A alienação

A alienação

sexta-feira, 7 de fevereiro de 2014

O acidente com o cinegrafista Santiago Ilídio Andrade da TV Bandeirantes e o contínuo trabalho da midia brasileira para criminalizar a Polícia Militar


Ao assistir o noticiário na TV de hoje, 07/02/2014, sobre o acidente com o cinegrafista Santiago Ilídio Andrade da TV Bandeirantes ontem no Rio de Janeiro, em especial o JN que dedicou a meia-hora inicial do programa para falar sobre o assunto fiquei constrangido e com vergonha de viver nesta época estúpida onde "intelectuais" e a quase totalidade da midia falada e escrita se dedicam a proteger bandidos e continuamente, diuturnamente, em criminalizar a polícia militar procurando de todas as formas culpar a polícia pela violência que está acontecendo nas manifestações pelo pais.

Essa ação é irracional, estúpida, e vai contra toda a história humana de luta pela sobrevivência contra a irracionalidade de parte da humanidade, infelizmente essa irracionalidade tomou conta da cabeça dos "intelectuais" e da midia mundo afora e em especial no Brasil onde, me parece, tomou contornos de insanidade coletiva, a única coisa que explica essa ação sem sentido é a dominação mental pela ideologia que quer destruir a sociedade "burguesa" e por isso quer desmoralizar a polícia que é a instituição que impede essa ideologia de fazer a tão sonhada "revolução", tomar o poder e implantar o caos revolucionário marxista que é o império do ódio contra os bem sucedidos.

Dentre muitas ações da midia uma se destaca na minha opinião, ao começar todo noticiário sobre manifestações a midia sempre faz a observação "a manifestação começou inicialmente pacífica...".
Isso é uma tentativa de proteger bandidos.
Como a manifestação pode ter sido inicialmente pacífica se os mascarados estão desde o início junto com os demais?
Ou será que os inocentes jornalistas nunca prestaram a atenção nisso?

Outra coisa que chama a atenção é que os manifestantes mascarados ao chegarem nos objetivos começam a ação violenta, se transformam em irracionais que nada respeitam e a tudo destroem, qualquer pessoa com um mínimo de bom senso sabe q para conter essa turba de loucos apenas com a força será possível, só que, se a polícia empregar a força ela será criminalizada por toda a midia como estar sendo violenta...
Então como ficamos?
Vamos contratar modelos bonitas e amáveis para pedir delicadamente aos loucos para não fazerem isso?
Ou será que algum destes delicados críticos da polícia se arriscariam a ir lá no meio da batalha para pedir aos loucos para não serem violentos?
Não irão com certeza.
Então, estamos diante de uma situação absurda.
A violência dos loucos precisará chegar até as casas destas delicadas criaturas para que elas , talvez, mudem de opinião.
E chegará.

Mas, voltemos ao jornal.

O jornal põe inicialmente um jornalista que não quer se identificar e que viu toda a ação e a descreve com fotos e detalhes mostrando que foi um dos manifestante que armou o rojão, as fotos não deixam dúvidas disso, e a testemunha ainda frisa - o manifestante armou o rojão PARA ATINGIR A POLÍCIA E NÃO O CINEGRAFISTA, mesmo assim, em seguida, entra a voz de um homem que pergunta a testemunha: "na direção onde estava esse homem, ESSE SUPOSTO RAPAZ MASCARADO, EXISTIAM POLICIAIS?" !

Como assim "suposto" ?
O jornal não acabou de mostrar as imagens mostrando o autor do disparo correndo?
A testemunha não acabou de dizer que foi o rapaz  que está correndo o autor do disparo?
Qual é a dúvida desse interrogador?
Quer encontrar algo que incrimine a polícia?

Mais a frente aparece uma repórter interrogando um especialista...

Mesmo depois do especialista dizer enfaticamente que se trata de um rojão que se pode comprar em lojas a jornalista pergunta: "é um artefato que costuma ser utilizado pela polícia militar" ?
Será que a jornalista não sabe que a PM não usa fogos de artifício como armamento?

Em seguida o jornal em uma atitude alienada e distante da realidade dos fatos passa a fazer uma matéria para destacar a "violência contra a imprensa" e contra a "liberdade de expressão" ....
E apresenta testemunhos de cima abaixo, representantes de diversas ordens, até mesmo o presidente da Câmara se pronunciou contra essa ação "contra a imprensa"...

Estamos em uma época em que a alienação tomou conta das cabeças...

Qualquer pessoa com um mínimo de bom senso que viu o ocorrido percebe que o rojão NÃO FOI ARMADO CONTRA O CINEGRAFISTA !
Foi um acidente.
A intenção era atingir a polícia e não o cinegrafista.
A própria testemunha disse isso claramente.
Então de que maluquice estão falando esse pessoal todo? [*]

O acidente só ocorreu porque o cinegrafista estava BEM NO MEIO DO CAMPO DE BATALHA e sem portar nenhum equipamento de segurança...
Se ele estivesse com capacete ele não teria se ferido com a gravidade que se feriu.
Estamos diante de situações absurdas...

Um fato a se notar é que toda a midia depois que um deles é ferido fica tal como um enxame de abelhas endoidecidas!
Ensandecidos criam "fatos" que não existiram, como foi o caso, o manifestante não tinha a menor intenção de atingir "a liberdade de imprensa".

Mas, o fato mais importante foi guardado para o final...
O locutor do jornal, no fim faz um "mea culpa".
E nos dá conhecimento que ontem um jornalista da Globo News, Bernardo Menezes , afirmou que foi um artefato lançado por um policial que havia ferido o cinegrafista e essa afirmação dele foi noticiada nos jornais noturnos!
Como esse jornalista viu isso se a cena não existiu?
De onde ele tirou o "fato" de que foi um artefato da polícia que atingiu o cinegrafista se as fotos e o vídeo da TV russa mostram claramente que se tratava de um rojão?
Até uma criança de 10 anos saberia que se tratava de um rojão... mas o jornalista não, ele "viu" um policial lançar um artefato contra o cinegrafista...
Não viu nada, inventou...
E com sua invenção criminalizou mais uma vez a polícia.
Para azar dele teve que engolir o que falou porque foi desmentido pelos fatos.

Mas, se a PM não tivesse tido a sorte da TV russa ter filmado a cena é bem provável que a midia descartaria o testemunho do jornalista q viu a cena e culparia a polícia baseada no testemunho do jornalista da Globo News....

E é isso que existe na midia, centenas, milhares de indivíduos "vendo" ações violentas da polícia e protegendo bandidos.

Essa é a estúpida irracionalidade que domina entre os "cultos" e por toda a midia brasileira.


*

Texto escrito em 10/02/2014.


Infelizmente hoje o cinegrafista faleceu, e a morte dele foi, alem de tudo o mais, um acidente de trabalho, agravado pelo fato que não usava os equipamentos de segurança adequados para o trabalho que estava fazendo.
Não estou falando besteiras aqui, vejam o que acontece quando ocorrem visitas de inspeção nos estádios em construção para a Copa, todos usam capacetes brancos, inclusive os jornalistas, por que isso já que se nota que não existe perigo eminente?
Porque acidente não tem hora nem lugar para acontecer, acontece em situações inesperadas, e se ali no estádio alguém se ferir a empresa que está construindo o estádio vai ter que pagar a conta, inclusive possíveis reivindicações judiciais, por isso a empresa se precavem de acordo com a lei.
Se um empregado de qualquer empresa não tiver disponível os equipamentos de segurança para executar seu trabalho a empresa será multada, e no caso do cinegrafista a responsabilidade é da TV Bandeirantes.
É interessante que ninguém mencione isso que é de suma importância para que tais coisas não mais aconteçam ou não tenham a gravidade deste episódio.

Uma outra questão pertinente ao tema do blog, com o falecimento do cinegrafista todos os órgãos representativos da imprensa se pronunciaram querendo "punição exemplar" para os criminosos e inclusive ao grupo q que pertencem!
Até agora a imprensa estava passando a mão na cabeça dos depredadores, enquanto eles destruíam propriedades públicas e privadas a imprensa os defendia em nome dos "direitos humanos" e descia o pau na PM se esta fosse usar da força para conter as depredações, agora, que um membro da corporação deles foi a vítima a revoada geral da midia clamando por "punição exemplar" se manifesta

Como sempre, em qualquer lugar e em qualquer situação, dois pesos e duas medidas, por isso sempre fui da opinião que só se conhece uma pessoa em situação de crise ou quando se trata do interesse dela.

PS. Uma coisa que se manifesta claramente após esse episódio com o surgimento de um advogado de certo nome para cuidar do caso do tatuador é que tem alguém por trás disso, ideologia partidária marxista.
É o PSOL e possivelmente outros partidos marxistas, que estão financiando uma parte dos jovens para praticarem violência, a outra parte não precisa de financiamento, são filhos de classe média que sofreram lavagem cerebral na escola e agora estão a serviço do despótico marxismo e sua "revolução".


 Integrantes do PSol e do PCO defendem a atuação dos black blocs
http://www.diariodepernambuco.com.br/app/noticia/politica/2014/02/12/interna_politica,489049/integrantes-do-psol-e-do-pco-defendem-a-atuacao-dos-black-blocs.shtml




Texto escrito em 11/02/2014




Não é sempre que acontece, mas, às vezes, acontecem coisas certas e que todos aqueles seres humanos que ainda são seres humanos e não se transformaram em "progressistas" politicamente corretos alienados que vivem fora da realidade e passaram a proteger bandidos e a atacar a polícia em seu trabalho em manter a ordem - aprovam!

O cinegrafista mostrado no vídeo acima e a sua ação causam orgulho aos que ainda são seres humanos!
Disse ele na cara do sujeito:
- Vocês são covardes que so atacam em grupo.
E o valentão grupal acovardado, mostrando ao mundo toda a sua pequinês, não abriu a boca quando estava cara a cara de homem para homem.
E todos do grupo dele ou assemelhados são iguais a ele, quando sozinhos frente a frente com outro homem se acovardam como este se acovardou. 

Obs. E olhem a cara do outro, o de bigodinho, não precisa nem nos dizer que é marxista, seguidor alienado, o assombro na cara dele de estar sendo enfrentado por um trabalhador, por um "proletário", que está afim de dar uma surra neles, e eles dois não tem coragem para enfrentar um por não estarem protegidos no meio da sua gangue de "revolucionários" marxistas, covardes.

Esse cinegrafista deve ter seu nome lembrado por todos os seres humanos que ainda tem vergonha na cara e não se transformaram em covardes que só agem em grupos ou quando estão livres de represália de quem eles atacam.

O ocorrido também nos faz imaginar o que os policiais ouvem dessa ralé covarde protegida pelos "progressistas" politicamente corretos e pelos "direitos humanos" corruptos protetores de bandidos.
E o policial não pode fazer o que o cinegrafista fez, tem que ouvir calado as ofensas e as ameaças, porque se for usar da força para prender tais covardes a midia alienada vai cair em cima dele com críticas de que foi "violento".

Mas, depois dessa ação - de um deles - que certamente é uma raridade entre eles, eles vão passar a saber qual é a realidade das ruas e com que tipo de gente suja e covarde a polícia se envolve para manter a ordem. 



O vídeo completo do programa "Cidade Alerta" está em:


Parabéns ao "Cidade Alerta" por nos ter dado a oportunidade de ver essa raridade!


[*] Nota.

Quando eu escrevi o texto:

"Qualquer pessoa com um mínimo de bom senso que viu o ocorrido percebe que o rojão NÃO FOI ARMADO CONTRA O CINEGRAFISTA !
Foi um acidente.
A intenção era atingir a polícia e não o cinegrafista.
A própria testemunha disse isso claramente.
Então de que maluquice estão falando esse pessoal todo?"

Não estou de forma alguma eximindo os dois que manusearam o rojão de culpa.
Estou descrevendo o que ocorreu.
Os dois são culpados, quanto a isso não existe a menor dúvida, não importa se eles direcionavam o rojão para a polícia, o rojão atingiu o cinegrafista e o matou, e os dois são os responsáveis por esse crime.
Mas, esse crime foi unicamente contra o cinegrafista e sua família e não contra a imprensa como foi colocado no jornal.
O rojão poderia ter atingido qualquer outra pessoa não da imprensa.
Mas isso de forma alguma exime os dois autores da explosão de culpa pelo crime.


*


Texto escrito em 14/02/2014


Quando eu escrevi no texto inicial o seguinte:

"Vamos contratar modelos bonitas e amáveis para pedir delicadamente aos loucos para não fazerem isso?
Ou será que algum destes delicados críticos da polícia se arriscariam a ir lá no meio da batalha para pedir aos loucos para não serem violentos?
Não irão com certeza.
Então, estamos diante de uma situação absurda.
A violência dos loucos precisará chegar até as casas destas delicadas criaturas para que elas , talvez, mudem de opinião.
E chegará."

Eu não esperava que a minha "previsão" iria acontecer tão rápido.
Infelizmente aconteceu, e de forma trágica, o que os alienados da midia estavam tratando com um certo gosto veio até a família de um deles para marcar para sempre a vida dessa família, parte da culpa dessa desgraça é da midia, é dos artistas, é dos intelectuais.
Agora a midia pede a cabeça dos culpados que devem ser "punidos exemplarmente", já começam a surgir artigos como o de Rogério Gentile que coloco no link abaixo:

Block coitadinhos
http://www1.folha.uol.com.br/colunas/rogeriogentile/2014/02/1411404-black-tadinhos.shtml
 
Onde ele diz que os "black blocs foram tratados com benevolência..." 
sim, foram, e até mais que isso, foram tratados como exemplo de "transformadores do mundo", como o ridículo de Caetano Veloso:

E agora Caetano? 
Que um dos criminosos que você exalta matou um inocente?

Mas de uma coisa podemos ter certeza absoluta, o vídeo colocado acima nos mostrou isso, são todos covardes, como nos disse o Pondé em seu artigo "Covardia chique", vivemos em uma sociedade onde o bem estar produziu milhares de covardes, e estes covardes, muitos deles empuleirados nas redes sociais, apoiam a covardia dos black blocs de só praticarem a violência e terem coragem para isso quando estão em grupo, os alienados politicamente corretos, covardes, apoiam porque nem mesmo isso tem coragem para fazer...
 


*

Textos escritos em 15/02/2014


 Notícia na Folha

Após morte de cinegrafista, Globo obriga profissionais a usarem kit de segurança em manifestações
Por Keila Jimenez
14/02/14 // 14:05


http://outrocanal.blogfolha.uol.com.br/2014/02/14/globo-obriga-reporteres-e-cameras-a-usarem-kit-de-seguranca-em-manifestacoes/

A Globo acaba de instituir uma nova norma de segurança para os seus
repórteres e câmeras na cobertura de manifestações no país.
....


A maioria das empresas privadas sabem que seus empregados devem obrigatoriamente usarem os equipamentos de segurança quando necessário, só as empresas da midia não sabem.
Precisa acontecer uma tragédia para que a midia alienada sinta um pouco de como é a realidade na qual eles não vivem.



*

O texto abaixo completa de forma magnífica o que foi colocado neste blog! 




Eu também acuso! Ou: São poucos, infelizmente, os que podem bancar o Zola

Ficou famosa a carta de Émile Zola chamada J’accuse sobre o caso Dreyfus, publicada em 1898. Zola ataca aqueles que foram coniventes com a farsa do julgamento do judeu inocente. Em uma passagem, ele diz: “Meu dever é de falar, não quero ser cúmplice. Minhas noites seriam atormentadas pelo espectro do inocente que paga, na mais horrível das torturas, por um crime que ele não cometeu”.
Pois muito bem: são poucos aqueles, infelizmente, que podem bancar o Zola no Brasil de hoje. Poucos jornalistas e colunistas podem dormir com essa tranqüilidade, sem ser atormentados pelo espectro de Santiago Andrade, morto por black blocs tão enaltecidos pela imprensa, por artistas e “intelectuais”. Um deles é Reinaldo Azevedo, em quem baixou o espírito de Zola para escrever sua coluna [ http://www1.folha.uol.com.br/colunas/reinaldoazevedo/2014/02/1411976-eu-acuso-ou-dilma-red-block.shtml ]  desta sexta na Folha.
O título de seu artigo foi justamente “Eu acuso”, acompanhado da alcunha “Dilma ‘Red Bloc’”, fazendo menção ao fato de que a presidente, após uma cambada de baderneiros do MST deixar vários policiais gravemente feridos, ter, como prêmio, recebido a liderança do movimento no Palácio do Planalto.
Reinaldo cita nomes, como Franklin Martins, José Eduardo Cardozo e Gilberto Carvalho, a trinca petista que costuma ser conivente com todo tipo de “movimento social” que se julga acima das leis brasileiras. Ataca também a imprensa, covarde, silenciosa na hora de expor a violência desses “ativistas”.
Hoje, no GLOBO, foi a vez de outro jornalista que pode bancar o Zola apontar o dedo na direção dos mesmos alvos, de todos esses que acreditavam no Brasil “bonzinho”, no gigante que havia acordado e construiria um novo país (qual?, pergunta o autor, um Afeganistão?). Falo, claro, de Guilherme Fiuza, em sua coluna [ http://oglobo.globo.com/opiniao/a-bondade-dos-assassinos-11610468 ] "A bondade dos assassinos”. Diz ele na largada:
O Brasil bonzinho assassinou o cinegrafista Santiago Andrade. Não foi outro o criminoso. Quem matou Santiago foi esse Brasil envernizado de bondade e infernizado de hipocrisia. Nenhum débil mental mascarado poderia ter matado Santiago sem a cumplicidade desse monstro.
A herança maldita da Primavera Burra foi apontada exaustivamente neste espaço. Os bem-pensantes e os demagogos — hoje praticamente indiscerníveis — continuaram matraqueando que os políticos precisavam ouvir “o recado das ruas”. Mentira. Não houve recado nenhum. Não há uma mísera mensagem aproveitável daquele carnaval cívico, onde multidões exuberantes marcharam contra tudo e contra nada — na mais patética perda de oportunidade política na era do Império do Oprimido.
Mas Fiuza tampouco é otimista em relação ao despertar da imprensa e do povo. Cita, também, o caso dos “red blocs” do MST, e conclui: 
Por falar em assassinato, os diplomatas do MST deixaram dez policiais gravemente feridos em Brasília. O Brasil está esperando um deles morrer para se horrorizar.
E o que aconteceu com os agressores? Foram recebidos em seguida por Dilma Rousseff no palácio, para um bate-papo de uma hora sobre reforma agrária. O que você está esperando para pegar sua borduna e ir atrás do que é seu?
Não é fácil a vida de jornalistas e colunistas que remam contra a maré vermelha hegemônica no Brasil. Todos morrem de medo de ser vistos como “direita”, ou “preconceituosos”, “reacionários”, “conservadores”. Todos querem posar de “progressistas”, de engajados, e preferem escrever aquilo que a turminha deseja ler, em vez de aquilo que deveria ler.
Mas esses poucos, se não são capazes de reverter o rumo das coisas sozinhos, ao menos podem se dar ao luxo de dormir sem sangue inocente no travesseiro, sem o peso na consciência por ter aplaudido marginais assassinos. Já é alguma coisa. E, com muito orgulho, apesar de não ser jornalista, posso me colocar no time dos “Zolas” que alertaram desde o começo dos perigos de tudo isso, mostrando que arruaça de mascarados jamais poderia acabar bem.
Portanto, eu também acuso!
Rodrigo Constantino


*


Eu também acuso!
Arnaldo Arnolde


*


Este artigo também está perfeito!

Causa mortis

‘Não vamos parar, o poder é nosso!’, escreveu o Black Bloc RJ na hora da notícia do falecimento do cinegrafista

Demétrio Magnoli
Publicado:

Leia mais sobre esse assunto e
 
 


***







Nenhum comentário:

Postar um comentário