A alienação

A alienação

quinta-feira, 5 de janeiro de 2012

Sobre a diferença entre "marxismo revolucionário" e "marxismo cultural".

Iniciamos com o seguinte diálogo:

"Tudo isso me leva a crer que o marxismo cultural na verdade se tornou arma expressão política de um setor da sociedade americana, vale dizer o P.D."

O marxismo cultural, no EUA, atuou na midia, em especial em Hollywood, em órgãos do governo e nas universidades.
Sua atuação tinha, e ainda tem, a intenção de mudar o senso comum, fazer o norte-americano não valorizar mais a sua sociedade democrática e livre.
O marxismo cultural atua sobre PESSOAS e não em partidos políticos, porém, as pessoas mudadas serão propensas a votar nos candidatos que se ajustam ao novo modo de pensar, no caso do EUA, eles pouco a pouco foram se infiltrando no PD até tomar o poder dentro dele e expulsaram do PD todos os democratas, só ficaram esquerdistas politicamente corretos.

"Não está mais em jogo o "interesse dos M.Cs e sim o interesse do grande representante e líder dos que se utilizam do "instrumento M.C" que é o P.D."

O PD é só um instrumento...
Podemos comparar o atual PD do EUA ao PT.
Martha Suplicy e Hillary Clinton são faces da mesma moeda.

"Eu observo que esse MC tem posições do tipo "democracia até as últimas consequências", não leva em conta os movimentos reais da humanidade, o jogo político internacional, o interesse das nações e dos povos devem ficar abaixo de uma idéia de "democracia perfeita", sendo que essa "perfeição" é extremamente questionável por que tendenciosa, buscando sempre uma "compensação" descabida, tudo isso ocorre com o risco das nações serem sacrificadas"

A palavra "democracia" na interpretação de um socialista ou marxista não tem o mesmo significado que para um liberal.
Democracia para o marxismo é a igualdade que existiria, supostamente, dentro da ditadura do proletariado, onde todas as demais classes seriam, literalmente, extintas, e a dominação dos proletários na sociedade seria total... essa é a democracia socialista-marxista.
Não tem nada a ver com a democracia representativa liberal onde todas as correntes de pensamento existem politicamente.

Essa tática foi explicitada por Marx na sua "Mensagem da Diretoria a Liga dos Comunistas".
Como sempre os comunistas eram minoria na guerra civil prussiana de 1849, era para eles se aliarem aos democratas e após a tomada do poder, se armarem e darem o golpe.

Foi exatamente isso que Lenin fez na Rússia, na revolução de Fevereiro de 1917, os bolcheviques eram aliados dos democratas, em Novembro os bolcheviques deram o golpe e expulsaram todos e instalaram a ditadura do proletariado.

No Brasil aconteceu a mesma coisa, o PT surgiu como um partido trabalhista aliado aos de centro e esquerda, porém, hoje, temos uma socialista radical na presidência.

Na Escandinávia tb, inicialmente era um sistema liberal, com ênfase no social, hoje não é mais, e não é mais governado por liberais, mas sim, por socialistas.


"Evidentemente que essa "democracia perfeita" é na verdade uma exacerbação das liberdades, uma subversão dos valores, para além da sua inversão, no sentido de, como você diz, alterar todo o modo de pensar de uma sociedade.
Eu penso que eles estão em luta contra o mito, no caso o mito cristão, para no lugar por o mito marxista, o mito da igualdade."


Karl Marx jamais pregou uma "democracia perfeita" e menos ainda pregou "igualdade"...

O único sistema que prega a igualdade é a democracia representativa com Estado de Direito, onde todos são iguais PERANTE A LEI, pois iguais em personalidade, habilidades, talentos, jamais serão.

O que o "socialismo científico" de Karl Marx pregava era A SUPREMACIA DOS PROLETARIADOS.
Após a tomada do poder a ditadura seria DO PROLETARIADO, a qual - ELIMINARIA - todas as demais classes.

E nesta ditadura sempre existiria uma "elite" - os "intelectuais" comunistas, os únicos que, segundo Marx, sabem conduzir o processo revolucionário.
A reprodução perfeita disso é a miserável Cuba.


"Para mim é uma luta religiosa não resta dúvida, no caso se está diante de um tipo especial e nocivo de religioso que é aquele que não admite sua natureza, ou mesmo nem entende a sua natureza, embora ela se revela claramente quando no poder."

O "ser revolucionário" apesar de em geral se declarar ateu, trás consigo o desejo de divinização solidária no seu ideal de "mudar o mundo" e criar uma sociedade perfeita como o paraíso.
Não é uma religião propriamente dita, mas, carrega a mesma esperança do caridoso.


"O politicamente correto é precisamente criar na cabeça das pessoas uma falsa ideía de democracia, dai esse termo "democracia perfeita", onde em nome de uma suposta perfeição social vai se dando supostos direitos democráticos que na verdade estão criando as sementes do autoritarismo da distinção e da discriminação dentro da sociedade."

O politicamente correto tem a intenção de criar "luta de classes", exacerbar preconceitos, romper tradições.
Qual a intenção da exaltação ao sexo livre?
- Romper a tradição famíliar.
Os "direitos", como de homos, feministas, africanos, etc, ou contra fumantes, contra quem come carne, contra quem toma banho demorado, cotas na universidade, etc, todos NÃO TEM a intenção de criar nenhuma sociedade perfeita, tem a intenção de DESTRUIR a sociedade atual criando "lutas" dentro dela.
É essa a finalidade do marxismo cultural.

***

Eu não sei se vc leu o blog e/ou tópico sobre o marxismo cultural...

http://marxismocultural.blogspot.com/

É preciso saber diferenciar o que é o "socialismo científico", a teoria revolucionária de Karl Marx, tb chamado normalmente de "marxismo revolucionário", do que vem a ser "marxismo cultural"...

Os nomes já dizem algo:
O marxismo (socialismo científico) é - revolucionário.
Marx previu que devido as supostas "contradições do capitalismo", iria acontecer uma "revolução dos proletariados" e a consequente tomada do poder por eles, e a subsequente implantação da ditadura do proletariado.
Isso é a teoria marxista revolucionária, nada mais que isso.

O marxismo "cultural" surgiu devido ao FRACASSO dessa previsão revolucionária de Marx.
Todos os "intelectuais" socialistas acreditavam que na primeira guerra mundial (1917) os proletários de todas as nações iriam se unir e fazer o que Marx disse que eles fariam - a revolução.
Só que, para decepção geral, os proletários não agiram da forma que Marx disse que agiriam.

Os "intelectuais" socialistas, em suas insanas mentes, em vez de chegarem a conclusão que a teoria de Marx estava errada, não o fizeram, concluíram que o problema era a cultura da sociedade ocidental que bloqueava a "consciência de classe" nos proletários.
Qual seria a solução?
- Mudar o senso comum da sociedade ocidental... por isso o nome "cultural".
Atacar "culturalmente" (doutrinação, lavagem cerebral) as bases da sociedade ocidental:
a família, centrada na moral judaica-cristã,
a Filosofia Grega,
o Direito Romano.

E eles estão ai até hoje, a 80 anos, nessa luta de incansável insanidade em busca da destruição da sociedade ocidental.
Esperam eles que após a destruição a ideologia do "mestre" possa ser finalmente aceita no ocidente.


Não sei se você notou, mas, o marxismo cultural NEGA o "mestre".
O "mestre" disse que a sociedade comunista viria através de uma revolução.


O marxismo cultural não diz isso!
O marxismo cultural diz que o comunismo virá através da mudança cultural.

Então, os marxistas culturais são os únicos crentes que negam o "mestre" mas, ao mesmo tempo o veneram...
Se é uma religião, e uma "religião" de loucos.




***

Nenhum comentário:

Postar um comentário