A alienação

A alienação

quinta-feira, 4 de abril de 2013

Atualmente os deuses são bons, porém, no passado os deuses eram maus !


Houve um tempo na história da humanidade a muitos anos atrás, em URUK na Suméria, no Egito dos faraós, no império Hitita, na época dos fenícios, de Cartago, em UR, na Babilônia, nos primórdios do Império Romano, na Grécia da Guerra de Tróia, na época dos heróis, na época em que os humanos valorizavam a glória de serem cremados em pira ardente como a que Marco Antonio cremou Julius Cesare em Roma, com duas moedas de ouro nos olhos para pagar o barqueiro, símbolo de heroísmo, bravura e honra... em que os deuses não eram misericordiosos, piedosos, caridosos...
Nesta época os deuses eram como os humanos, tinham emoções, amavam e faziam sexo, odiavam e matavam, tinham filhos, guerreavam, se vingavam, e em vez de darem valor aos miseráveis como os deuses atuais, davam valor aos heróis destemidos.
Eram deuses que se fundiam na realidade da existência humana vivenciada desde a pré história, época em que os humanos tinham que lutar pela própria vida contra os demais animais, na época em que os seres humanos eram vítimas costumeiras de predadores.
Um dos predadores que mais gostava de se alimentar de humanos era o extinto tigre dente de sabre... foram encontrados restos mortais de humanos em cavernas para onde os tigres levavam os humanos abatidos para comerem, nos ossos humanos encontrados estão as marcas dos dentes dos tigres... por esta razão, os deuses desses humanos não eram piedosos, devido a essa realidade, os deuses dos humanos dessa época trágica espelhavam a bravura que os humanos tinham que possuir para enfrentar realidade dura e cruel da natureza.

Vamos regredir na história humana para tomarmos contato com estes tempos heróicos de deuses emotivos.


Deuses da Suméria
 
Na Suméria (Mesopotania) surgiu a primeira civilização humana a 8000 anos atrás, foi onde surgiu a escrita e a primeira cidade.

AN ANU 
 
Na mitologia suméria e mais tarde para
Assírios e babilônios, Anu era o deus do céu, senhor das constelações, rei dos deuses, espíritos e demônios, e vivia nas alturas.

ENLIL 

Deus do ar.

INANA
 
A deusa Inanna foi deusa da antiga cidade suméria de Erech (Uruk), a cidade de Gilgamesh. Como Rainha do céu, ela foi associada com a Estrela da Tarde (o planeta Vênus), e às vezes com a Lua.
Ela também pode ter sido associada as estrelas mais brilhantes nos céus, como ela às vezes é simbolizada por uma estrela de oito pontas, uma estrela de sete pontas, ou uma estrela de quatro pontas.

NINURTA
 
Este relevo no Museu Britânico mostra o deus sumério Ninurta.


Deus da Babilônia

A Babilônia foi a mais rica cidade da antiguidade, existiu por milhares de anos, foi conquistada por Alexandre o Grande, quando ai findou sua hegemonia.

MARDUK
 
Surgiu no segundo milênio a.C. e foi o último deus babilônico da geração antiga de deuses da antiga Mesopotânia, patrono da cidade de Babilônia.
Quando a Babilônia tornou-se o centro político do vale do Eufrates, no tempo de
Hamurabi (século 18 aC), Marduk começou a subir lentamente para a posição de chefe do panteão babilônico.


Deuses do Egito

AMUN

 
Amon foi um dos deuses mais poderosos do antigo Egito.
No auge da civilização egípcia foi chamado o "Rei dos Deuses '.
Amun foi importante em toda a história do antigo Egito. No entanto, quando Amun foi combinado com o deus sol Ra ele ficou ainda mais poderoso, nesta época ele foi então chamado de Amon-Ra.

HORUS

 
Era conhecido como o protetor dos governante do Egito.
Os egípcios acreditavam que o faraó era o "Hórus vivo".
Os antigos egípcios tinham muitas crenças diferentes sobre o deus Hórus, uma das crenças mais comuns era a de que Horus era o filho de Ísis e Osíris.
Depois que Osíris foi assassinado por seu irmão Seth, Hórus lutou com Seth para o trono do Egito.
Nesta batalha, Hórus perdeu um de seus olhos, posteriormente olho foi restaurado e Horus tornou-se um símbolo de proteção para os antigos egípcios. Após essa batalha, Hórus foi escolhido para ser o governante do mundo dos vivos.
Um dos templos mais bem conservadas no Egito de hoje foi dedicado a Hórus. Ele está localizado no Alto Egito em uma cidade chamada Edfu.

OSIRIS

 
Osíris era o deus dos mortos, e regente do submundo.
Osíris era o irmão/marido de Ísis, e irmão de Nepthys e Seth. Ele era também o pai de Hórus.
Bem como era o deus dos mortos, Osíris era um deus da ressurreição e da fertilidade.
Na verdade, os antigos egípcios acreditavam que Osíris lhes deu o dom do cultivo da cevada, um de seus cultivos mais importantes.
Um grande templo foi construído em honra de Osíris em Abidos.

THOTH
 
Thoth era o deus da escrita e do conhecimento.
Os antigos egípcios acreditavam que Thoth deu-lhes o dom da escrita hieroglífica. Thoth foi também ligado com a Lua.


Deuses gregos

ZEUS
 
Zeus era o deus do céu e regente
dos deuses do Olimpo. Quando Cronus seu pai morreu Zeus tirou a sorte com seus irmãos Poseidon e Hades para dicidir quem seria o comandante supremo dos deuses.
Zeus é o senhor do céu, e deus da chuva. Sua arma é um raio que ele lança para aqueles que o desagradam.
Ele é casado com Hera, mas, Zeus tem muitas amantes.
Ele também é conhecido por punir aqueles que mentem ou quebram um juramento.
Sua armadura era a égide, o seu pássaro a
águia, sua árvore o carvalho. ele é representado como o deus da justiça.

POSEIDON
 
Deus do mar, o protetor de todas as águas.
Após a derrubada do seu pai Cronus ele repartiu domínios com Zeus e Hades.
Ele se tornou senhor do mar e foi amplamente venerado pelos marinheiros. Ele se casou com Anfitrite, neta do titã Oceanus.

AFRODITE

 
Afrodite é a deusa do amor, desejo e beleza.
Além de seus dotes naturais, ela tem um cinto mágico que obriga qualquer pessoa que ela deseja a também desejá-la.
Ela é a esposa de Hefesto. A murta é a sua árvore, a pomba, o pokémon, e o pardal seus pássaros.
Seu amante favorito é o deus da guerra, Ares. Ela representava o sexo, carinho, e a atração que une os humanos.

DIONISIO
 
Dionísio e Apollo

Era o deus grego dos ciclos vitais, das festas, do vinho, da insânia, mas, sobretudo, da intoxicação que funde o bebedor com a deidade. Filho de Zeus e da princesa Semele, foi o único deus olimpiano filho de uma mortal, o que faz dele uma divindade grega atípica.


Deuses romanos

JUPITER


Júpiter era o rei dos deuses romanos. A águia era seu mensageiro. Suas armas eram o trovão e os raios. Todos os outros deuses tinham medo dele, embora ele tivesse algum receio de sua esposa Juno.
Júpiter, Netuno e Plutão foram os três filhos de Saturno. Eles dividiram o mundo entre si. Júpiter tomou o ar, Netuno ficou com o mar e Plutão reinava debaixo da terra, da casa dos mortos.

MARTE 
Os romanos eram grandes soldados e Marte, o deus da Guerra, foi muito importante. Os romanos afirmavam que ele era o pai de Rômulo e Remo, os fundadores de Roma.

MINERVA
 
Minerva era a deusa da sabedoria. Seu símbolo era a coruja. Seu nome grego era Atena, e Atenas era a sua cidade.
Ela teve um parto estranho. Um dia, Júpiter teve uma dor de cabeça.
Nada poderia curá-lo. Eventualmente Vulcano abriu a cabeça de Júpiter e de dentro dela saltou Minerva com armadura, escudo e lança!
Depois disso Júpiter se sentiu muito melhor!


Deuses astecas

HUITZILOPOCHTLI

Deus asteca da guerra e sacrifício.
Huitzilopochtli (pronunciado Weetz-ee-
loh-POSHT-lee) foi um dos mais importantes deuses astecas, e foi a divindade que, segundo a tradição, levou o povo a sua terra natal.


Deuses Maias

 

Conclusão

Constatamos que todos os deuses da antiguidade humana tinham super poderes, no mais, eram iguais aos humanos em tudo !
Tinham raiva, ódio, amavam, casavam, tinham filhos, matavam, e faziam tudo o mais que os humanos fazem.

Por que os deuses dos primórdios da humanidade eram desta forma ?
- Eram assim porque os humanos em seus primórdios tinham que lutar pela vida contra a natureza e contra os outros animais, os humanos desta época sabiam que não tinham nenhum protetor alem deles próprios, ou lutavam ou morriam.
Por isso os humanos viam os deuses como se fossem inimigos - inimigos a temer.
Os deuses não protegiam os humanos contra nada... os humanos viviam na planície escura a mercê dos predadores, os humanos dessa época sabiam que não adiantava nada suplicar aos deuses pela vida... pois se aparecesse um tigre na sua frente ele seria devorado como qualquer outro animal.
Os humanos dessa época heróica sabiam que não existia diferença entre ele e os demais animais, sabiam que todos estavam lutando pela vida em uma batalha de vida ou morte !
De posse dessa realidade, os humanos não poderia achar que os deuses eram bons e caridosos, pelo contrário, os deuses eram cruéis !


O que aconteceu na humanidade para que essa opinião sobre os deuses mudasse ?
 
Porque os humanos mudaram de deuses violentos e cruéis para deuses bondosos e misericordiosos ?

Depois de milênios de civilização os humanos foram adquirindo cultura e tecnologia, já sabiam fazer cidades muradas para se protegerem dos predadores, sabiam fazer armas eficazes para se defenderem, estudaram e aprenderam os costumes dos animais e suas fraquezas, estudaram e entenderam algumas coisas da natureza, e com isso a qualidade de vida dos humanos melhorou, a cultura melhorou porque os humanos passaram a escrever livros em diversas áreas do conhecimento e começaram a surgir um tipo de humano que jamais havia existido antes - o intelectual.

A vida não era mais tão dura como era antes, e com isso os heróis antes extremamente necessários foram dando lugar aos "sábios" intelectuais.
E com esta situação chegamos a 2400 anos atrás na Grécia, em Atenas, onde apareceram filósofos como Socrates, Platão, Aristoteles, e muitos outros.
Platão foi o mais importante deles... Platão criou a primeira teoria idealista da humanidade.
Platão disse que existiam dois mundos: o mundo dos fenômenos e o mundo das idéias.
O mundo dos fenômenos é onde vivemos e o mundo das idéias é um local, não definido por ele, onde existe o nascedouro de todas as coisas, é onde as idéias das coisas do mundo são forjadas, as coisas nascem perfeitas neste local, mas, quando são materializadas no mundo dos fenômenos, no mundo real, elas perdem a perfeição.
Para dar um exemplo dessa filosofia podemos citar uma coisa, por exemplo, a cadeira.
Existem diversos tipos de cadeiras, de madeira, de ferro, de bambu, de pedra, etc, mas, se falarmos em um local deserto - cadeira, todos irão ter uma imagem na cabeça do objeto "cadeira", essa é a "idéia" perfeita, porém, a cadeira que temos na cozinha, esta não é perfeita pois pode quebrar.
Platão foi o primeiro intelectual idealista que escreveu uma teoria política para criar uma sociedade perfeita!
 
Platão escreveu o livro "A República" onde teoriza essa sua cidade perfeita governada por "sábios" intelectuais.
Platão foi para Siracusa e lá junto com seu discípulo Dion, tentaram colocar em prática suas idéias e fazer a tal cidade perfeita, no final Dion se tornou um ditador e foi assassinado e Platão foi preso e vendido como escravo.
A cidade perfeita de Platão terminou em tragédia...
Mas a utopia platônica era por demais tentadora, divinamente inebriante, e ficou.

Ficou a idéia da existência de um "mundo perfeito" de onde emanam as coisas inicialmente perfeitas.
E quem seria o gestor disso ?
- Deus é claro.
E agora, não mais um deus cruel, agora seria um deus sábio e caridoso defensor dos pobres e oprimidos.

Foi a partir da idéia platônica que alguns séculos depois nasceram as religiões com deuses caridosos e protetores dos miseráveis, o cristianismo, o budismo e até mesmo o islamismo são produto da idéia germinal de Platão.
 
Mas, o mais importante é que independente de qual religião seja, surgiu uma nova idéia na humanidade - deus é bom !
Até Platão os deuses eram cruéis e maus, após Platão os deuses passaram a ser justos e bondosos.
Mesmo isto estando em evidente contraste com a realidade da vida e da natureza, os humanos abraçaram essa idéia com fervor, pois essa idéia lhes da conforto diante da certeza da morte.
- Não vou morrer !
- Vou viver para sempre junto ao bondoso deus no céu !
Isso é por demais desejado, mesmo que seja uma miragem.


O que ficarão a fazer por bilhões e bilhões de anos no céu, ou mais precisamente, pelo resto da eternidade, nunca ninguém descreveu... mas, essa idéia religiosa é extremamente forte e quem se por contra ela pode ser dado como herege e morto.



Conclusão

A realidade da vida humana e da natureza mostra claramente para quem tem olhos para ver que não existe um deus nem caridoso nem cruel, o que existe é uma natureza totalmente indiferente ao que possa acontecer aos humanos ou a qualquer outro ser vivo.
Os humanos não tem nenhuma importância para a natureza.
No planeta Terra morrem em média UM MILHÃO de humanos POR ANO com apenas UM DIA de vida!
Em vista desse fato fica evidente que para a natureza a vida de um humano não vale nada.

O planeta Terra existe a 5 bilhões de anos... os humanos existem a alguns milhares de anos, o planeta Terra existiu por bilhões de anos sem a presença de humanos, os que mais viveram por aqui foram os dinossauros, existiram por 200 milhões de anos... e desapareceram, milhares de outras espécies, inclusive de homos, também já foram extintas, e o planeta continuou impassível, indiferente ao destinos deles.
O planeta Marte é quase do tamanho da Terra, porém Marte é inóspito, não tem vida, bem como todos os demais planetas solares, e Marte não se importa com essa "falta"... Marte continua impassível a girar em torno do Sol.
O sistema solar é apenas um grão de areia no Universo... existem bilhões de bilhões de outras estrelas no Universo, o Sol é só mais uma, e no futuro o Sol irá se extinguir, irá explodir e destruir tudo a sua volta, inclusive a Terra.
 
Este é o destino do Sol - explodir, se expandir e se transformar em uma gigante vermelha, e destruir tudo a sua volta, inclusive o planeta Terra.

Fonte da foto:
http://www.nasa.gov/multimedia/imagegallery/image_feature_2302.html 
Fonte para consulta: 
http://imagine.gsfc.nasa.gov/docs/science/know_l1/dwarfs.html 


***
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário