A alienação

A alienação

segunda-feira, 13 de agosto de 2012

Filhos gostam de pais relapsos, e em contrapartida, filhos criam ressentimento contra pais cuidadosos

O que foi afirmado no título é uma triste verdade...
As afirmações do título fazem parte dos maiores absurdos que os humanos produziram.

Ontem foi dia dos pais e a já muitos anos as TVs produzem reportagens cujo principal tema ano após ano é o reencontro de filhos com pais que os abandonaram, e o reencontro é sempre cheio de amor!
Interessante nisso é que as TVs dificilmente fazem reportagens para mostrar filhos agradecendo a pais que praticaram heroísmo para os salvarem de perigo, menos ainda as TVs mostram pais que trabalharam muito para dar o melhor para os filhos !
As TVs preferem mostrar o reencontro do filho com o pai relapso que o abandonou a muitos anos e nunca quis saber dele!

Por que as TVs fazem isso ?
Fazem isso porque isso dá audiência, dá audiência porque a maioria dos humanos acha isso bonito, gosta disso.
E por que muitos humanos gostam de ver um pai relapso se encontrando com o amoroso filho ?
- Deve ser devido a algum distúrbio mental porque isso na realidade é um absurdo.
Não que filhos não devam reencontrar pais que os abandonaram... podem fazer isso, claro, mas transformar isso em uma cena amorosa é fruto de uma distorção da realidade.

Mas, esse fato é apenas uma das provas de que a afirmação do título é uma verdade.

No dia dos pais muitos filhos dão presentes aos pais, mas, o normal no cotidiano de muitos filhos é darem muitas tristezas aos pais, maus tratos contra os pais, ressentimento contra os pais, desavenças por picuinhas contra os pais, desrespeito contra os pais, são muito comuns.

Psicólogos, sociólogos, educadores, etc, em geral atribuem a discórdia entre filhos e pais a educação dada a eles pelos pais, ou seja, colocam a culpa nos pais ou na sociedade...
Porém, acredito que muitas pessoas tem conhecimento de famílias conhecidas cujos pais sempre deram carinho, amor, proteção, bens materiais, as melhores escolas, entretanto, os filhos deles lhes dão desgostos de toda ordem !

Em vista deste fato podemos concluir que os estudiosos do assunto o estão analisando de forma dogmática, não estão levando em conta características manifestas e evidentes.
A discórdia entre filhos e pais tem uma característica marcante !

A discórdia entre filhos e pais - é seletiva.
A discórdia entre filhos e pais não acontece de forma homogênea na sociedade.


Dificilmente encontramos discórdia entre filhos e pais muito pobres.
Dificilmente encontramos discórdia entre filhos e pais muito ricos.

A discórdia entre filhos e pais se encontra em larga escala, nas cidades, 
em famílias da classe média.



Não se vê isso em famílias pobres


É muito comum assistirmos a declarações de cantores de música sertaneja que vieram de famílias muito pobres enaltecendo os pais.
É comum vermos jogadores de futebol elogiando seus pais pobres e demonstrando grande amor por eles.
A primeira coisa que fazem tais pessoas quando ganham dinheiro é pensar em comprar uma casa para os pais, ou para a mãe, o que é mais comum.

Se formos na casa de uma família pobre do interior do Brasil onde existam o pai, a mãe e numerosos filhos, vamos perceber que não existe nenhum ressentimento dos filhos contra os pais!
Também não existem desavenças, invejas, etc, entre os filhos.
Apesar da miséria em que vivem os filhos gostam muito dos pobres pais.



As mães pobres, se levarmos em conta o amor que os filhos tem por elas, são muito mais felizes que as mães da classe média


Mas... se formos na casa de uma família classe média da cidade, na maioria dos casos, logo vamos ver que existe discórdia entre irmãs, entre irmãos, e deles todos desavenças contra os pais, apesar da fartura em que vivem nunca estão contentes, e culpam os pais pela insatisfação que sentem.
E nesta estúpida ação são ajudados pelos estudiosos que na maioria dos casos colocam a culpa nos pais ou na sociedade e inocentam os filhos.

Filhos de pais muito ricos também não tem animosidade contra os pais, em tais famílias existe respeito e hierarquia, o relacionamento pode até ser frio, mas, não se vê filhos desrespeitando os pais por razões supérfluas da forma que filhos da classe média desrespeitam seus pais.

Então, voltamos a dizer - os estudiosos da área não estão incluindo fatos importantes em suas conclusões.



Famílias de classe média, muita dedicação e amor aos filhos... seria isso um erro ?


Ficam as perguntas:
Por que filhos de famílias que tem a educação em boas escolas e boa atenção dos pais se voltam contra eles ?
E por que isso não acontece em famílias pobres onde o pai em geral abandona os filhos a sua sorte e a mãe tem que cuidar deles ?
E por que os filhos abandonados, como mostram as diversas reportagens nas TVs, vão atrás do pai relapso e o amam e os filhos bem tratados da classe média, em muitos casos, transformam a vida dos pais em um inferno ?

Não é pela razão que os estudiosos dizem, uma vez que não podemos afirmar que as famílias pobres dão boa educação aos filhos...

Os estudiosos não respondem o por que, mesmo a família de classe média dando excelente educação e grande atenção, seus filhos, em muitos casos, se voltam contra eles.

Vou dar a minha opinião sobre isso.

A diferença entre o tratamento que famílias pobres dão aos filhos em relação ao tratamento dado pelas famílias de classe média é que nas pobres os filhos tem muito pouca atenção dos pais, tanto devido a quantidade de filhos como também porque a mãe em geral trabalha fora e quando chega em casa tem que trabalhar nas coisas da casa, restando pouco tempo para os filhos, nas famílias pobres também os filhos tem poucos desejos pois sabem que não serão satisfeitos, e nas famílias de classe média, as pais, em especial as mães, dão muita atenção e proteção aos filhos, tem tempo para isso, tem facilidades para executar as tarefas caseiras ou tem empregadas domésticas, satisfazem todos os desejos dos filhos, que normalmente são muitos, e dedicam muito amor a eles.
Essa é a diferença...
E essa diferença é a causa da "revolta" dos filhos de classe média contra seus pais - a boa vida que tem e o carinho e amor que os pais dão a eles.

Tais filhos preferem os maus tratos dos colegas e estranhos aos carinhos dos pais, a maioria deles tem até vergonha de serem amados publicamente pelos pais, ficam muito bravos quando isso acontece e os colegas vêem.
Filhos pobres não tem esse recalque.


Pensando a respeito das possíveis causas dessa estúpida atitude cheguei a seguinte conclusão:

Os seres humanos agem em função dos valores naturais que possuem, o maior valor é o desejo sexual que domina amplamente as ações humanas, o segundo, em pé de igualdade com o desejo de sobrevivência está o desejo de liberdade, o ser humano é um animal que gosta de liberdade, gosta de ser livre.

Analisando a vida em uma família pobre e em uma família de classe média vemos que os filhos de famílias pobres são livres, não tem desejos econômicos e por isso dependem economicamente dos país apenas para as necessidades básicas, filhos de famílias pobres também não tem dependências psicológicas uma vez que a mãe dá pouca atenção aos filhos, a mãe dá proteção aos filhos mas, pelas razões já expostas, não os trata com carinho, desta forma, os filhos pobres não dependem dos pais nem economicamente nem psicologicamente, são livres, no dia que quiserem ir embora é só fazer a trouxinha e partir, nada os prendem aos pais.
Filhos de classe média ao contrário já com 8 ou 9 anos começam a receber "mesada" dos pais, e essa mesada se estende muitas vezes até idades avançadas, como vão a lojas e tem acesso a muitas fontes de desejo, querem possuir tais coisas, e para comprar o tênis de marca depende dos pais, dependem em tudo para satisfazerem seus desejos materiais, portanto, tais filhos são dependentes dos pais economicamente, não são livres, no aspecto psicológico, em geral as mães exercem uma verdadeira ditadura afetiva, amam por demais os filhos e os cercam de carinhos e mimos, isso cria nos filhos uma enorme dependência afetiva, portanto, também não são livres psicologicamente.
É por causa dessa "prisão" que filhos de classe média tem grande desejo de "ir embora de casa" .... é para se verem livres disso, mas, em geral, dificilmente conseguem antes de se formarem na universidade, e muitas vezes nem depois de formados conseguem, isso gera nos filhos de classe média uma aversão aos país, que dependendo da personalidade de cada um pode evoluir para rusgas mais severas.
Filhos pobres não tem esse "trauma" de quererem ir embora de casa, vão naturalmente por questões práticas.


*

Texto escrito em 16/02/2014

Assisti o "Café Filosófico" do último domingo e o assunto, uma raridade neste mundo falso e alienado atual, é uma brilhante concepção empírica da vida em família e da educação dos filhos.
Esse assunto tem tudo a ver com o assunto colocado por mim aqui, o psicólogo diz: "nos extratos urbanos de classe média as crianças viraram uma espécie de monstros".... exatamente!

O importante aqui é que da mesma forma que foi colocada aqui o psicólogo frisa em vários momentos que isso acontece - na classe média urbana atual, mas não acontecia nesta mesma classe de 50 anos atrás.

De minha parte, com o conhecimento que possuo do marxismo, não tenho dúvidas que este é mais um grave problema causado pela doutrinação do marxismo "cultural" para mudar o "senso comum" da sociedade ocidental, que vem sendo exaustivamente aplicado nas escolas a 70 anos, para que a sociedade ocidental "burguesa" seja destruída e o que restar dos escombros dela aceite os dogmas do marxismo e o marxismo possa ser implantado em todo o mundo e não apenas em países do oriente (URSS, China, etc) como aconteceu depois da Primeira Guerra Mundial quando os "intelectuais" marxistas tinham certeza que os "proletários" iriam se unir para enfrentar juntos a burguesia, isso não aconteceu, por isso eles concluíram, possuídos da demência que comanda suas mentes, que existia algo errado na cultura ocidental e que "eles" deveriam destruir, e de lá para cá vem fazendo isso em especial nas escolas e na midia, e estão conseguindo mudar o senso comum.... para azar, tanto deles e muito mais da humanidade, não da forma que gostariam, criaram milhões de politicamente corretos covardes e alienados em vez do "homem socialista" utópico.

O vídeo, imperdível na minha opinião, está em:

"A família no fogo cruzado da educação"
O programa Café Filosófico da TV Cultura de São Paulo deste domingo, 16/2/14 (22:00h), apresentou palestra com o psicólogo Julio Groppa Aquino.


Apresento a seguir uma das muitas preciosidades ditas pelo autor:

O "bem querer" não tem nada a ver com beijinhos e o "eu te amo" dito a todo instante para os filhos.



***
 
 
 
 

4 comentários:

  1. Acho que vc falou tudo! Concordo plenamente!

    ResponderExcluir
  2. Falou tudo! Sou de família de classe média, e me sinto exatamente assim...

    ResponderExcluir