A alienação

A alienação

quinta-feira, 4 de abril de 2013

A Filosofia de Fernando Pessoa - uma tentativa de conceituar a liberdade



Fernando Pessoa existiu entre 13/06/1888 a 30/11/1935, 47 anos.

O que me chama a atenção em Fernando Pessoa não é a poesia ou a prosa, apesar do indiscutível mérito dessa sua arte, o que me chama a atenção é a sua filosofia, uma filosofia prática, visual acima de tudo.

Dentre os muitos aspectos da existência aos quais ele dedicou a sua atenção me parece que o mais importante foi quanto a liberdade.
Fernando Pessoa dava grande valor ao indivíduo e na luta deste para ser feliz e livre.
O grupal era para Fernando Pessoa escravidão, pois no grupal o indivíduo fica subtraído de liberdade, se o indivíduo precisa do outro para viver ele não será livre, estará sempre amarrado ao outro.
Ele disse que isso é covardia, é não conseguir viver na solidão, e só nela o indivíduo é realmente livre.

O que percebo em uma leitura mais extensa e na própria vida pessoal de Fernando Pessoa é que não é que não se deva ter relacionamentos, e claro que os relacionamentos são algo inerente a vida, o que não devo fazer é me tornar dependente do relacionamento e achar que não conseguirei viver sem ele.
É como um passarinho, o animal que consideramos um símbolo de liberdade, se quando filhote é colocado para viver em uma gaiola, quando adulto, não consegue mais viver na natureza, mesmo que solto prefere voltar para o abrigo da gaiola.

Fernando Pessoa tinha uma amada, ao qual pedia para não dizer que era sua namorada... pedia para que ela dissesse que era sua amada, ou seja, me parece, queria com isso ratificar a sua dedicação e amor a ela, mas, não queria que entre eles fosse criado um vínculo.

Em resumo, acho que Fernando Pessoa, da mesma forma que eu acho, era da opinião que a liberdade é algo interno, pessoal, e que implica na não necessidade de algo externo para existir.

Um ser realmente livre consegue viver tranquilo mesmo que, por vezes, necessite viver na solidão.


Vejamos algumas passagem de Fernando Pessoa sobre o tema:

"A liberdade é a possibilidade do isolamento. Se te é impossível viver só, nasceste escravo."

"A bondade é a delicadeza das almas grosseiras."


"A única atitude intelectual digna de uma criatura superior é a de uma calma e fria compaixão por tudo quanto não é ele próprio. Não que essa atitude tenha o mínimo cunho de justa e verdadeira; mas é tão invejável que é preciso tê-la."


"Amar é cansar-se de estar só: é uma covardia portanto, e uma traição a nós próprios (importa soberanamente que não amemos)."


"Precisar de dominar os outros é precisar dos outros. O chefe é um dependente."


"O mundo é de quem não sente. A condição essencial para se ser um homem prático é a ausência de sensibilidade."


"Tudo em nós está em nosso conceito do mundo; modificar o nosso conceito do mundo é modificar o mundo para nós, isto é, é modificar o mundo, pois ele nunca será, para nós, senão o que é para nós.."


"Nenhuma idéia brilhante consegue entrar em circulação se não agregando a si qualquer elemento de estupidez. 

O pensamento coletivo é estúpido porque é coletivo: nada passa as barreiras do coletivo sem deixar nelas, como real de água, a maior parte da inteligência que traga consigo."

"Ser feliz é deixar de ser vitima dos problemas e se tornar um autor da própria história. É saber falar de si mesmo. É não ter medo dos próprios sentimento"


"Não sabemos da alma senão da nossa;

As dos outros são olhares, 
são gestos, são palavras, 
com a suposição
de qualquer semelhança
no fundo."

"Nunca amamos ninguém. Amamos, tão-somente, a idéia que fazemos de alguém. É a um conceito nosso - em suma, é a nós mesmos - que amamos. Isso é verdade em toda a escala do amor."


"O público não quer a verdade, mas a mentira que mais lhe agrade."



Estes pensamentos, na minha opinião, contém uma enorme sabedoria prática, que se pode usar para viver sem sofrer alem do que é impossível evitar.
A seguir mais de Fernando Pessoa.


Frases e pensamentos de Fernando Pessoa

Sua última frase foi escrita no dia da sua morte, ele a fez em inglês: "I know not what tomorrow will bring", em português: "Não sei o que o amanhã trará".

Tenho em mim todos os sonhos do mundo

Querer não é poder. Quem pôde, quis antes de poder só depois de poder. Quem quer nunca há-de poder, porque se perde em querer.

Amo como ama o amor. Não conheço nenhuma outra razão para amar senão amar. Que queres que te diga, além de que te amo, se o que quero dizer-te é que te amo?

As vezes ouço passar o vento; e só de ouvir o vento passar, vale a pena ter nascido.

O gênio, o crime e a loucura, provêm, por igual, de uma anormalidade; representam, de diferentes maneiras, uma inadaptabilidade ao meio.

Ver e ouvir são as únicas coisas nobres que a vida contém. Os outros sentidos são plebeus e carnais. A única aristocracia é nunca tocar.

Tudo que se passa no onde vivemos é em nós que se passa. Tudo que cessa no que vemos é em nós que cessa.

Ler é sonhar pela mão de outrem. Ler mal e por alto é libertarmo-nos da mão que nos conduz. A superficialidade na erudição é o melhor modo de ler bem e ser profundo.

Se o que há de lixo moral e mental em todos os cérebros pudesse ser varrido e reunido, e com ele se formar uma figura gigantesca, tal seria a figura do comunismo (marxismo), inimigo supremo da liberdade e da humanidade, como o é tudo quanto dorme nos baixos instintos que se escondem em cada um de nós.

O pensamento pode ter elevação sem ter elegância, e, na proporção em que não tiver elegância, perderá a ação sobre os outros. A força sem a destreza é uma simples massa.

Todo o homem de ação é essencialmente animado e otimista porque quem não sente é feliz.

A bondade é a delicadeza das almas grosseiras.

A única atitude intelectual digna de uma criatura superior é a de uma calma e fria compaixão por tudo quanto não é ele próprio. Não que essa atitude tenha o mínimo cunho de justa e verdadeira; mas é tão invejável que é preciso tê-la.

Todo o prazer é um vício, porque buscar o prazer é o que todos fazem na vida, e o único vício negro é fazer o que toda a gente faz.

Adoramos a perfeição, porque não a podemos ter; repugna-la-íamos, se a tivéssemos. O perfeito é desumano, porque o humano é imperfeito.

Para viajar basta existir.

O próprio viver é morrer, porque não temos um dia a mais na nossa vida que não tenhamos, nisso, um dia a menos nela.

O meu passado é tudo quanto não consegui ser. Nem as sensações de momentos idos me são saudosas: o que se sente exige o momento; passado este, há um virar de página e a história continua, mas não o texto.

Matar o sonho é matarmo-nos. É mutilar a nossa alma. O sonho é o que temos de realmente nosso, de impenetravelmente e inexpugnavelmente nosso.

A maioria pensa com a sensibilidade, eu sinto com o pensamento. Para o homem vulgar, sentir é viver e pensar é saber viver. Para mim, pensar é viver e sentir não é mais que o alimento de pensar.

Agir, eis a inteligência verdadeira. Serei o que quiser. Mas tenho que querer o que for. O êxito está em ter êxito, e não em ter condições de êxito. Condições de palácio tem qualquer terra larga, mas onde estará o palácio se não o fizerem ali?

Há um tempo em que é preciso abandonar as roupas usadas, que já tem a forma do nosso corpo, e esquecer os nossos caminhos, que nos levam sempre aos mesmos lugares. É o tempo da travessia: e, se não ousarmos fazê-la, teremos ficado, para sempre, à margem de nós mesmos.

Tudo vale a pena quando a alma não é pequena.

Tenho pensamentos que, se pudesse revelá-los e fazê-los viver, acrescentariam nova luminosidade às estrelas, nova beleza ao mundo e maior amor ao coração dos homens.

A liberdade é a possibilidade do isolamento. Se te é impossível viver só, nasceste escravo.

O poeta é um fingidor.
Finge tão completamente
Que chega a fingir que é dor
A dor que deveras sente.

Tudo que existe existe talvez porque outra coisa existe. Nada é, tudo coexiste: talvez assim seja certo..

Sentir é criar. Sentir é pensar sem idéias, e por isso sentir é compreender, visto que o universo não tem idéias.

Precisar de dominar os outros é precisar dos outros. O chefe é um dependente.

Amar é cansar-se de estar só: é uma covardia portanto, e uma traição a nós próprios (importa soberanamente que não amemos).

Quero para mim o espírito desta frase,
transformada a forma para a casar com o que eu sou: Viver não é necessário; o que é necessário é criar.

Considerar a nossa maior angústia como um incidente sem importância, não só na vida do universo, mas da nossa mesma alma, é o princípio da sabedoria.

Tudo o que dorme é criança de novo. Talvez porque no sono não se possa fazer mal, e se não dá conta da vida, o maior criminoso, o mais fechado egoísta é sagrado, por uma magia natural, enquanto dorme. Entre matar quem dorme e matar uma criança não conheço diferença que se sinta.

Toda a poesia - e a canção é uma poesia ajudada - reflete o que a alma não tem. Por isso a canção dos povos tristes é alegre e a canção dos povos alegres é triste.

Nunca sabemos quando somos sinceros. Talvez nunca o sejamos. E mesmo que sejamos sinceros hoje, amanhã podemos sê-lo por coisa contrária.

Ver muito lucidamente prejudica o sentir demasiado. E os gregos viam muito lucidamente, por isso pouco sentiam. De aí a sua perfeita execução da obra de arte.

A renúncia é a libertação. Não querer é poder.

Eu não escrevo em português. Escrevo eu mesmo.

Haja ou não deuses, deles somos servos.

A arte é a auto-expressão lutando para ser absoluta.

Viver é ser outro. Nem sentir é possível se hoje se sente como ontem se sentiu: sentir hoje o mesmo que ontem não é sentir - é lembrar hoje o que se sentiu ontem, ser hoje o cadáver vivo do que ontem foi a vida perdida.

O mundo é de quem não sente. A condição essencial para se ser um homem prático é a ausência de sensibilidade.

Para realizar um sonho é preciso esquecê-lo, distrair dele a atenção. Por isso realizar é não realizar..

Possuir é perder. Sentir sem possuir é guardar, porque é extrair de uma coisa a sua essência.

Sinto-me nascido a cada momento / Para a eterna novidade do Mundo....

Despreza tudo, mas de modo que o desprezar te não incomode. Não te julgues superior ao desprezares. A arte do desprezo nobre está nisso.

Os homens são fáceis de afastar. Basta não nos aproximarmos.

Tudo em nós está em nosso conceito do mundo; modificar o nosso conceito do mundo é modificar o mundo para nós, isto é, é modificar o mundo, pois ele nunca será, para nós, senão o que é para nós..

A ciência descreve as coisas como são; a arte, como são sentidas, como se sente que são.

A arte consiste em fazer os outros sentir o que nós sentimos, em os libertar deles mesmos, propondo-lhes a nossa personalidade para especial libertação.

Conhece alguém as fronteiras à sua alma, para que possa dizer - eu sou eu ?

O fim da arte inferior é agradar, o fim da arte média é elevar, o fim da arte superior é libertar.

As figuras imaginárias têm mais relevo e verdade que as reais.

A única maneira de teres sensações novas é construíres-te uma alma nova.

Correr riscos reais, além de me apavorar, não é por medo que eu sinta excessivamente - perturba-me a perfeita atenção às minhas sensações, o que me incomoda e me despersonaliza.

O povo nunca é humanitário. O que há de mais fundamental na criatura do povo é a atenção estreita aos seus interesses, e a exclusão cuidadosa, praticada sempre que possível, dos interesses alheios.

Quanto mais diferente de mim alguém é, mais real me parece, porque menos depende da minha subjetividade.

Viver não é necessário. Necessário é criar.

Podemos morrer se apenas amamos.

O dinheiro é belo, porque é a libertação.

Pode ser que nos guie uma ilusão; a consciência, porém, é que nos não guia.

A fé é o instinto da ação.

Deus é o existirmos e isto não ser tudo.

O mais alto de nós não é mais que um conhecedor mais próximo do oco e do incerto de tudo.

Nenhum livro para crianças deve ser escrito para crianças.

Falar é ter demasiada consideração pelos outros. Pela boca morrem o peixe e Oscar Wilde.

Há tanta suavidade em nada dizer e tudo entender...

A beleza de um corpo nu só a sentem as raças vestidas. O pudor vale sobretudo para a sensibilidade como o obstáculo para a energia.

Ser imoral não vale a pena, porque diminui, aos olhos dos outros, a vossa personalidade, ou a banaliza. Ser imoral dentro de si, cercada do máximo respeito alheio.

Um homem de gênio é produzido por um conjunto complexo de circunstâncias, começando pelas hereditárias, passando pelas do ambiente e acabando em episódios mínimos de sorte.

A vida prejudica a expressão da vida. Se eu vivesse um grande amor nunca o poderia contar.

A felicidade está fora da felicidade.

Nenhuma idéia brilhante consegue entrar em circulação se não agregando a si qualquer elemento de estupidez. O pensamento coletivo é estúpido porque é coletivo: nada passa as barreiras do coletivo sem deixar nelas, como real de água, a maior parte da inteligência que traga consigo.

O provincianismo consiste em pertencer a uma civilização sem tomar parte do desenvolvimento superior dela - em segui-la pois mimeticamente com uma insubordinação inconsciente e feliz.

Exteriorizar impressões é mais persuadirmo-nos de que as temos do que termo-las.

As nações são todas mistérios. Cada uma é todo o mundo a sós.

A celebridade é uma contradição. Parecendo que dá valor e força às criaturas, apenas as desvaloriza e enfraquece.

O campo é onde não estamos. Ali, só ali, há sombras verdadeiras e verdadeiro arvoredo.

Saber ser supersticioso ainda é uma das artes que, realizadas a auge, marcam o homem superior.

Há duas formas para viver a sua vida: 
Uma é acreditar que não existe milagre. 
A outra é acreditar que todas as coisas são um milagre.

O Homem é do tamanho do seu sonho.

Tudo o que chega, chega sempre por alguma razão...

Um dia de chuva é tão belo como um dia de sol.
Ambos existem; cada um como é.

Segue o teu destino...
Rega as tuas plantas; 
Ama as tuas rosas. 
O resto é a sombra 
de árvores alheias.

Porque eu sou do tamanho do que vejo
E não, do tamanho da minha altura...

Para sêr grande, sêr inteiro; nada teu exagera ou exclui; sêr todo em cada coisa; põe quanto és no mínimo que fazes; assim em cada lago, a lua toda brilha porque alta vive.

Se perder um amor... não se perca!
Se o achar... segure-o!
Circunda-te de rosas, ama, bebe e cala.
O mais... é nada.

Não importa se a estação do ano muda...
Se o século vira, se o milênio é outro.
Se a idade aumenta...
Conserva a vontade de viver,
Não se chega a parte alguma sem ela.

Se escrevo o que sinto é porque assim diminuo a febre de sentir. 
O que confesso não tem importância, pois nada tem importância. 
Faço paisagens com o que sinto.

Eu sei que não sou nada e que talvez nunca tenha tudo. Aparte isso, eu tenho em mim todos os sonhos do mundo.

O verdadeiro cadáver não é o corpo (...), mas aquilo que deixou de viver(...)

Eu sou aquilo que perdi.

Sentir tudo de todas as maneiras,
Viver tudo de todos os lados,
Ser a mesma coisa de todos os modos possíveis ao mesmo tempo,
Realizar em si toda a humanidade de todos os momentos
Num só momento difuso, profuso, completo e longínquo.

Ser feliz é deixar de ser vitima dos problemas e se tornar um autor da própria história. É saber falar de si mesmo. É não ter medo dos próprios sentimento…

Valeu a pena? Tudo vale a pena
Se a alma não é pequena.
Quem quer passar além do Bojador
Tem que passar além da dor.
Deus ao mar o perigo e o abismo deu,
Mas nele é que espelhou o céu.

Não saber explicar o que se sente por quem você quer a todo momento, é amar.

Boa é a vida, mas melhor é o vinho. 
O amor é bom, mas é melhor o sono.

Somos do tamanho de nossos sonhos

Afinal, se coisas boas se vão é para que coisas melhores possam vir. 
Esqueça o passado, desapego é o segredo!

Jamais desista de ser feliz, pois a vida é um espetáculo imperdível, ainda que se apresentem dezenas de fatores a demonstrarem o contrário.

Não existem amores perfeitos, mas amantes acomodados.

Não sabemos da alma senão da nossa;
As dos outros são olhares, 
são gestos, são palavras, 
com a suposição
de qualquer semelhança
no fundo.

Porque quem ama nunca sabe o que ama
Nem sabe porque ama, nem o que é amar
Amar é a eterna inocência

E a única inocência, não pensar...
"E a minha alma alegra-se com seu sorriso, um sorriso amplo e humano, como o aplauso de uma multidão.

Saber interpor-se constantemente entre si próprio e as coisas é o mais alto grau de sabedoria e prudência.

Não é o tédio a doença do aborrecimento de nada ter que fazer, mas a doença maior de se sentir que não vale a pena fazer nada.

Alague seu coração de esperanças, mas não deixe que ele se afogue nelas.

Ó noite onde as estrelas mentem luz, ó noite, única coisa do tamanho do universo, torna-me, corpo e alma, parte do teu corpo, que eu me perca em ser mera treva e me torne noite também, sem sonhos que sejam estrelas em mim, nem sol esperado que ilumine do futuro.

Não sou nada.
Nunca serei nada.
Não posso querer ser nada.
À parte isso, tenho em mim todos os sonhos do mundo.

O que me doí não é 
O que há no coração 
Mas essas coisas lindas
Que nunca existirão...

Tudo aquilo que é realmente nosso nunca se vai para sempre.

Eu não sei senão amar-te,
Nasci para te querer.
Ó quem me dera beijar-te,
E beijar-te até morrer.

Enquanto houver você do outro lado,
eu consigo me orientar.

Tenho amigos para saber quem eu sou,
pois vendo-os loucos e santos, bobos e sérios, crianças e velhos,
nunca me esquecerei de que a normalidade é uma ilusão imbecil e estéril.

O valor das coisas não está no tempo que elas duram, mas na intensidade com que acontecem. Por isso existem momentos inesquecíveis, coisas inexplicáveis e pessoas incomparáveis.

Tudo é incerto e derradeiro.
Tudo é disperso, nada é inteiro

Chove. que fiz eu da vida?
Fiz o que ela fez de mim...
De pensada , mal vivida ...
Triste de quem é assim !

Feche a porta, mude o disco, limpe a casa, sacuda a poeira. Deixe de ser quem era, e se transforme em quem é.

Se depois de eu morrer. quiserem escrever a minha biografia, não há nada mais simples. Tenho só duas datas : a de minha nascença e a de minha morte. Entre uma e outra todos os dias são meus.......

Aquele que conheceu apenas a uma MULHER E AMOU DE VERDADE, sabe muito mais das mulheres do que aquele que conheceu a mil.

Sábio é quem se contenta com o espetáculo do mundo.

Eu que me aguente comigo e com os comigos de mim.

Duvido, portanto penso.

A espantosa realidade das coisas é a minha descoberta de todos os dias. Cada coisa é o que é. E é difícil explicar a alguém quanto isso me alegra, e quanto isso me basta. Basta existir para se ser completo.

Quando te vi amei-te já muito antes
Tornei a achar-te quando te encontrei.
Nasci pra ti antes de haver o mundo

Quem tem alma não tem calma.

Um cansaço de existir,
De ser.
Só de ser.
O ser triste brilhar ou sorrir...

Nunca amamos ninguém. Amamos, tão-somente, a idéia que fazemos de alguém. É a um conceito nosso - em suma, é a nós mesmos - que amamos. Isso é verdade em toda a escala do amor.

As coisas passam, e o melhor que fazemos é deixar que elas possam ir embora. Deixar ir embora. Soltar. Desprender-se.

Contemplo o lago mudo
que a brisa estremece
Não sei se penso em tudo
ou se o tudo me esquece

O lago nada me diz,
não sinto a brisa mexe-lo
Não sei se sou feliz
nem se desejo se-lo

Todas as cartas de amor são ridículas,
não seriam cartas de amor se não fossem ridículas.

Se assim aconteceu, assim está certo!

Quero, terei;
Se não aqui;
Noutro lugar que ainda não sei.
Nada perdi;
Tudo serei

Põe tudo o que és na mais pequena coisa que faças

Baste a quem baste o que lhe basta
O bastante de lhe bastar!
A vida é breve, a alma é vasta;
Ter é tardar.

Nasci sujeito como os outros a erros e a defeitos,
Mas nunca ao erro de querer compreender só com a inteligência,
Nunca ao defeito de exigir do Mundo
Que fosse qualquer cousa que não fosse o Mundo.

Hoje não há mendigo que eu não inveje só por não ser eu.

Que fiz de mim? Encontrei-me
Quando estava já perdido,
Impaciente deixei-me
Como a um louco que teime
No que lhe foi desmentido

Não sou da altura que me vêem, mas sim da altura que meus olhos podem ver.

Arre! Estou farto de semi-deuses! Onde é que há gente no mundo???

A vida é o que fazemos dela. As viagens são os viajantes. O que vemos não é o que vemos, senão o que somos.

Quando o amor não tem razão 
É que o amor incomoda.

Cada um é muita gente.
Para mim sou quem me penso,
Para outros - cada um sente
O que julga, e é um erro imenso."

Não é por nada que olho: é que eu gosto de ver as pessoas sendo.

Sentir é estar distraído.

Saber não ter ilusões é absolutamente necessário para se poder ter sonhos.

Não sei o que sinto, não sei o que quero, não sei o que penso nem o que sou.

Acontece-me às vezes, (...) um cansaço tão terrível da vida que não há sequer hipótese de dominá-lo.

Nada se sabe, tudo se imagina.

É preciso ser um realista para descobrir a realidade. É preciso ser um romântico para criá-la

Outrora eu era daqui, e hoje regresso estrangeiro,
Forasteiro do que vejo e ouço, velho de mim.
Já vi tudo, ainda o que nunca vi, nem o que nunca verei.
Eu reinei no que nunca fui.

Nós nunca nos realizamos. Somos dois abismos - um poço fitando o céu.

Mas sou sempre eu, assente sobre os mesmos pés. O mesmo sempre, graças ao céu e à terra. E aos meus olhos e ouvidos atentos. E à minha clara simplicidade de alma...

E afinal o que quero é fé, é calma, e não ter essas sensações confusas.

Não sei quantas almas tenho.
Cada momento mudei.
Continuamente me estranho.
Nunca me vi nem acabei.

Não há normas. Todos os homens são excepção a uma regra que não existe.

Sobre as emoções tenho curiosidade. Sobre os fatos, quaisquer que venham a ser, não tenho curiosidade alguma.

Tenho feito filosofias em segredo que nenhum Kant escreveu.

O meu coração quebrou-se 
Como um bocado de vidro
Quis viver e enganou-se...

Os outros nunca sentem.
Quem sente somos nós,
Sim, todos nós,
Até eu, que neste momento já não estou sentindo nada.
Nada? Não sei…
Um nada que dói…

Tudo em meu torno é o universo nu, abstrato, feito de negações noturnas. Divido-me em cansado e inquieto, e chego a tocar com a sensação do corpo um conhecimento metafísico do mistério das coisas.

Sou o que penso, mas penso ser tantas coisas.

Tudo é orgulho e inconsciência. Tudo é querer mexer-se, fazer cousas, deixar rastro. 
E houve pasmos de toda a realidade ser só isto. 
Mas a vida era a vida e só era a vida.

A recordação é uma traição à natureza, 
Porque a natureza de ontem não é natureza. 
O que foi não é nada, e lembrar é não ver.

Gastei tudo que não tinha.
Sou mais velho do que sou.
A ilusão, que me mantinha,
Só no palco era rainha:
Despiu-se, e o reino acabou.

Quer pouco: terás tudo. Quer nada: serás livre.

Vivo sempre no presente. O futuro, não o conheço. O passado, já o não tenho.

Como é por dentro outra pessoa
Quem é que o saberá sonhar?
A alma de outrem é outro universo
Com que não há comunicação possível,
Com que não há verdadeiro entendimento. 
Nada sabemos da alma
Senão da nossa;
As dos outros são olhares,
São gestos, são palavras,
Com a suposição de qualquer semelhança
No fundo.

Eu tenho uma espécie de dever, dever de sonhar, de sonhar sempre, 
pois sendo mais do que um espetáculo de mim mesmo, 
eu tenho que ter o melhor espetáculo que posso. 
E, assim, me construo a ouro e sedas, em salas 
supostas, invento palco, cenário para viver o meu sonho 
entre luzes brandas e músicas invisíveis.

Compreendi que as coisas são reais e todas diferentes umas das outras;
Compreendi isto com os olhos, nunca com o pensamento.
Compreender isto com o pensamento seria achá-las todas iguais.

E falta sempre uma coisa, um copo, uma brisa, uma frase, e a vida dói quanto mais se goza e quanto mais se inventa.

O público não quer a verdade, mas a mentira que mais lhe agrade.

Minha pátria é a língua portuguesa.

Porque sentir é como o céu,
Vê-se mais não há nele que ver.

Estás só. Ninguém o sabe. Cala e finge. 
Mas finge sem fingimento. 
Nada 'speres que em ti já não exista, 
Cada um consigo é triste. 
Tens sol se há sol, ramos se ramos buscas, 
Sorte se a sorte é dada.

Toda a noite, toda a noite, toda a noite sem pensar... Toda a noite sem dormir e sem tudo isso acabar.

Sou metade sonâmbulo e outra parte nada

Não me venham com conclusões! A única conclusão é morrer.

Liberdade
Ai, que prazer 
Não cumprir um dever.(...)"

Mas há mais alguma coisa... Nessas horas lentas e vazias, sobe-me da alma à mente uma tristeza de todo o ser, a amargura de tudo ser ao mesmo tempo uma sensação minha e uma coisa externa, que não está em meu poder alterar.

Já não me importo
Até com o que amo ou creio amar.
Sou um navio que chegou a um porto.
E cujo movimento é ali estar.
Nada me resta

Enquanto não atravessarmos a dor de nossa própria solidão, 
continuaremos a nos buscar em outras metades.
Para viver a dois, antes, é necessário ser um.

É por isso que tomo ópio, é um remédio. Sou um convalescente do momento, moro no Rés do chão do pensamento e ver passar a vida faz-me tédio

Há metafísica bastante em não pensar nada.

Que idéia tenho eu das cousas?
Que opinião tenho sobre as causas e os efeitos?
Que tenho eu meditado sobre Deus e a alma ?
E sobre a criação do Mundo?
Não sei. Para mim pensar nisso é fechar os olhos.
E não pensar. É correr as cortinas.
Da minha janela (mas ela não tem cortinas).

Com este sonhar tudo, tudo na vida te farás sofreres mais.
Será a tua cruz.

Lá fora passarão civilizações, escacharão revoltas, turbilhonarão festas, correrão mansos quotidianos povos.. E nós, ó meu amor irreal, teremos sempre o mesmo gesto inútil, a mesma existência falsa.

O Mundo não se fez para pensarmos nele, mas para olharmos para ele e estarmos de acordo...

Os deuses amam os que morrem jovens porque o absoluto é a sua medida.

Feliz quem não exige da vida mais do que ela espontaneamente lhe dá, guiando-se pelo instinto dos gatos, que buscam o sol quando há sol.

A Decadência é a perda total da inconsciência; porque a inconsciência é o fundamento da vida. O coração, se pudesse pensar, pararia.

Com uma tal falta de gente coexistível, como há hoje, que pode um homem de sensibilidade fazer senão inventar os seus amigos, ou quando menos, os seus companheiros de espírito?

Entre mim e a vida há um vidro tênue. Por mais nitidamente que eu veja e compreenda a vida, eu não posso lhe tocar.

O amor romântico é como um traje, que, como não é eterno, dura tanto quanto dura; e, em breve, sob a veste do ideal que formamos, que se esfacela, surge o corpo real da pessoa humana, em que o vestimos. O amor romântico, portanto, é um caminho de desilusão.

Tinha-me levantado cedo e tardava em preparar-me para existir.

Liberdade
Aqui nesta praia onde
Não há nenhum vestígio de impureza,
Aqui onde há somente
Ondas tombando ininterruptamente,
Puro espaço e lúcida unidade,
Aqui o tempo apaixonadamente
Encontra a própria liberdade.

Há tanta coisa que, sem existir,
Existe, existe demoradamente,
E demoradamente é nossa e nós...
Por sobre o verde turvo do amplo rio
Os circunflexos brancos das gaivotas...
Por sobre a alma o adejar inútil
Do que não foi, nem pôde ser, e é tudo.
Dá-me mais vinho, porque a vida é nada.

A solidão desola-me; a companhia oprime-me. A presença de outra pessoa descaminha-me os pensamentos

O Universo não é uma idéia minha. 
A minha idéia do Universo é que é uma idéia minha. 
A noite não anoitece pelos meus olhos, 
A minha idéia da noite é que anoitece por meus olhos. 
Fora de eu pensar e de haver quaisquer pensamentos 
A noite anoitece concretamente 
E o fulgor das estrelas existe como se tivesse peso

O mistério das cousas? Sei lá o que é mistério!
O único mistério é haver quem pense no mistério.
Quem está ao sol e fecha os olhos,
Começa a não saber o que é o sol
E a pensar muitas cousas cheias de calor.
Mas abre os olhos e vê o sol,
E já não pode pensar em nada,
Porque a luz do sol vale mais que os pensamentos

Há entre mim e os meus passos
uma divergência instintiva.
Há entre quem sou e estou
uma diferença de verbo
que corresponde à realidade.

De sonhar ninguém se cansa, porque sonhar é esquecer, e esquecer não pesa e é um sono sem sonhos em que estamos despertos.

Alguns têm na vida um grande sonho e faltam a esse sonho. Outros não têm na vida nenhum sonho, e faltam a esse também.

O verdadeiro sábio é aquele que assim se dispõe que os acontecimentos exteriores o alterem minimamente. Para isso precisa couraçar-se cercando-se de realidades mais próximas de si do que os fatos, e através das quais os fatos, alterados para de acordo com elas, lhe chegam.

Tudo quanto vive, vive porque muda; muda porque passa; e, porque passa, morre. Tudo quanto vive perpetuamente se torna outra coisa, constantemente se nega, se furta à vida.

Todos temos por onde sermos desprezíveis. Cada um de nós traz consigo um crime feito ou o crime que a alma lhe pede para fazer.

Ter opiniões é estar vendido a si mesmo. Não ter opiniões é existir. Ter todas as opiniões é ser poeta.

O amor é um sonho que chega para o pouco ser que se é.

Nenhum comentário:

Postar um comentário