A alienação

A alienação

quinta-feira, 4 de abril de 2013

Sociedades humanas e educação ao longo da história humana


As sociedades humanas ao longo da história não "mudaram", não se "transformaram", elas simplesmente deixaram de existir. A causa jamais foi a educação, as sociedades deixaram de existir, na maioria dos casos, através do poder militar, e em alguns casos por razões econômicas ou religiosas.



Em uma comunidade foi colocada a seguinte frase de Paulo Freire:

"Se a educação sozinha não transforma a sociedade, sem ela tampouco a sociedade muda."

E várias pessoas passaram a fazer comentários sobre "educação".
Infelizmente as pessoas não percebem que Paulo Freire não estava falando de educação!
Ele estava falando de ideologia.

As pessoas ignoram que Paulo Freire era adepto da ideologia marxista e tudo que ele falava tinha como motivação as intenções da ideologia marxista.
A frase de Paulo Freire é falsa.

Vou fazer dois comentários, um deles para demonstrar que a afirmação de Paulo Freire não é verdade, e outro para mostrar a razão dessa afirmação inverídica de Paulo Freire.


Sobre as sociedades humanas.

Sociedade egípcia






Egito Antigo, uma sociedade que existiu por 5 milênios 
sem nenhuma mudança social

Uma das mais duradouras sociedades que existiram foi o Egito Antigo, a sociedade egípcia dos faraós existiu por 5000 anos sem jamais ter mudado em nada, permaneceu imutável por 5 milênios!
Essa sociedade terminou no ano 332 AC quando foi conquistada por Alexandre o Grande.

Sociedade Alecandrina


Alexandria - uma sociedade grega no norte da África

Dai para frente no Egito existiu uma sociedade grego-macedônia com capital em Alexandria, permaneceu até o ano 30 AC quando a rainha Cleopatra foi derrotada pelo imperador romano Otavio Augusto, foi o fim da sociedade alexandrina e o início de uma sociedade romana no Egito.

Sociedade Imperial Romana

O glorioso Império Romano existiu por séculos 
sem nunca mudar a forma da sua sociedade

A sociedade imperial romana, a mais influente de toda a antigüidade, existiu por 1000 anos, nela a cidade de Roma era soberana, os patrícios eram os cidadãos e o resto era servo ou escravo, a sociedade imperial romana deixou de existir no ano 476 DC quando Roma foi invadida e destruída por povos bárbaros do norte da Europa.

Sociedade Feudal


Feudalismo
A associação do poder militar do guerreiro feudal com o Vaticano.
Mil anos sem nenhuma mudança.

Após a queda do império romano na Europa aconteceu um vazio de poder, pouco a pouco guerreiros foram formando pequenos exércitos e tomando posse da terra em vastas regiões, tais guerreiros construíram castelos nas terras que dominavam, que passaram a ser chamadas de "feudos" e os seus senhores se chamaram senhores feudais, foi assim que surgiu uma nova sociedade na Europa, a sociedade feudal, ou feudalismo, que depois se juntou com os papas e existiu por 1000 anos sem nenhuma mudança.
Por 1000 anos o feudalismo permaneceu imutável até seu fim.

Até agora relatamos o surgimento de quatro sociedades humanas, nenhuma delas surgiu devido a participação da educação, todas surgiram em função do poder militar, surgiram em função de conquistas militares que destruíram a sociedade anterior e deram início a uma outra diferente.

Sociedade Mercantilista



Mercantilismo

A sociedade feudal terminou a partir do século XV em função de três fatores principais, um natural, outro militar, e outro econômico:
- A peste negra que dizimou grande parte da população da Europa.
- A conquista de Constantinopla pelo Império Otomano que fechou as rotas comerciais que os europeus usavam para chegar ao Oriente.
- As navegações empreendidas por portugueses e espanhóis através do Oceano Atlântico em busca de novas rotas comerciais para o Oriente e que culminaram com a descoberta da América.

Foram estes os fatores cruciais para o fim do feudalismo e não a educação.
A descoberta e a conquista de terras na África e na América acabou com o poder do senhor feudal e deu início na Europa ao poder do rei absolutista, foi o fim do Feudalismo na Europa e o início da sociedade colonial mercantilista.

Sociedades Asteca e Inca




Astecas e Incas
Duas sociedades que desapareceram sem nenhuma mudança

Não apenas a sociedade feudal acabou com estes eventos históricos!
Outras duas sociedades humanas, dentre outras, também acabaram, foram a sociedade Inca e a sociedade Asteca, estas duas sociedades existiam na América pré-colombiana.
A sociedade Inca que existia na América do Sul, na região do atual Peru, era diferente da sociedade Asteca que existia na América Central onde hoje é o sul do México, ambas já existiam a séculos e terminaram abruptamente, os conquistadores espanhóis possuíam maior poder militar do que os incas e astecas, eles foram facilmente conquistados pelos espanhóis.
As sociedades Inca e Asteca acabaram e em seu lugar surgiu a sociedade colonial espanhola.
A educação não influiu em nada no fim destas duas sociedades humanas, apenas o poder militar foi determinante.

Sociedade Democrática


Antes da Revolução Industrial o modo de produção sempre foi através do trabalho braçal humano e do trabalho de tração animal.
Após a Revolução Industrial, pela primeira vez na humanidade, o modo de produção mudou, as máquinas passaram a ser a maior força de trabalho.
Os trabalhadores que até então ou eram servos ou eram escravos, passaram a trabalhar por salário e a divisão do trabalho aumentou em larga escala a produção de mercadorias, isso foi a base para a melhoria da vida do povo que agora tinha acesso a mercadorias que jamais tiveram antes, como sapato por exemplo.
No início, em 1800, a pobreza do povo ainda existia na Inglaterra, mas, 100 anos depois, em 1900, o povo da Inglaterra já possuía excelente qualidade de vida e igualdade social.

A sociedade colonial mercantilista deixou de existir a partir do fim do século XVIII.
Na Inglaterra, dona de um enorme império colonial, o poder absolutista do rei foi sendo muito diminuído já desde o fim do século XVII, várias guerras civis aconteceram e culminaram com a implantação de uma inédita ditadura republicana na Inglaterra quando assumiu o poder Oliver Cromwell entre os anos de 1653-1658, foi o divisor de águas na história da Inglaterra, Cromwell foi deposto e o poder na Inglaterra em pouco tempo mudou das mãos do rei para o Parlamento, na Inglaterra em 1707 surgiu a primeira democracia parlamentarista liberal da humanidade.
No início da democracia parlamentarista inglesa o povo inglês vivia em péssimas condições sociais e educacionais.
A mudança política mudou a sociedade inglesa de colonial para democrática e propiciou o acontecimento da Revolução Industrial na Inglaterra entre os anos de 1750-1850 e o consequente desenvolvimento econômico e cultural da nação e do seu povo.
A mudança na sociedade e o  desenvolvimento cultural na Inglaterra foi em função de mudanças políticas e econômicas, ou seja, foi um efeito e não uma causa.
A democracia liberal surgida na Inglaterra se propagou pela Europa e América dando início as causas abolicionistas, aos anseios de liberdade e independência nas colônias que causaram o fim da sociedade colonial com a independência das colônias.
Portanto, o fim da sociedade colonial e o surgimento da sociedade liberal e democrática aconteceu devido a causas políticas e econômicas.

Sociedade Árabe

A religião, e não a educação, foi de onde surgiu a sociedade árabe atual

E por fim, mencionamos a sociedade árabe, que existia no Oriente Médio por milhares de anos em vida nômade e sem influência política, esse tipo de sociedade acabou a partir do século XII DC quando surgiu Maomé que deu início ao Islamismo, dai para frente a religião muçulmana conduziu os destinos da nação árabe e a levou a criar um poderoso império que dominou o OM, África e parte da Europa.
Portanto, o fim da sociedade árabe antiga e o surgimento da sociedade árabe atual teve como causa a religião e não a educação.

Acreditamos que com isso demonstramos que as sociedades não mudam, elas acabam.
E o fim e início de sociedades humanas ao longo da história aconteceram independentemente da educação.


Sobre as razões de Paulo Freire

Paulo Freire era um intelectual marxista, e como tal era movido pela ideologia marxista e não pela educação.

Paulo Freire e o marxismo

Essa ideologia inicialmente tinha como estratégia para a tomada do poder político no mundo a ação revolucionária direta.
Essa ideologia incentivou diversas revoluções na Europa no século XIX, e no século XX a mais sangrenta foi a Revolução Espanhola onde morreram centenas de milhares de pessoas, também foi a motivação da tomada do poder na Rússia pelos bolcheviques e o surgimento da União Soviética com toda a sua trágica história.


Não apenas a ação ideológica na escola, mas também a ação política no PT, fez parte da ações de Paulo Freire para "mudar o mundo".

Porém, a ideologia revolucionária não conseguiu ter sucesso no Ocidente.
Em vista disso os seguidores dessa ideologia mudaram a estratégia de revolucionária para cultural a partir de 1930.
A estratégia cultural marxista tem a escola como campo de atuação principal, alem da midia, é na escola que a ideologia pretende convencer inconscientemente as pessoas para que a aceitem.
É porisso que os marxistas falam muito em educação, porque é através dela que eles pretendem obter o poder político.

Esta ação é praticada exaustivamente, mas, sem jamais se mostrar abertamente, é aplicada de forma camuflada.
É porisso que as pessoas inocentemente pensam que Paulo Freire falava de educação, mas, se forem estudar pormenorizadamente as motivações dele vão tomar ciência que por trás da educação está a ideologia que o guiou por toda a vida.
E a "mudança" na sociedade que ele desejava é o fim da sociedade democrática e a supremacia por todo o planeta da sua ideologia.

***

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário