra surgiu na midia, de cima para baixo, e a sua contínua repetição faz outros usarem a palavra.
É uma forma artificial porque o novo uso da palavra tem significado diferente do anterior, um novo "personagem" foi criado artificialmente.
Mas, para o caso do "protagonista", apesar da repetição não pegou, porque não é real.

Esses "conceitos", como no caso do mais recente que é tema deste texto, o termo "comunidade internacional", contém um conteúdo ideológico sutilmente camuflado que os politicamente corretos desejam desanimar paulatinamente na sociedade, dia a dia, que vai ser exaustivamente repetido até que se torne senso comum, até que se infiltre no subconsciente das pessoas e elas passem a ter aquele "conceito" como incorporado as suas realidades.

Vejamos alguns exemplos do uso desse termo na midia:

23/07/2012 - 16h43
Comunidade internacional vigiará armas químicas da Síria, diz ONU
DAS AGÊNCIAS DE NOTÍCIAS

Oposição síria faz apelo à comunidade internacional para armar rebeldes
ESTADÂO
29 de julho de 2012

Comunidade internacional oferece US$ 16 bi ao Afeganistão
AFP
08.07.2012

22/10/2011 - 07:24:00 por BBC Brasil
Comunidade internacional pede detalhes da morte de Khadafi

15/08/2011 - 00:00:00 por Gustavo Chacra
Estratégia de Assad divide comunidade internacional

31/07/2011 - 20:21:00 por BBC Brasil
Comunidade internacional condena violência na Síria

14/05/2011 - 00:00:00 por Mahmoud Jibril
O que esperamos da comunidade internacional.

18/03/2011 - 14:15:00 por BBC Brasil
Comunidade internacional reage com cautela a declarações de Khadafi

Resolução na ONU busca mostrar isolamento de Assad na comunidade internacional
TV Estadão | 03.08.2012



Mas, o que seria essa "comunidade internacional" ?

Por exemplo na notícia colocada acima:

31/07/2011 - 20:21:00 por BBC Brasil
Comunidade internacional condena violência na Síria


Quem seria a "comunidade internacional" que está "condenando a Síria" ?
- A Rússia não faz parte dessa "comunidade" uma vez que a Rússia é aliada da Síria.
- A China também não faz parte da tal "comunidade", pois também é amiga da Síria.
O Brasil também não faz parte dessa "comunidade", pois não condenou nem aprovou os acontecimentos na Síria, o Brasil se mantém isento.
E podemos também afirmar com certeza que o Peru, a Costa Rica, Uganda, Nigéria, Mongólia, Cuba, Paquistão, etc, também não fazem parte da tal "comunidade internacional", uma vez que não se manifestaram nem contra nem a favor.

Então quem faz parte dessa "comunidade internacional" no caso da notícia ?
Sabemos muito bem quem está "condenando" a Síria, são o EUA e a França, e a Inglaterra por ser aliada do EUA acompanha.
A tal "comunidade internacional" trata-se efetivamente de 3 nações, EUA, França, e por tabela a Inglaterra.


Comunidade internacional...


Quando a "comunidade internacional" começou a bombardear de forma covarde a Líbia, os aviões não eram da OTAN, eram do EUA e da França e de mais ninguém, mesmo depois quando a OTAN foi colocada como "testa de ferro", os aviões que atacavam a Líbia em nome da OTAN eram 90% da França.
Então, no caso da destruição das forças de Kadafi e o subsequente assassinato dele, a "comunidade internacional" que ajudou os "rebeldes" foram Obama e Sarcozy.

E no caso da notícia acima sobre a Síria também a "comunidade internacional" são Hillary, Obama, o chefe da ONU, e a França, eventualmente o primeiro-ministro da Inglaterra diz alguma coisa para fazer parecer que também está participando.
E eles colocaram em votação na ONU diversas "resoluções" na tentativa de fazerem na Síria o que fizeram na Líbia.
Só que agora será mais difícil, pois a Rússia já percebeu a intenção.


A "idéia" de "comunidade internacional" é uma anseio marxista, desde que Karl Marx escreveu na última linha do Manifesto Comunista de 1848 "Proletários de todo o mundo, uni-vos!", esse anseio permanece na insana cabeça dos marxistas, implantar o marxismo no mundo todo, mas, apesar das inúmeras tentativas de revoluções e golpes, eles não conseguiram pela força realizar os desejos de Karl Marx, por isso partiram para a alternativa "cultural" que se propôs, desde já 80 anos atrás, a mudar o senso comum da sociedade ocidental.

A introdução do termo "comunidade internacional", quer na verdade não existe, faz parte da intenção do marxismo cultural de enfiar artificialmente na cabeça das pessoas o "conceito" de que existe uma "comunidade internacional" preocupada com os destinos do mundo.
E como eles são incansáveis, nem mesmo sucessivas derrotas e catástrofes causadas por eles em nome dessa loucura os faz deixar de trabalhar em prol dessa ilusão, eles vão continuar a criar essa artificialidade na tentativa de com ela "mudar o mundo".

É a doença mental que apareceu na humanidade com o progresso econômico e cultural que gerou seres humanos com a mente atrofiada devido a ausência das condições de vida duras do passado humano.
Não surgem "politicamente corretos" entre o povo comum... os politicamente corretos surgem nas camadas mais abastadas ... como a dupla Marx e Engels, Engels era riquíssimo, e Marx veio de uma família judia abastada e casou com uma moça rica.
Ambos, Marx e Engels foram até o último fio de cabelo - capitalistas, pois viveram a vida toda sem trabalhar e por grande parte da vida foram sustentados pelo dinheiro de juros pagos por bancos depois que Engels vendeu as propriedades que herdou do pai e aplicou o dinheiro, e deu a Marx por mais de 20 anos uma "mesada" mensal.

Essa doença mental "revolucionária" prolifera entre os "intelectuais" da palavra, inúteis que se acham cultos mas que não tem o aplauso das multidões que gostariam de ter, por isso querem destruir a sociedade atual que não os premia.
A sociedade liberal não premia vagabundos, premia apenas os que trabalham e são competentes na produção de bens úteis para a sociedade.


***
 
 

Texto escrito em 09/04/2013


Sobre a nova designação dos locais onde acontecem jogos de futebol


Desde quando se começou a jogar futebol o local onde as partidas eram efetuadas era chamado de "campo", "campo de futebol", o campo de futebol sempre foi coberto por grama, com o passar do tempo e com a profissionalização do futebol foram sendo construídas estruturas nos campos de futebol para as pessoas poderem ver melhor o jogo, foram chamadas de "arquibancadas", como os clubes passaram a cobrar pelo ingresso para ver os jogos tais espaços passaram a ser cercados com muros altos e com portões e bilheterias para vender os ingressos.
Para maior segurança dos jogadores foram construídos "alambrados" (cercas) em volta do campo de futebol, entre o alambrado e o campo, em muitos locais, foram construídas pistas de atletismo, foram feitos túneis subterrâneos para ligar os vestiários ao campo, foram construídas torres de iluminação nos lados do campo para que pudessem acontecer jogos a noite, foram construídas acomodações para a imprensa poder transmitir e documentar os jogos, etc.

Toda essa estrutura ficou sendo conhecida como sendo um ESTÁDIO DE FUTEBOL.
Mas o gramado, o espaço onde a partida é disputada continuou sempre sendo chamado de "campo".

Estádio do Maracanã, Estádio do Pacaembu, Estádio do Mineirão, Estádio da Fonte Nova, Estádio Beira-Rio, etc.
O uso da palavra "estádio" entre o povo foi sempre usada para se referir ao local dos jogos de futebol.
Um colega dizia ao outro - vamos para o estádio ver o jogo!

Em vista disso, de a muito tempo, os dicionários descrevem o significado da palavra "estádio" da seguinte forma:

estádio
[Do gr. stádion, pelo lat. stadiu.]
Substantivo masculino. 
1.Campo de jogos esportivos.


Estes são estádios de futebol e não arenas

Porém, de uns tempos para cá, apareceu na midia uma nova designação para o local onde acontecem os jogos de futebol, a midia passou a se referir a "arena" e não mais a "estádio".
Essa mudança não partiu do povo, surgiu de cima para baixo, foi sendo IMPOSTA ao povo por repetição na midia.

Como todas as palavras criadas artificialmente pelos "criadores de palavras" essa nova designação é equivocada, um local onde se joga futebol não é uma arena.
O Coliseu de Roma é uma arena, pois era lá que eram feitos os combates entre gladiadores, ou entre gladiadores e leões, arena é um local onde são efetuados combates, lutas corporais, o "campo" em uma arena é redondo e de terra batida com areia por cima, e não com grama, e a arquibancada também é redonda e não reta como em campos de futebol

Vejamos o que o dicionário diz sobre a palavra "arena":

arena
[Do lat. arena.]
Substantivo feminino. 
1.Área central, coberta de areia, nos antigos circos romanos, onde combatiam os gladiadores e as feras;
2.Espaço central do circo, onde se exibem os artistas; picadeiro.
3.Terreno circular, fechado, para corridas de touros e outros espetáculos.
4.Teatr.  Palco, nos teatros de arena.
5.Estrado alto, para lutas de boxe.
6.Lugar de debate; campo de discussão. 


O Coliseu é, ou foi, uma arena

Não se vê ai o significado de "local onde se realizam eventos esportivos".
Não se vê porque não é, porque não tem esse significado.

O campo de futebol que o Corinthians tem no Parque São Jorge é chamado apenas de "antigo estádio do Corinthians", por que então o campo de futebol que está sendo construído em Itaquera tem que se chamar "arena" ?
Não deveria, pois é incorreto, não é uma arena, é um estádio de futebol, deveria se chamar de "novo Estádio do Corinthians".
O de Brasília deveria se chamar "Estádio Mané Garrincha", etc.

Mas, os "intelectuais" criadores de palavras querem "transformar o mundo", e fazem isso nem que seja as custas de erros de português.
Isso não importa para eles, o que eles querem é "mudar conceitos" nem que a mudança seja para algo ilusório.

Rotineiramente estão surgindo novas designações como estas feitas pelos "intelectuais" que querem "transformar o mundo", e eles estão realmente transformando o mundo.... só que estão transformando o mundo em uma ilusão, em um local irreal, baseado em coisas irreais.

Essa nova vida com base em ilusão, na falta de realidade, com certeza a longo prazo levará a humanidade ao caos, pois quando a natureza sempre dura, e a realidade sempre cruel, baterem na porta da humanidade essa humanidade alienada não estará prepara para enfrentar a dura realidade que vigora no universo.

***









sábado, 4 de agosto de 2012

Por que José Dirceu e seu grupo tiveram enorme desprezo a ética, ao estado de direito, a democracia, ao contribuinte e a moral nas ações do mensalão ?

Mais a frente vamos responder a pergunta do título, antes porém, vamos mostrar alguns trechos da acusação feita pelo procurador-geral da república no STF.


"As investigações efetuadas pela Comissão Parlamentar Mista de Inquérito e também no âmbito do presente inquérito evidenciaram o loteamento político dos cargos públicos em troca de apoio às propostas do Governo, prática que representa um dos principais fatores do desvio e má Denúncia no Inquérito nº 2245 7 aplicação de recursos públicos, com o objetivo de financiar campanhas milionárias nas eleições, além de proporcionar o enriquecimento ilícito de agentes públicos e políticos, empresários e lobistas que atuam nessa perniciosa engrenagem."

"O conjunto probatório produzido no âmbito do presente inquérito demonstra a existência de uma sofisticada organização criminosa, dividida em setores de atuação, que se estruturou profissionalmente para a prática de crimes como peculato, lavagem de dinheiro, corrupção ativa, gestão fraudulenta, além das mais diversas formas de fraude.
A organização criminosa ora denunciada era estruturada em núcleos específicos, cada um colaborando com o todo criminoso em busca de uma forma individualizada de contraprestação.
Pelo que já foi apurado até o momento, o núcleo principal da quadrilha era composto pelo ex Ministro José Dirceu, o ex tesoureiro do Partido dos Trabalhadores, Delúbio Soares, o ex Secretário-Geral do Partido dos Trabalhadores, Sílvio Pereira, e o ex Presidente do Partido dos Trabalhadores, José Genoíno.
Como dirigentes máximos, tanto do ponto de vista formal quanto material, do Partido dos Trabalhadores, os denunciados, em conluio com outros integrantes do Partido, estabeleceram um engenhoso esquema de desvio de recursos de órgãos públicos e de empresas estatais e também de concessões de benefícios diretos ou indiretos a particulares em troca de ajuda
financeira.
O objetivo desse núcleo principal era negociar apoio
político, pagar dívidas pretéritas do Partido e também custear gastos de campanha e outras despesas do PT e dos seus aliados.
Com efeito, todos os graves delitos que serão imputados aos denunciados ao longo da presente peça têm início com a vitória eleitoral de 2002 do Partido dos Trabalhadores no plano nacional e tiveram por objetivo principal, no que concerne ao núcleo integrado por José Dirceu, Delúbio Soares, Sílvio Pereira e José Genoíno, garantir a continuidade do projeto de poder do Partido dos Trabalhadores, mediante a compra de suporte político de outros Partidos Políticos e do financiamento futuro e pretérito (pagamento de dívidas) das suas próprias campanhas eleitorais.
Uma vez surgida a demanda criminosa dos referidos
denunciados, era preciso montar os mecanismos para viabilizar o projeto idealizado.
Nesse ponto, e com objetivo unicamente patrimonial, o até então obscuro empresário Marcos Valério aproxima-se do núcleo central da organização criminosa (José Dirceu, Delúbio Soares, Sílvio Pereira e José Genoíno) para oferecer os préstimos da sua própria quadrilha (Ramon Hollerbach, Cristiano de Melo Paz, Rogério Tolentino, Simone Vasconcelos e
Geiza Dias dos Santos) em troca de vantagens patrimoniais no Governo Federal."

"O mensalão Foi sem dúvida o mais atrevido e escandaloso caso de corrupção e desvio de dinheiro publico realizado no Brasil"

Roberto Gurgel, Procurador-geral da República.

Fonte:
http://noticias.pgr.mpf.gov.br/noticias/noticias-do-site/copy_of_pdfs/INQ%202245%20-%20denuncia%20mensalao.pdf/view


Comentários:

É realmente estarrecedor tomar conhecimento da quantidade de ações ilícitas praticadas por esse grupo!
Eles pareciam que estavam jogando o "banco imobiliário" e tudo fosse apenas uma brincadeira.

Milhões e mais milhões de reais do dinheiro público, dinheiro que os trabalhadores e as empresas pagam em impostos ao governo sendo roubados pelo grupo como se isso fosse a coisa mais normal do mundo !

Muitas pessoas podem se perguntar - tais pessoas são do PT, são do Partido dos Trabalhadores, supostamente gente preocupada com os trabalhadores, os petistas acusaram tantas pessoas de corrupção, como podem eles roubarem o dinheiro público em muito maior quantidade do que aqueles que eles acusaram ?

A resposta é - podem porque José Dirceu, o chefe de todos, é comunista.
José Genuino - presidente do PT na época - também é comunista.


Comunistas não tem ética.
Comunistas não tem moral.
Comunistas não tem compromisso com nenhum dos valores da sociedade ocidental.
Estado de Direito, democracia, justiça, honra, ética, moral, princípios - nada disso tem valor para marxistas/comunistas - pois tais coisas são justamente o que eles querem destruir !

O marxismo comunista "cultural" quer destruir as bases da civilização ocidental que segundo eles são as culpadas pelo ocidente não ter aceito o marxismo/comunismo, os valores da sociedade ocidental são: a moral judaico cristã simbolizada pela família (marido, esposa, avô, avó, filho, filha, tia, prima, tio, primo, etc), a ética e a filosofia gregas e o Estado de Direito democrático baseado no Direito Romano, as bases culturais da sociedade ocidental, são para marxistas/comunistas "valores burgueses" e devem ser destruídos para que assim o comunismo possa ser implantado.

E para atingir esse objetivo maior nada os impede, não terão ética alguma, uma fez que "ética" é um "valor burguês", a democracia é a "democracia burguesa" e deve ser destruída a qualquer custo.
Nada os impedem, podem mentir, falsificar, trapacear, adulterar, furtar, subornar, corromper, roubar, prender e matar pois isso fazem em nome de uma "causa maior" que é a "transformação do mundo".
Exemplos disso não faltam, desde Lenin, Stalin, Mao, Pol Pot, Min, LIn, todos mataram milhões de pessoas dentro de suas próprias nações em nome da "sublime causa" revolucionária.

É por isso que todos negam, mesmo diante de toneladas de provas eles negam, são cara de pau ?
- Não, eles negam porque acham que estão certos.
Essa "certeza" quem lhes dá é a neurose, é a doença mental que possuem dentro da cabeça, agem como loucos fora da realidade transcendente.


Todos os marxistas, todos os comunistas, são iguais - e eles é que estão com os destinos do Brasil nas mãos atualmente.



***

quinta-feira, 2 de agosto de 2012

A culpada é a sociedade...

Hoje ao ligar a TV tive o desprazer de ver a cara redonda rodeada de barbas por todos os lados de um "intelectual" marxista sendo entrevistado por um programa que estaca colocando em discussão o problema dos menores infratores
A resposta do "intelectual", como não poderia deixar de ser, foi o mesmo lugar comum que todos eles respondem, disse ele - "que a sociedade "descuidou" dos adolescentes"...

Evidentemente os membros dessa ralé da humanidade nunca juntam a suas acusações ideológicas provas abalizadas que dariam a elas credibilidade.
Tais trapaceiros jamais respondem a seguinte pergunta: Por que de uma escola do primeiro grau de subúrbio, onde estudam por exemplo 30 alunos na sua oitava série, destes 30, que cresceram juntos na escola, que tiveram o mesmo ensino dado pela sociedade a eles - apenas 1 ou 2 se tornam menores infratores e os demais não se tornam ?

A sociedade é a mesma para todos, por que os 30 alunos que tiveram a mesma educação não se tornam infratores ?
Se é a sociedade a culpada isso deveria acontecer.
Mas, não acontece, a maioria dos alunos segue normalmente a vida e se tornam pessoas de bem, um ou outro deles se tornam infratores.

A mesma pergunta pode ser feita para uma favela - por que em uma favela como a da Rocinha no Rio de Janeiro existem jovens, a maioria, que estudam e trabalham e se tornam pessoas honestas, e apenas alguns poucos se tornam bandidos ?
Se é a sociedade a culpada todos os jovens da Rocinha deveriam ser bandidos!

Por que acontece isso "intelectuais" marxistas ?

Não responderão...
Eles jamais irão responder a isso...
Não vão por que qualquer resposta que inventarem será a refutação da mentira que falam!

A resposta é: isso acontece pelo mesmo motivo que apenas alguns seres humanos conseguem ser craques do futebol como Ronaldo, Romário, Messi, Zidame, ou Cristiano Ronaldo.
Os seres humanos tem personalidades diferentes, cada ser humano é um ser único no mundo, com personalidade e razão diferentes de todos os demais, independente da sociedade onde viva.
Mesmo na civilizada Noruega existem assassinos violentos, mesmo no islâmico Irã existem aqueles que não são muçulmanos, mesmo da parte pobre do nordeste brasileiro pode sair um retirante que irá se tornar presidente do país.


Quais são as razões dos "intelectuais" marxistas para praticarem essa maledicência contra a sociedade democrática liberal ?

As razões são duas:
1. Eles próprios detestam o sistema liberal porque o sistema liberal premia aqueles que produzem coisas reais, e não apenas palavras como eles, coisas que a população gosta e que lhes tenha serventia, o povo aplaude aqueles que produzem coisas que lhes melhore a vida.
Assim, Bill Gates obteve sucesso dentro do sistema liberal porque ele fez coisas que a humanidade gostou - o Wnidows, o MSN, o Word, o Excel, etc.
Os donos da Arisco tiveram sucesso porque produziram coisas, os temperos prontos, que a população aceitou com grande satisfação, porque facilitaram a vida de todo mundo!
Os "intelectuais" marxistas detestam isso...
As multidões preferem ir a um show do U2 do que ir assistir uma palestra deles !


2. Para se juntar a essa raiva congênita que os "intelectuais" marxistas possuem contra a sociedade liberal foi criada a doutrina de Karl Marx.
Karl Marx também nutria enorme ódio contra a sociedade democrática "burguesa" e contra os bem sucedidos, e criou uma ideologia cuja intenção era, e ainda é, destruir a sociedade democrática liberal e implantar a "ditadura do proletariado" alardeada por Karl Marx como a preparação para o "comunismo", que ele mesmo não sabia como seria, mas, com essa ilusão, 150 anos depois, seus seguidores com trabalho de doutrinação incansável, estão conseguindo convencer a milhões de alienados mundo afora, propensos a aceitar passivamente essa mentira.
Essa "promessa divina" marxista nada mais é do que o que existe em Cuba, existiu na URSS e em mais dezenas de nações do mundo no século XX - a ditadura socialista.
A maior mentira jamais inventada por uma ideologia!

São estas as razões que levam os "intelectuais" marxistas a dizerem que a sociedade é culpada de uma série de coisas, mas que, é apenas a forma maledicente que encontraram para tentar destruir a sociedade que odeiam.


O que a sociedade democrática liberal propiciou a humanidade ?

A democracia liberal deu início a "Idade Contemporânea" a partir do ano 1800 DC, antes era a "Idade Moderna" com seu sistema mercantilista com reis absolutistas e escravidão, a democracia liberal pois fim ao absolutismo real e implantou a democracia representativa, pôs fim a escravidão que existia a milhares de anos na humanidade, o sistema liberal pela primeira vez fez os humanos colaborarem entre si em prol do benefício comum com a criação da "divisão do trabalho"!
Como disse Adam Smith, antes da divisão do trabalho para fazer um alfinete um humano demorava um dia, com a divisão do trabalho 10 humanos trabalhando juntos produzem 1000 alfinetes em um dia !

Esse aumento na produção de bens que a democracia liberal trouxe para as nações do mundo que a implantaram de forma séria e correta as tirou da milenar miséria.
Durante milhares de anos a humanidade em todas as partes do mundo vivia na miséria governada por uma minoria real rica, com a democracia liberal isso mudou, e diversas nações do mundo conseguiram, depois de milhares de anos, tirar seu povo da miséria.

A sociedade democrática liberal transformou a vida de grande parte da humanidade e deu aos seres humanos uma qualidade de vida que jamais tiveram!!

Vamos colocar uma situação para ilustrar esse fato.

Um casal que se casem, jovens ainda, com a idade 20 anos, sendo que a moça cuida da casa e o marido trabalha em uma empresa, e eles tenham um filho, esse filho tem salvaguardas dadas a ele pela sociedade.
Se o pai por uma fatalidade morre, a esposa e o filho vão receber pensão que lhes vai dar sustento - e quem vai arcar com essa despesa - é a sociedade - uma vez que o homem era jovem e apenas tinha iniciado as suas contribuições a previdência social.
A sociedade liberal criou esse "direito" que é dado a milhares de pessoas por ano.
Isso jamais existiu antes na humanidade!

Milhões de trabalhadores rurais brasileiros que nunca pagaram previdência social, mas que estão velhos, recebem hoje em dia aposentadoria e assistência médica - quem paga essa enorme despesa é a sociedade.

A educação "pública" quem a proporciona - é a sociedade - e não o governo.
O dinheiro para pagar todas as despesas com escolas vem da sociedade, tudo que é "público" é a sociedade que paga com seu trabalho, é a sociedade, dos que trabalham, que paga.

Agora, acredito que qualquer pessoa honesta sabe que se em uma escola pública, paga pela sociedade, em uma sala da oitava série do primeiro grau com 30 alunos, se um dos alunos se torna bandido, culpar a sociedade por isso é uma sacanagem digna apenas das mentes torpes e dementes de marxistas.

E a razão desses dementes, como já foi mostrado, não é o bem estar dos menores, mas sim, a destruição da sociedade que eles odeiam por motivos pessoais.


***