A alienação

A alienação

quinta-feira, 4 de abril de 2013

Quais as origens da corrupção no Brasil ?

O Brasil não é um estado-nação, é apenas um estado.

Estado-nação.

O estado-nação moderno surgiu na Europa no final da Idade Média (século XV).
Após a queda do Império Romano no Século V DC a Europa ficou sem um poder hegemônico e começaram a surgir pequenos núcleos de poder que ficaram conhecidos como "feudos" e neles existia um "senhor feudal".
O senhor feudal inicial era um guerreiro que lutou e conquistou aquele pedaço de terra e estabeleceu ali o seu domínio sobre os demais que passaram a ser seus "servos", foi desta forma que surgiu o Feudalismo.
Os senhores feudais sempre tiveram a seu lado a igreja católica que pouco a pouco foi aumentando o seu poder moderador por toda a Europa, os Papas passaram a ser importantes e dividiam o poder com os senhores feudais.
Esta sociedade feudal medieval permaneceu imutável por 1000 anos!
Os feudos tinham vida própria e em vista disso durante toda a Idade Média houve pouca migração dentro da Europa, isto colaborou para que depois de 1000 anos surgissem entre as pessoas de um feudo característica antropológicas, linguísticas e culturais semelhantes, falavam a mesma língua e tinham os mesmos costumes, e também tinham a mesma aparência antropológica, as pessoas dentro do feudo tinham uma identidade comum.
Nos demais feudos acontecia a mesma coisa, só que cada feudo era diferente do outro, falavam outra língua e tinham outros costumes e diferenças antropológicas.
Foi assim que surgiram os franceses, os holandeses, os portugueses, os espanhóis, os ingleses, os alemães, os poloneses, os húngaros, etc.

No final da Idade Média, na segunda metade do século XV, devido a um conjunto de acontecimentos, o senhor feudal perdeu seu poder para o rei absolutista, o rei representava a nação (povo de uma região) recém surgida, o rei iria governar tendo uma corte de nobres e a tutela da igreja católica, foi desta forma que surgiu o estado-nação, que era uma região demográfica onde viviam pessoas que tinham a mesma identidade histórica, antropológica, linguistica, e de costumes.
 
Regiões feudais na Europa medieval que deram origem aos atuais estado-nação europeus.

Os exemplo maiores de estado-nação foram a França, a Espanha, a Prussia (Alemanha), a Holanda, a Bélgica, a Áustria, a Húngria, a Polônia, Rússia, e a Inglaterra.
A Itália não foi formada nesta época, a Itália não é um estado-nação, pois as cidades italianas tiveram enorme poder através de seus principados, tais como Veneza, Florença, Milão, Nápoles, Gênova e Roma, isso fez com que na bota italiana não aparecesse uma nação única, apesar da língua ser a mesma devido ao latim falado ali desde o Império Romano, posteriormente, através de uma longa guerra, a Itália foi unificada, mas, não existe identidade nacional entre por exemplo a Calábria, Roma e Milão.
A Itália neste aspecto tem muito em comum com o Brasil. [RF 1]


Conceito de "nação".

Desta forma podemos conceituar o que vem a ser uma "nação" - são seres humanos que vivem em uma determinada região territorial e que tem a mesma identidade antropológica, tem os mesmos costumes, tem uma economia comum, e tem a mesma cultura. [RF 2]

Podemos encontrar em outras regiões do mundo nações que apesar de terem surgido de forma diferente das nações da Europa incorporam as mesmas características para se configurarem politicamente como "estado-nação", é o caso do Japão, da China, Coreia, Vietnã, Índia, Irã, Turquia, os árabes, e também podemos ter estados-nação formadas a partir das colônias, tais como o EUA, o Canadá e a Australia, Argentina e México também conseguiram estabelecer uma identidade nacional.


A formação do Brasil.

O Brasil foi descoberto oficialmente, que é o que nos importa, no ano de 1500 por Portugal, e os portugueses vieram para cá colonizar as novas terras conquistadas.
Porém, o rei português já em 1532 estabeleceu aqui a fundação de Capitanias Hereditárias que dividiam todo o litoral do Brasil em faixas retilinias de terra indo do litoral até a linha de Tordezilhas no interior do Brasil.
As capitanias hereditárias nada mais eram que FEUDOS, cada uma delas foi dada para um nobre português administrar.
As capitanias, tal como os feudos, muito pouco se comunicavam, e mesmo depois com o estabelecimento do Estado Geral, a separação administrativa entre essas áreas de terra continuou, isto fez surgir no Brasil ao longo dos séculos diversas "nações', tais como os baianos, os pernambucanos, os cearenses, os mineiros, os cariocas, os paulistas, os gaúchos, os amazonenses, os paraenses, etc. [RF 3]

 
As Capitanias Hereditárias foram feudos que os porugueses estabeleceram no Brasil.

Se analisarmos o povo baiano vamos constatar que existe uma identidade histórica, cultural, antropológica e política, entre eles, o mesmo vamos encontrar no povo gaúcho, porém.... os baianos são diferentes historicamente, antropologicamente e culturalmente dos gaúchos, e até mesmo na língua, apesar de ambos falarem português, são diferentes, falam diferente e tem muitos vocábulos diferentes.
 
O gaúcho, o mineiro, o alagoano, pertencem a culturas diferentes.

 
Da mesma forma que pernambucanos e paulistas tem muito pouco em comum em costumes e cultura.


Esclarecimento importante

Devemos enfatizar que não estamos aqui falando de racismo ou qualquer outro preconceito que alguém possa querer imputar.
Não estamos aqui qualificando ninguém como sendo superior.
Estamos aqui fornecendo provas fatuais do que estamos mostrando.
Estamos mostrando que existem enormes diferenças culturais, históricas e antropológicas entre os povos dos estados brasileiros, em nenhum momento estamos dizendo que um é superior ao outro.
A finalidade dessa nossa argumentação é dar uma explicação do por que é tão difícil o Brasil eliminar a corrupção e se tornar uma nação melhor.
Que fique bem claro isso para que não sejamos vítimas de maledicência.


O Brasil é um país onde existem fortes raízes regionais, em cada estado brasileiro existe uma "nação" diferente, e esta é uma realidade que é um gravíssimo erro ignorar. O Brasil não é um "estado-nação" no sentido real do termo, e isso implica em problemas se o tratamos como tal.

Devido ao que foi dito anteriormente no Brasil existe uma forte identidade regional que supera em muito a identidade nacional.
Existe no Brasil muita hipocrisia quanto a ser "brasileiro", digo que é hipocrisia porque isto não existe na prática, ou quando muito existe apenas quando a seleção de futebol vai jogar, mesmo nesta, os habitantes de cada estado sempre irão fazer de tudo para que os jogadores do seu estado convocados sejam titulares, mesmo que existam outros jogadores sabidamente melhores.

 
Cariocas e cearenses quando a seleção brasileira joga, torcem para que os jogadores de seus estados sejam os titulares.


É o que ficou conhecido no Brasil como "bairrismo". [RF 4]

E este bairrismo não se manifesta apenas no futebol, se manifesta também de uma forma não declarada entre os diversos estados, apesar de não declararem abertamente, é sabido que baianos e pernambucanos não se gostam, da mesma forma que paulistas e cariocas são desafetos, cearenses e maranhenses não se bicam, e essa animosidade existe entre a maioria dos estados do Brasil.

 
Gaúchos e baianos são povos diferentes...


É evidente que juntar todas estas diferenças em um mesmo estado nacional centralizador tinha grandes chances de possuir enormes entraves políticos e econômicos.
Esta ação bairrista se propaga para as questões econômicas e políticas e é a principal causa da enorme corrupção que existe no governo federal.


Os "Estados Unidos do Brasil".

Inicialmente, após a proclamação da república (Constituição de 1891), o Brasil começou certo sua organização política, era os "Estados Unidos do Brasil", uma União de estados membros que possuíam constituições e leis próprias e grande independência administrativa do governo central da União, uma providência extremamente correta pois era exatamente o que existia na prática geopolítica no Brasil.
O Rio de Janeiro era a capital e muito pouco influía na vida dos estados.

 

Porém, a capital foi mudada para Brasília e a Constituição do estado brasileiro também mudou, o Brasil passou a se chamar "República Federativa do Brasil" (Constituição de 1988, mas, a Constituição de 1967 já havia aberto o caminho para isso), e a partir dai o poder foi cada vez mais aumentando nas mãos do presidente em Brasília, para isso muito contribuiu o período do regime militar.
E o pior, depois do fim do regime militar, cada vez mais o dinheiro dos impostos arrecadados em todo o Brasil foi para as mãos do governo federal em Brasília.

 
O surgimento do grande problema do Brasil - o "custo brasil" e a enorme corrupção a nível federal.

Se formos averiguar a quantidade de corrupção que existe nos estados vamos constatar que é bem menor que no governo federal!
Dentro dos estados, como todos já "se conhecem", como todos "falam a mesma língua", e tem interesses em comum, a administração é feita de forma mais ordenada, isso acontece porque a "fiscalização" mútua é muito mais fácil de ser exercida.

Como sabemos todos os estados mandam seus representantes para Brasília, mas, como enfatizamos eles são desafetos, não se gostam, e quanto mais um puder "furar o olho" do outro isso será feito!
Se um ministro é do estado "E", esse ministro vai priorizar as verbas para seu estado, já tivemos centenas de provas no passado e no presente deste fato.
E isso é assim em todas as áreas do governo em Brasília.
É um caos administrativo, caso de polícia, mas, devido ao enorme poder que o estado federal possui, nada acontece e segue o barco como se nada tivesse acontecido!
E isso também ocorre porque nenhum dos membros da república federativa dá a ela a importância que deveria ter, dão importância apenas para seus respectivos estados.


Conclusão

Diante do exposto, fica claro que se o Brasil quiser acabar com a corrupção que entrava o nosso progresso - não é difícil!
Basta para isso eliminar totalmente o poder que atualmente existe nas mãos dos três poderes federais, deixar em Brasília apenas um Chefe de Estado e a diplomacia que represente o país perante o mundo, e colocar a ação administrativa nas mãos do estado e dos municípios em um regime político parlamentarista com estado mínimo.


Referências:

1.
http://www.newworldencyclopedia.org/entry/Nation-state
2.
Dicionário Aurélio Século XXI
"nação"

[Do lat. natione.]
S. f.
1. Agrupamento humano, mais ou menos numeroso, cujos membros, ger. fixados num território, são ligados por laços históricos, culturais, econômicos e/ou lingüísticos.
[Cf. povo (1).]
2. O povo de um território organizado politicamente sob um único governo.


3.
http://www.visiteabahia.com.br/visite/historiadabahia/detalhes.php?id=5

4.
Dicionário Aurélio Século XXI
"bairrismo"

[De bairro + -ista.]
Adj. 2 g.
S. 2 g.
1. Que ou quem freqüenta ou habita um bairro.
2. Defensor dos interesses do bairro ou da sua terra.
3. Bras. Diz-se de, ou pessoa que, levada por uma visão estreita do patriotismo, só considera como sua pátria o estado natal e hostiliza ou menospreza tudo quanto se refere aos demais.


Bairrismo no Império
http://www1.folha.uol.com.br/fol/brasil500/dc_4_5.htm


***

Nenhum comentário:

Postar um comentário