A alienação

A alienação

quinta-feira, 4 de abril de 2013

Quais são os valores que motivam e influem na ação humana ?

Os humanos agem em função dos valores naturais que possuem.

E tais valores naturais são oriundos das punções físicas e psíquicas que a espécie moldou na evolução do corpo humano - totalmente gerado por ela - para que os indivíduos humanos ajam sempre em proveito da espécie.
Podemos também denomina-los por instintos naturais.

Os instintos atuam de forma sutil o que induz os indivíduos humanos a pensarem que seus atos são em proveito próprio, mas, na verdade, os indivíduos agem acima de tudo em proveito da preservação e evolução da espécie.
Os indivíduos humanos são passageiros... nascem, crescem, procriam, envelhecem e morrem, mas a espécie, esta permanece indefinidamente e evolui a partir de novos indivíduos gerados e de suas descobertas para melhorar as probabilidades de a espécie continuar existindo.

Podemos fazer uma analogia com o ensino que a sociedade quer dar as suas crianças, as crianças em geral gostam mais de brincar do que de estudar, o que fazem então os bons educadores ?
- Tentam "motivar" as crianças.
E a motivação para funcionar bem deve ser aplicada de forma camuflada para que as crianças não percebam que estão sendo induzidas a estudar.
A espécie faz o mesmo com os indivíduos... a espécie criou "motivações", ou seja, o gozo, o prazer, a satisfação, para com elas induzir os indivíduos a fazerem o que ela deseja que façam.
Isto é um fato que passa despercebido.

Os instintos induzem as ações humanas através da manifestação de "valores".
Vejamos quais são os "valores" existentes na espécie humana:

1. O primeiro e mais forte "valor" é o desejo sexual, o prazer sexual, que supera em intensidade todos os demais com folga.




Desde a antiguidade o sexo é primordial para os humanos.


Recentemente cientistas fizeram um experimento para verificar os reflexos do orgasmo no cérebro e ficaram deslumbrados!
Coloco a seguir a notícia sobre o assunto:

BBC Brasil
http://www.bbc.co.uk/portuguese/noticias/2012/08/120810_orgasmo_saude_jp.shtml
10 de agosto, 2012 - 13:07 (Brasília) 16:07 GMT

"Uma sinfonia do cérebro" ou "um show de fogos artificiais".
Estas são alguns dos termos usados pelos cientistas para se referir à resposta do cérebro ao momento do orgasmo.
Mas embora o prazer proporcionado por essa sensação seja de conhecimento geral, quais são os benefícios para a saúde?
Magdalena Salamanca, psicanalista especializada em sexo baseada na Espanha, disse à BBC que a ausência do prazer sexual pode provocar doenças e transtornos mentais.
"É importante porque o orgasmo é a satisfação de um dos instintos mais importantes do ser humano, que é o sexual", diz.
Ela destacou ainda que muitos dos problemas de cunho social ou profissional estão vinculados à insatisfação sexual. "Por exemplo, a ansiedade é um dos transtornos mais relacionados com a ausência do orgasmo".
Além disso, a psicóloga Ana Luna disse que "fisiologicamente, a descarga de muitas tensões que o ser humano acumula se produz por meio do orgasmo".
Atividade cerebral
Há alguns meses, cientistas da Universidade de Rutgers, no Estado americano de Nova Jersey, determinaram que o orgasmo ativa mais de 80 diferentes regiões do cérebro.
Utilizando imagens de ressonância magnética do cérebro de uma mulher de 54 anos enquanto tinha um orgasmo, os cientistas descobriram que no ato quase todo o cérebro se torna amarelo, o que indica que o órgão está praticamente todo ativo.
Os níveis de oxigênio no cérebro também refletem um espectro que vai desde o vermelho intenso até um amarelo claro, e isto tem um impacto em todo organismo.
.....


Em função deste grande prazer os humanos em geral dedicam grande parte de suas vidas na busca do prazer sexual.
Salvo raras exceções, os humanos trabalham, estudam, planejam, e fazem muitas outras coisas, com a finalidade maior de terem maiores possibilidades de obterem o prazer sexual.
Humanos não querem ter dinheiro pelo dinheiro em si, humanos não querem ter fama pela fama em si, querem o dinheiro e a fama para com eles obterem mais facilmente o acesso ao prazer, e dentre eles o prazer sexual é o mais intenso de todos.

Existem milhares de exemplos ao longo da história humana que comprovam o enorme valor que os humanos dão ao sexo, posso citar aqui os romanos Julius Cesar e Marco Antonio, que para terem Cleopatra, a rainha do Egito, colocaram o Império Romano em segundo plano e no caso de Marco Antonio até o abandonaram.
Temos também o caso de Henrique VIII da Inglaterra que rompeu com o Vaticano e criou uma desavença secular com os papas para poder casar com Anna Bolena, depois de uns tempos casado Henrique VIII mandou matar Bolena e casou com outra, e assim fez mais algumas vezes, para ele o sexo era mais importante que o próprio reino, na atualidade temos o caso do presidente Clinton do EUA que embora sendo o homem mais poderoso do planeta se rendeu a estagiária dentro da Casa Branca e provocou um escândalo sem precedentes.

O prazer sexual foi premiado pela espécie com essa grande intensidade porque a reprodução é a maior necessidade da espécie para se manter viva.

A principal razão da existência dos indivíduos, em todas as espécies de mamíferos, é perpetuar a existência da espécie.



FORMIGAS
A existência de todas as formigas dentro do formigueiro, sejam elas as operárias, os zangões ou a rainha, tem uma única finalidade - cuidar das larvas que vão dar origem a novas formigas, isso se repete indefinidamente.  As formigas são um bom exemplo de qual é a finalidade da vida dos indivíduos dentro da espécie.
Quem existe é a espécie, os indivíduos bilhões e bilhões deles, não tem nenhuma importância como indivíduos.

Alem disso, podemos inserir três valores dentro do instinto sexual que podemos chamar de "positivos", e um outro valor que podemos classificar como "negativo", estão associados ao instinto sexual e a ele estão ligados, são eles:

1a+. Desejo de sucesso físico, em esportes por exemplo, ser o vencedor, ser o mais forte, e com isso atrair a atenção do sexo oposto.

1b+. Desejo de sucesso intelectual, ser admirado pela cultura que possui, por ganhar um prêmio Nobel, etc, tais feitos funcionam como um orgasmo antecipado, o ganhador "goza" a sua superioridade mental, a sua sabedoria, mas, não lhe sai da cabeça o que poderá conseguir com isso. 
Esse é um desejo que ocorre mais em homens, mas, existe também em mulheres.
Muitos professores universitários gostam de "fazer tipo" para com isso atrair a atenção de alunas propensas a se apaixonarem pela sabedoria do professor, tais casos são bastante comuns.
Isso também existe para professoras em menor escala.
Não coloco entre eles o desejo de ganhar dinheiro, ficar rico, porque isto não é um valor - é um meio.
Nos dois itens citados a pessoa almeja ser amada, ser admirada, por isso é um valor, no caso do dinheiro não, o dinheiro compra muitas coisas, compra sexo, mas não compra amor e a admiração.

1c+. A honra. A honra também é um valor que aparece com muito mais força nos homens do que nas mulheres, pelo fato de que um homem desonrado sabe que será preterido pelas mulheres. 
A honra é um valor essencialmente do "macho".

1d-. A inveja. As mulheres sabem bem disso, pois a inveja por causa da beleza "da outra" é uma coisa muito comum, e a razão é que a outra com sua beleza irá conseguir muito mais pretendentes do que a invejosa. 
Nos homens também existe a inveja pela mesma razão.


2. O segundo "valor" que move as ações dos humanos é o desejo de preservação, o instinto para se manter vivo.

Neste caso temos as seguintes subdivisões dentro dele:
2a. Prazer do paladar, prazer em comer e beber.
2b. Desejo de segurança.
2c. Valor espiritual.
2d. O instinto maternal.

Matar outro ser vivo, seja ele animal ou vegetal, e com isso se alimentar para sobreviver e manter a existência da espécie se reproduzindo é a lei da vida no planeta Terra.

Sempre um ser vivo perde a vida para que outro ser vivo se alimente dele

2a. A espécie criou o primeiro desejo no corpo dos indivíduos para que eles tenham vontade de se alimentar, e com isso serem fortes e saudáveis e assim poderem trabalhar com toda força em prol da sobrevivência da espécie.
E se mesmo assim a pessoa não comer, a espécie inseriu a fome, uma dor para lembra-lo que precisa comer... se não faz por bem vai fazer pela via dolorosa o que a espécie quer que faça.

2b. O desejo de segurança tem a intenção de prevenir ataques mortais que possam causar dano e morte ao indivíduo e com isso dificultar a preservação da espécie.

2c. O terceiro, segundo Freud é uma ilusão, uma neurose.
Surgiu com o aparecimento do Ego e do Superego na mente humana, o desejo de que exista um deus e que a pessoa possa depois da morte ir para o céu e continuar a viver lá - é um desejo de preservação da vida!
A pessoa deseja continuar viva mesmo depois de morta, é uma neurose ilusória porque todas as evidências empíricas provam que tal coisa não existe, mas, a pessoa não se dá conta disso porque seu fundamento está no instinto de preservação da vida.
Os valores éticos e morais estão subordinados ao instinto de preservação da vida espiritual, tanto é assim que a moral ocidental é dita como sendo "a moral judaico-cristã". A caridade não é praticada, em seu sentido mais profundo, porque a pessoa é caridosa... mas sim, porque em sendo caridosa ela espera com isso ir para o céu, ou se ela não acredita em céu, é porque ela quer ser "elevada", o que também, em última instância, é uma recompensa.

2d. O instinto maternal surge nas mães após terem filhos e é fortíssimo, supera até o próprio instinto sexual, a mulher normal prefere proteger e ficar com seu bebê do que fazer sexo com o marido se for obrigada a optar entre eles.
A espécie cuidou bem de suas crias, pois sabe que elas tem que ser protegidas acima de tudo para que possa persistir a preservação da espécie.


3. O desejo de independência e liberdade.

O ser humano é um animal que gosta de ser livre.
E neste caso a falta de liberdade física ou a privação da liberdade de locomoção, nem é a mais forte, a liberdade psicológica também é muito forte.
As enormes desavenças que existem entre pais e filhos depois da adolescência destes, principalmente em famílias de classe média, é devido a total dependência econômica e psicológica que tais filhos tem aos pais, e eles consideram isso "uma prisão", o que provoca neles uma grande vontade de "sair de casa", de serem livres.
O desejo de liberdade também pode provocar a inveja naqueles que não a possuem sobre aqueles que a possuem.

O desejo de liberdade surgiu com a civilização, antes da civilização os humanos viviam nômades, não tinham casa que os protegessem e os isolassem da natureza, por isso dependiam do grupo para sobreviver.
Com o advento da civilização e o surgimento de cidades, o ser humano começou a caminhar cada vez mais para a privacidade, na sua casa, um humano se sente livre dos demais, e a privacidade que a casa proporciona lhe dá liberdade sexual com a parceira.

No indivíduo humano o desejo de independência, principalmente em relação aos pais, é muito forte, mas, está na mesma proporção quanto a necessidade de afeto.


E são estes os fatores que influem na ação humana. 
E essa ação é apenas em prol da espécie. 


***

Nenhum comentário:

Postar um comentário