A alienação

A alienação

quinta-feira, 6 de março de 2014

A crise na Ucrânia é mais uma consequência da estratégia dos "progressistas" com a intenção de dominar e "transformar o mundo"




Rússia e Ucrânia nasceram juntas, são nações irmãs que tem uma história em comum.
A Criméia é um território povoado por russos, suas principais cidades foram fundadas por russos, os russos consideram a Criméia uma região estratégica importante para sua defesa.
A Criméia desde o século XVIII pertenceu a Rússia.

Nikita Khrushchov (1894-1971), que era ucraniano, quando governou a União Soviética (1953-1964) determinou que a Crimeia fizesse parte da Ucrânia, com certeza para a tomada dessa decisão ele jamais cogitou que a URSS iria acabar, e com isso criou o problema que agora se expõe.

 Mapa da Europa em 1914

As origens da crise atual na Ucrânia

Os "progressistas", que nada mais são que os "intelectuais" marxistas "culturais" e a sua produção, os politicamente corretos, sempre sonharam com a "revolução mundial' e a "transformação' de todas as nações do mundo em nações "progressistas" governadas sobre a orientação deles, mas não tinham os meios que necessitavam para executar esse desejo a nível mundial, com a tomada do poder no EUA por Obama, eleito por um Partido Democrata totalmente diferente das suas origens e agora transformado em um típico partido de esquerda "progressista" eles finalmente conquistaram o poder político, financeiro e militar que precisavam.

A estratégia a partir dai foi apoiar e financiar "manifestantes", "rebeldes", "revolucionários", em pontos nevrálgicos e estratégicos, como o norte da África, Oriente Médio e os Bálcãs.

A mais violenta ação dos "progressistas" foi na Líbia onde EUA e França forneceram dinheiro e armas para os "rebeldes" e como eles não estavam conseguindo avançar EUA e França usaram seus aviões para bombardear a Líbia e arrasar as defesas de Kadafi, o que possibilitou o avanço dos "rebeldes" e o assassinato de Kadafi, do qual Obama e Sarcozy são cúmplices.

Trípoli, capital da Líbia, bombardeada por Obama e Sarcozy,
Milhares de civis mortos e Kadafi assassinado

Com estas vitórias os "progressistas" se arriscaram a dar voos mais altos, a Ucrânia foi a escolhida, talvez por estar a Ucrânia depois da dissolução da URSS um tanto sem rumo, essa indefinição existencial da Ucrânia era uma fraqueza a ser explorada, inicialmente a UE tentou conquistar a Ucrânia criando a possibilidade da Ucrânia entrar para a UE e receber dinheiro emprestado.

Essa oferta não foi bem recebida pela Rússia pois se a Ucrânia entrar para a UE em seguida ela pode entrar para a OTAN e ai a OTAN poderá instalar suas armas em uma larga extensão das fronteiras russas, essa possibilidade é algo inadmissível para a Rússia.

Outro aspecto importante é que os dutos que levam petróleo e gás da Russia para a Europa, em especial para a Alemanha, a maior parte deles passam pela Ucrânia, o que eleva os riscos de segurança para a Rússia se a Ucrânia for dominada por inimigos da Rússia.

Gasodutos da Rússia para a Europa, passando pela Ucrânia

Para fazer frente as ofertas da UE a Rússia também ofereceu empréstimos para a Ucrânia e abaixou o preço do petróleo e gás, o que foi bem recebido pela Ucrânia, que após esse acordo com a Rússia recusou a oferta da UE.

Com a derrota política a UE e o EUA partiram para a estratégia "revolucionária" e passaram a apoiar manifestações dentro da Ucrânia contra a decisão do governo e visando a derrubada do governo ucraniano.
Os manifestantes se apossaram da Praça da Independência e de lá não arredaram pé nem mesmo com a aceitação pelo presidente da Ucrânia de convocar eleições e diminuir o poder da presidência.
No desfecho final a violência irrompeu e várias pessoas foram mortas, muitas delas foram mortas por atiradores colocados em prédios próximos da praça, que foram acusados de serem do governo, o que causou a revolta geral dentro e fora da Ucrânia.

Porém, notícia no The Guardiam de 05/03/2014 relata a conversa entre o ministro da relações exteriores da Estônia e uma alta representante da UE onde é mencionado que os atiradores eram da própria oposição e não do governo!
Quem conhece as táticas dos "progressistas" e todos os crimes que esse pessoal cometeu por todo o século XX em nome da "causa" sabe que esse crime é perfeitamente possível de ter sido praticado por eles.

Notícia no The Guardian
Ukraine crisis: bugged call reveals conspiracy theory about Kiev snipers
The Guardian, Wednesday 5 March 2014 19.06 GMT     
Estonian foreign minister Urmas Paet tells EU's Cathy Ashton about claim that provocateurs were behind Maidan killings


Vídeo com a conversa


 
Com a revolta geral o golpe foi dado e o presidente da Ucrânia, que havia sido eleito por eleição popular, foi destituído pelo congresso ucraniano, isso foi um golpe de estado sem dúvida alguma.
Concordar com esse tipo de ação, como EUA e UE estão concordando, é só para aqueles cuja ética, o direito e a justiça deixaram de ser valores reais e a ideologia cega passou a dominar as ações.

A Rússia, em vista da tomada do poder pela força por grupos, segundo sua afirmação, neonazistas, se apresou em tomar providências efetivas para proteger a sua base na Criméia e toda a região que é habitada em sua maior parte por russos.
A Rússia não invadiu a Ucrânia, russos ocuparam posição na Criméia, que historicamente é russa, e por ser lá uma das mais importantes bases navais da Rússia, a Rússia teme que os atuais governantes tomem posse da base e reprimam os russos na Criméia.

A UE em vista da reação russa se conteve, a Europa não quer briga direta com a Rússia, tanto militarmente como economicamente a UE sofreria graves persas em uma guerra com a Rússia.

Apenas Obama continua com seu discurso infantil, dizendo tolices, para quem bombardeou a Líbia covardemente não tem sentido dizer que a Rússia "desrespeitou leis internacionais".
Mas, esse pessoal "progressista" que dá suporte a Obama não tem coragem para enfrentar uma luta frente a frente, eles preferem atuar nas sombras, financiando "rebeldes" e não se expondo diretamente.

O que vai acontecer, na minha opinião, é que a Rússia vai esperar a gritaria acabar e depois vai conversar diretamente com a Ucrânia e acertar os ponteiros, se a Ucrânia preferir manter laços comerciais com a UE acredito que a Rússia não vá colocar impedimentos - desde que a Ucrânia não entre para a UE e muito menos entre para a OTAN, o que certamente levaria a guerra.

Vamos aguardar para ver e esperar que os alienados que mandam no EUA não cometam nenhuma besteira.



***

Entrevista de Putin


http://www.euronews.com/2014/03/04/putin-use-of-force-in-ukraine-is-a-last-resort/

Nesta entrevista Putin diz o seguinte sobre a não ida dos membros do G8 a Rússia:

"A Rússia está se preparando para receber os membros do G8, mas se quiserem não vir, não venham."

E deu de ombros!



***

 

 TEXTO ESCRITO EM 06/03/2014


Na Folha de S.Paulo de hoje saiu um excelente artigo de Marcos Troyjo;  Crimeia e a "Ilha Mundo"

Está em:

No artigo o autor explica com clareza os acontecimentos, em especial explica que a Rússia não tem mais nada a ver com a URSS, a Rússia não quer um império, a Rússia quer se defender da OTAN e não permitir que a OTAN chegue as suas fronteiras.


***
 

 Texto escrito em 13/03/2014



O Pentágono tem gasto milhares de dólares e um grande esforço para fazer interpretação da "linguagem corporal" de Putin!
Sem dúvida a linguagem corporal diz muito mais da pessoa do que suas palavras!
Por isso coloquei essa foto, e vou fazer uma análise corporal de Putin e Obama.
Essa imagem é perfeita para análise de linguagem corporal, o que vemos ai?
O que está "falando" na imagem é a posição dos braços e principalmente das pernas dos dois.
Obama está encolhido, seus pés estão com as pontas voltadas para dentro e quase se encostam, crianças quando estão sendo questionadas por ações condenáveis costumam ficar nesta posição defensiva com os pés, é uma posição de retração, e até mesmo medo.
As mãos juntas de Obama, em posição de rezar, também indicam uma retração.
A linguagem corporal de Obama indica uma retração diante de Putin.
Putin ao contrário está aberto, sem medo, a posição de suas pernas, opostas a posição das pernas de Obama, são a posição das pernas de um lutador de box em posição de luta, tanto para ataque como para a defesa.
A linguagem corporal de Putin mostra que ele não tem medo de Obama e que irá enfrenta-lo.


23/03/2014


Vamos aproveitar a situação de crise na Ucrânia para fazer mais uma análise, é em situações de crise que temos as melhores chances de obter uma avaliação mais correta, o protagonista da série "Lie to Me", usa do artifício de criar situações de crise para obter suas conclusões.


Vamos usar uma foto de Obama junto ao chefe chinês Xi Jinping em Haia dia 24/03/2014 quando Obama foi pedir a ele para ajudar a isolar a Rússia, um pedido tolo de Obama... o presidente chinês jamais faria isso!



Nesta foto o que está "falando" são as expressões faciais dos dois, em especial os olhos e a boca,


Obama está olhando no vazio com olhar apreensivo, sua boca está contraída como quando alguém está mentindo ou com vergonha, Obama está com vergonha de ter que se sujeitar a uma situação constrangedora diante do chinês.


O chinês por sua vez está exultante!
Está feliz, seu rosto está alegre e seu olhar é zombeteiro ao olhar para Obama que não consegue encara-lo.
O chinês está contente por ter feito o presidente do EUA passar por este constrangimento.



***


Texto escrito em 18/03/2014

As notícias de hoje apresentam um importante pronunciamento de Puyin, eu o coloco a seguir:

"Nossos parceiros ocidentais, liderados pelos EUA preferiram não se guiar pela lei internacional em suas políticas, mas pela lei do mais forte.
Eles passaram a acreditar na sua excepcionalidade e na crença de que são os escolhidos. Eles não podem decidir os destinos do mundo, que apenas eles estão certos".

Essas palavras de Putin são importantes porque mostram que ele sabe exatamente o que está enfrentando!
Ele sabe que está enfrentando alienados dominados pela ideologia cega marxista, são alienados porque não sabem disso, e estes alienados, como Putin disse, se acham os donos da verdade para a humanidade e pretendem custe o que custa, até mesmo com a guerra, até mesmo com bombas covardes como fizeram na Líbia - "transformar o mundo" a moda deles...

Mas, o que parecia algo impossível de acontecer e que a dominação do "politicamente correto" não encontraria adversários, aconteceu!

Apareceu um homem, Putin, que como um herói se pôs contra as pretensões despóticas deles e disse a eles - vocês não são o ungidos, vocês não estão certos como pensam que estão, vocês não vão mudar os destinos do mundo da forma que acham certo.

Isso, apesar dos milhões de alienados que atualmente existem no mundo não perceberem, é uma das coisas mais importantes que aconteceram na humanidade ameaçada de ser levada ao caos pelos artífices do marxismo "cultural" que querem destruir a sociedade ocidental que atualmente existe sem nem mesmo saberem o que vão colocar no lugar.


***

 


Nenhum comentário:

Postar um comentário